Cinema & TV

Com gargalos de audiência baixa, Globo patina numa pista de hipóteses

O que diz o mercado sobre o futuro de Angélica, de Fernanda Gentil, do "Bem Estar" e de horários problemáticos

Publicado em 20/03/2019 | Por Heloisa Tolipan

Até mesmo a mais poderosa das emissoras de TV brasileira precisa quebrar a cabeça para não patinar na audiência e  oxigenar a grade de programação. Lacunas como a do “Bem Estar”, do novo programa de Fernanda Gentil, da grade vespertina de sábado e do futuro de Angélica geram um emanharado de especulações, que só vem a corroborar que a Globo ainda monta um quebra-cabeças.

Prova das transformações está na própria cúpula da Globo com Mariano Boni, que passou de diretor-executivo de Jornalismo para diretor de gênero. Junto ao anúncio de sua troca de cargo, a rádio-corredor passou a já desenhar o possível futuro de Fernanda Gentil, que deixou a apresentação do “Esporte Espetacular” e agora aguarda em off uma vaga para entrar no ar pelo entretenimento da emissora.

Fernanda Gentil (Foto: Divulgação)

Especula-se que Fernanda encabece um programa diário, com plateia, jornalismo e humor – da própria apresentadora, diga-se de passagem. Ex-“Amor e Sexo”, Dani Gleiser foi escalada para dirigir o novo programa de Fernanda. Gleiser já dirigiu o “Esquenta” e “Tamanho Família” e está na Globo há quase 17 anos.

A Globo trata tudo em sigilo, mas fontes já especularam uma possibilidade de Gentil ocupar o horário matutino. No entanto, a grade da manhã está apertada, e, enquanto isso, a grade vespertina é hoje o maior problema da Globo, especialmente até a faixa das 15h, quando perde para o apelativo “Balanço Geral”, da Record TV.  Não importante quem fique de manhã – Gentil ou Fátima Bernardes – é entendimento já que é preciso alguém para combater o canal da Universal à tarde. Daí, saem os rumores de que Fernanda Gentil poderia ocupar o horário deixado pelo “Vídeo Show”.

Essas dúvidas, inclusive, estão jogando cada vez mais para frente a data de estreia da atração.

Enquanto isso, o “Bem Estar” – especializado em saúde – só preocupa e seu futuro é ameaçado. O programa é o patinho feio da programação, uma vez que não consegue alavancar a audiência que recebe de Ana Maria Braga – que já é menor do que “Bom Dia Praça” e “Bom Dia Brasil” – e, assim, prejudica o “Encontro”. É só reparar nos cortes que a Globo já fez: perdeu dez minutos para o “Mais Você” e, com dois intervalos comerciais de cinco minutos, caiu para 20. Já aconteceu do “Bem Estar” receber o Ibope com oito pontos e cair para seis assim que entra no ar.

Fernando Rocha e Mariana Ferrão: então apresentadores do “Bem Estar”, não são mais funcionários da TV Globo (Reprodução)

Na Bahia, foi pior: o programa saiu do ar. Lá, o “Jornal da Manhã” vai de 06h às 08h25, entrando para o “Bom dia Brasil”, que entrega para 09h25 ao “Mais Você”, que, em Salvador, entrega direto para Fátima Bernardes. O motivo? Não dava nem três pontos direito. Foi, então, ceifado. Trabalha-se com um cenário de que o”Bem Estar”, na melhor das hipóteses, será virar um quadro dentro de um programa maior.

Outro problema é a tarde sábado. Entre o “Jornal Hoje” e o “Caldeirão do Huck”, tentou-se de tudo desde que acabaram com o “Estrelas” de Angélica: filmes antigos, desenhos, “Sai de baixo” e enlatados de humor. Principalmente agora, que o SBT estreou o talk show de Maisa Silva que, no primeiro dia no ar, já liderou a audiência. Em paralelo, comenta-se que um novo programa para Angélica foi aprovado – e, na mesma toada da atração de Gentil – segue sob sigilo puro. O conteúdo está voltado para o comportamento, bate-papo com convidados e com a própria plateia – à la Hebe Camargo. O horário? Noites de quinta-feira…

Como se vê, com gargalos de audiência a resolver, a Globo patina numa série de hipóteses.

 

Pesquisas relacionadas