Cinema & TV

Daniel Rangel, no ar em Novo Mundo, é uma das apostas de 2017: “Eu penso em interpretar todos os textos e dar vida a todos os personagens que eu puder.”

O jovem de 21 anos já foi indicado a melhor ator coadjuvante no Festival do Rio pelo filme "Fala Comigo" de Felipe Sholl, que estreia no dia 15 de abril.

Publicado em 25/04/2017 | Por Rodrigo Cohen

A nova geração chegou com tudo para ocupar o seu lugar na televisão e cinema brasileiro. O ator Daniel Rangel, 21 anos, é um dos exemplos que tem chamado a atenção do público e conquistado a todos os espectadores que assistem aos seus trabalhos. No ar como o Dom Miguel, irmão de Dom Pedro (Caio Castro), em Novo Mundo, o jovem carioca já foi indicado a melhor ator coadjuvante no Festival do Rio do ano passado. O papel dele no filme “Fala Comigo”, de Felipe Sholl, é de Guilherme, melhor amigo do protagonista da trama vivido por Tom Karabachian.

Foto: Sergio Baia

Daniel contou como sua expressão cênica começou a se manifestar desde muito cedo, mas só mais maduro ele entendeu isso como profissão: “Quando eu era bem pequeno, amava brincar sozinho com aquele monte de brinquedos espalhados pelo quarto, criava histórias, era uma peça de teatro por dia… Mas eu não tinha ideia de que fazer aquilo era o jeito que encontrava pra extravasar meu lado artístico. Só bem mais velho, com 17 anos, vim pro Rio fazer teatro mesmo. Fiz cursos, workshops e oficinas em vários lugares…  E me formei como ator na CAL.”

Foto: Sergio Baia

Mesmo tão novo na profissão, o ator encara o desafio de dar vida a um personagem histórico na novela das 19h da Rede Globo. “É uma responsabilidade grande. Nunca imaginei que meu primeiro papel na TV seria numa novela de época, ainda mais com um personagem histórico. Foi uma grata surpresa e está sendo incrível. Antes de começarem as gravações, li bastante coisa sobre o Dom Miguel, sobre a família real e também sobre esse período em que se passa a novela, início do século XIX. E assim fui tentando desvendar as facetas desse príncipe pra construir um personagem crível, fiel à sua origem, mas também com a minha percepção, minha visão sobre o que ele sentia, como andava, observava o mundo e se relacionava com os outros”, explicou.

Já sobre o trabalho que te rendeu uma indicação em um dos mais importantes festivais de cinema do Brasil, Daniel cultiva um carinho especial. “Foi um dos processos mais cuidadosos que eu já passei. O nosso diretor, Felipe Sholl, fez questão de fazer uma preparação com os atores bem antes das filmagens, então tivemos tempo de ensaiar todas as cenas, conversar sobre os personagens e nos conhecermos. Quando chegamos no set pra gravar, tudo fluiu porque já estávamos todos à vontade uns com os outros. Foi tudo feito com muito amor e profissionalismo”, relembrou.

Além da indicação a melhor ator coadjuvante, “Fala Comigo” foi o grande ganhador do Festival do Rio, levando o prêmio de melhor filme. O novato não esconde a alegria e satisfação de ter esse reconhecimento: “Eu fiquei muito feliz quando recebi a notícia! Quando a gente consegue fazer um trabalho que toca as pessoas é muito gratificante, faz tudo valer a pena. Sem contar que ter nosso trabalho reconhecido também é muito gratificante. Foi uma emoção inesquecível participar do Festival do Rio, ser indicado a esse prêmio e ainda ver o filme ganhando o prêmio principal do festival – o de melhor filme!”

Foto: Sergio Baia

Não é sorte que faz Daniel Rangel ser reconhecido com tão pouco tempo de carreira, o ator está sempre ligado ao seu redor e buscando referências nos atores que admira e na sua vivência. “Eu observo muito o trabalho de cada pessoa que trabalha comigo, por isso, é difícil citar um só. Eu realmente repenso sobre isso a cada trabalho, a cada pessoa que vejo exercendo esse nosso oficio. A cada dia que passa, eu vejo que não tem uma fórmula pra atuação. Cada um tem seu próprio caminho pra chegar na verdade, na emoção. Existem milhares de métodos e eu não me vejo seguindo nenhum. Pra mim, cada dia é um dia e cada cena é uma cena. A única coisa que tento buscar sempre é a verdade!”, anunciou.

Outra expressão artística que domina os pensamentos do jovem carioca é a escrita, mas o foco do momento é desenvolver a carreira de ator. “Eu gosto muito de escrever e, às vezes, arrisco umas poesias. Até comecei a esboçar alguns textos de teatro e outro pra cinema, mas, ultimamente, não tenho tido muito tempo e acabei deixando de lado. Mas quero voltar a dedicar um tempo pra isso! Como tenho pouco tempo de carreira (só quatro anos), eu penso em interpretar todos os textos e dar vida a todos os personagens que eu puder. No momento, quero experimentar os mais diversos papéis e textos”, confessou.

E ele não para por aí, Daniel Rangel mostra que tem fome de trabalho e não pretende desistir dos seus objetivos. Mesmo estando no ar e com a estreia do filme nos cinemas em vista, ele já fala dos projetos futuros e suas ambições. “Dia 15 de junho estreio nos cinemas fazendo o Guilherme no filme ‘Fala Comigo’. Também estou em um outro longa com previsão de filmagem pra esse ano. No teatro, estamos planejando voltar com ‘Buscado” fazendo uma turnê pelo Brasil e uma quarta temporada em Buenos Aires. E, na TV, após ‘Novo Mundo’, espero voltar ao ar em breve! Estou com muita vontade de fazer série porque é uma coisa que ainda não fiz. Quero continuar conseguindo sempre fazer teatro, TV e cinema! Eu tenho necessidade de estar trabalhando e de dar vida a algum personagem. Acho que isso é o que me mantém vivo. Detesto férias.”

Pesquisas relacionadas