Cinema & TV

Com novos projetos artísticos para 2017, Selton Mello garante que ainda não sentiu a temida crise no meio cultural: “Vai ser a médio e longo prazo”

Entre os trabalhos para este ano, o ator e diretor estreia no filme "Soundtrack", que inspirou a coleção Inverno 2017 da Osklen. No longa, que ainda resultará em uma exposição fotográfica, Selton interpreta a confusão gélida de fotógrafo na Islândia. "Embate entre arte e ciência"

Publicado em 14/03/2017 | Por Julia Pimentel

E quando arte, moda, ciência e Islândia mergulham em um mesmo cenário e resultam em um trabalho incrível? Pois bem, esta é a realidade de “Soundtrack”, filme que tem previsão de estreia para junho. Na verdade, essa combinação um tanto quanto improvável também teve outros frutos: a coleção Inverno 2017 da Osklen e uma futura exposição de fotografias clicadas por Oskar Metsavaht. Caso não tenha entendido a relação entre esses elementos, o HT esclarece: nesta edição da SPFWN43, a Osklen apresentou uma coleção que é resultado da parceria com Selton Mello e Seu Jorge no filme “Soundtrack”. No elenco do longa que narra uma expedição pelos Andes, Selton Mello interpreta um artista que se vê confuso e perdido em um panorama extremamente desfavorável. “Eu faço um fotógrafo que vai para a neve e acaba misturando som e arte. Quando ele chega, só encontra cientistas e o Seu Jorge é um desses especialistas. Nesse momento, cria-se então um embate entre arte e ciência”, adiantou sobre o longa.

A história, que foi criada pelos diretores do filme, a dupla 300 mL, traz ainda a questão da loucura do protagonista, vivido por Selton Mello, em função de toda esta situação. Em um longa que tem o idioma norte-americano como unanimidade do começo ao fim, Selton Mello contou que retoma a parceria com Seu Jorge e com a equipe que dirigiu o documentário “Tarantino Is Mind”. Por falar nesta dobradinha, o ator não poupou elogios ao companheiro de cena em diversos trabalhos. “Ele é um super artista. Além de ator, músico e cantor, ainda é extremamente gente fina. Para mim, o Seu Jorge é aquele cara que você ama estar junto e quer ter sempre por perto”, disse Selton.

Selton Mello esteve presente na primeira fila do desfile da Osklen, na SPFWN43 (Foto: Henrique Fonseca)

No entanto, para quem acredita que arte é só empolgação e amizade dentro e fora das câmeras… Selton Mello não desanima tanto. Apesar de este ser um momento complicado para muitos brasileiros, o ator garantiu que ainda não passou por tantas dificuldades para se produzir arte. “Eu acredito que a crise vai chegar a médio e longo prazo. Só depois de um tempo que vamos começar a sentir”, argumentou Selton que apontou mais que o fator econômico como explicação para o decréscimo nas salas de cinema. “As pessoas estão cada vez mais pensando duas vezes antes de ir ao cinema. Seja por causa da crise ou de serviços como Netflix ou NOW”, analisou.

O fato é que, seja na televisão, no filme, como diretor ou ator, Selton Mello é garantia de sucesso e bons comentário por onde passar. Para o futuro, o artista contou que tem mais novidades além da experiência na primeira fila da SPFW. Em agosto, Selton estreia na direção de “O Filme da Minha Vida” e, em janeiro, ele estará presente no elenco da minissérie “13 Dias Longe do Sol”, da Globo. “Essa dupla jornada acaba me dando uma dimensão bem ampla de tudo. Eu já me considero um diretor experiente e não sou mais novato. Na minha trajetória, acumulo três longas e três temporadas de ‘Sessão de Terapia’, fora os clipes e os programas. Já atuar é algo que eu faço desde criança, faz parte da minha vida”, comentou.

Pesquisas relacionadas