Cinema & TV

Concorrendo a vaga no Oscar 2017, 150 títulos serão exibidos pelos próximos dias na 27ª edição do Festival Curta Cinema no Rio de Janeiro

Por aqui, o evento apresenta produções de 27 países. Além dos mais tradicionais como Estados Unidos e o eixo europeu, o evento ainda apresenta produções do Líbano, Irã, Camboja e Tailândia. Do Brasil, diversos estados também serão representados nos curtas

Publicado em 01/11/2017 | Por Julia Pimentel

De hoje até a próxima quarta-feira, 8, o Rio de Janeiro passa a ser a capital do audiovisual. Por aqui, ocorre a 27ª edição do Festival Curta Cinema que, desta vez, traz 150 títulos de 27 países para a cidade. Além dos mais tradicionais como Estados Unidos e o eixo europeu, o evento ainda apresenta produções do Líbano, Irã, Camboja e Tailândia. Do Brasil, diversos estados também serão representados nos curtas. Ao todo, foram mais de quatro mil inscrições que, após a apresentação e a votação, poderão selecionar o concorrente ao Oscar 2017.

Registro do curta Ilha do Farol (Foto: Divulgação)

À frente do Festival Curta Cinema está Aílton Franco que, pelos próximos dias, terá a missão de ocupar o circuito independente do Rio com cultura e pequenas historias. Nesta 27ª edição, os curtas serão exibidos no Cine Odeon NET Claro, Cinemateca do MAM, Centro Cultural da Justiça Federal-CCJF, Cinemaison e Cine Arte UFF. De acordo com o diretor geral do festival, a seleção pelos 150 que fazem parte do evento foi feita por um comitê especializado. E, desse elenco de curtas, a diversidade é um dos protagonistas. Segundo Aílton, essa pluralidade aparece nos temas, nas linguagens e, principalmente, nas origens das produções. “Nós recebemos inscrições de todas as partes do mundo. A partir disso, fazemos um panorama mundial para que também a gente tenha essa diversidade geográfica no festival”, disse Aílton que, por exemplo, citou o caso do Irã nesse processo de seleção. “É um país que tem dificuldade de acessar a plataforma de inscrição. Por isso, a gente facilita esse processo de forma direta para que também tenhamos esses curtas de lá”, acrescentou.

Registro do curta Boricuia (Foto: Divulgação)

E desse panorama de muitas cores, sotaques e propostas, as temáticas também merecem uma atenção especial. Dos 150 curtas selecionados para a 27ª edição do festival, muitos deles abordam questões como feminismo, intolerância religiosa e homofobia. “Na seleção das produções, não procuramos filmes que sejam de uma ou outra temática específica. Nós temos um formato livre que, por consequência, acaba resultando em enredos contemporâneos. Com o cenário que temos hoje, esses são assuntos que fazem parte da criação artística. E com os curtas não é diferente”, disse o diretor geral do festival.

Registro do curta Rosalita (Foto: Divulgação)

Na programação da 27ª edição do Festival Curta Cinema, as exibições vão além da chance da vaga no Oscar 2017. Fora a competição, o evento também terá sessões especiais focadas em temas específicos. No caso do Panorama Carioca, a ideia é apresentar as obras assinadas por diretores locais. Em From Hell, o terror é a ideia principal e, em Em Trânsito, os filmes são assinados por diretores brasileiros, porém rodados fora do país. Para completar essa programação extra e super especial, ainda há o Foco Suíça, que irá exibir curtas de destaque do país europeu. Com essas oportunidades, o Festival Curta Cinema também revela algumas diferenças que fazem parte dos bastidores do evento. De acordo com Aílton Franco, diretor geral, os incentivos para essas produções caíram muito e, nesta edição, é possível ver cada vez mais filmes sendo financiados com recursos próprios ou como trabalhos de conclusão de cursos de Cinema. “Hoje, temos poucos estados que ainda possuem editais para incentivar esses curtas, como São Paulo e Pernambuco. Aqui no Rio isso não existe mais. E, mesmo assim, as pessoas continuam produzindo com o dinheiro próprio”, analisou Aílton Franco.

Para conhecer a programação completa, é só clicar aqui

Registro do curta Pria (Foto: Divulgação)

Pesquisas relacionadas