Cinema & TV

Canal Brasil: recorde de produções e coproduções no Festival do Rio

Doze filmes, entre longas e documentários, participarão das mostras

Publicado em 25/09/2013 | Por Heloisa Tolipan

O ano de 2013 vai entrar para a história do Canal Brasil. Além de completar 15 anos de atividade na TV e de incentivo ao cinema nacional, um recorde será batido durante o Festival do Rio com a exibição de 12 filmes, entre produções e coproduções da casa. Do total, quatro na Mostra Competitiva, dois na Mostra Novos Rumos e três na Mostra Hors Concours. As mostras Panorama do Cinema Mundial, Retratos e Dox exibem um filme cada.

O cinema, hoje, ocupa quase 70% da grade do canal.

Confira as 12 produções que estarão no Festival do Rio:

– Mostra Competitiva:

“Minutos Atrás”, de Caio Soh.

Sinopse: Alonso e Nildo seguem em uma estrada. A cada passo o tempo passa, nada acontece e eles não sabem onde chegarão. Eles estão em sua carroça, guiada pelo cavalo Ruminante. Correm contra o tempo, em seus últimos dias de vida. Alonso possui o dom das palavras e Nildo se encanta com um universo de possibilidades. Mas assim como as palavras e as ideias o seduzem, também o cansam. Durante o caminho, eles então começam a refletir sobre a vida, os caminhos que escolheram, seus arrependimentos e sonhos interrompidos. Percebem que a saudade que sentiam do passado de nada adiantou para guiar o futuro.

“A Farra do Circo”, de Roberto Berliner e Pedro Bronz.

Sinopse: Mostrando pela primeira vez material filmado por Roberto Berliner na década de 80, A farra do circo é um filme sobre a geração que formou o Circo Voador, a usina de sonhos. Do calçadão do Arpoador em 1982 até sua viagem para a Copa do México em 1986, passando por uma noite inesquecível na Lapa, o filme mostra a geração que revolucionou a cena cultural brasileira.

“Cidade de Deus – 10 Anos Depois”, de Cavi Borges e Luciano Vidigal;

Sinopse: Cidade de Deus – 10 anos depois investiga o destino dos atores que participaram do premiado filme dirigido por Fernando Meirelles e Katia Lund. Este documentário mostra os diferentes resultados, fruto do sucesso mundial do filme Cidade de Deus, na vida de cada um deles. Será que os atores estavam preparados para o sucesso do filme? Será que a condição social de alguns deles foi mais forte do que a oportunidade que tiveram?

 

“Conversa com JH”, de Ernesto Rodrigues;

Um mergulho inédito e desconcertante nas fronteiras éticas, psicológicas e profissionais da relação entre biógrafos e biografados, a partir da experiência do jornalista e escritor Ernesto Rodrigues, autor da biografia Jogo duro – A história de João Havelange. O documentário, além de revelar um lado desconhecido do ex-presidente da FIFA, expõe e coloca em discussão os conflitos ocorridos quando Ernesto cumpriu o compromisso de mostrar a Havelange os originais do livro.

 

– Mostra Novos Rumos:

“O Rio Nos Pertence”, de Ricardo Pretti; “O Uivo da Gaita”, de Bruno Safadi.

Depois de receber um estranho cartão-postal, Marina, uma jovem de 30 anos, decide voltar ao Rio de Janeiro, sua cidade natal, depois de uma ausência de 10 anos. Marina não sabe exatamente por que voltou: busca respostas para acontecimentos estranhos, mas tudo aparenta ser cada vez mais confuso. O Rio de Janeiro parece estar sob um misterioso feitiço. O filme faz parte da Operação Sonia Silk, série de três filmes de longa-metragem produzidos de forma cooperativa, com mesmo elenco e equipe, coproduzidos pelo Canal Brasil e Teleimage. Festival de Roterdã 2013.

– Mostra Hors Concours:

“Educação Sentimental”, de Julio Bressane;

Depois de receber um estranho cartão-postal, Marina, uma jovem de 30 anos, decide voltar ao Rio de Janeiro, sua cidade natal, depois de uma ausência de 10 anos. Marina não sabe exatamente por que voltou: busca respostas para acontecimentos estranhos, mas tudo aparenta ser cada vez mais confuso. O Rio de Janeiro parece estar sob um misterioso feitiço. O filme faz parte da Operação Sonia Silk, série de três filmes de longa-metragem produzidos de forma cooperativa, com mesmo elenco e equipe, coproduzidos pelo Canal Brasil e Teleimage. Festival de Roterdã 2013.

“Gata Velha Ainda Mia”, de Rafael Primot;

Gloria Polk, uma escritora decadente e amarga, resolve finalmente abrir sua casa e dar uma entrevista a Carol, a jovem jornalista que mora em seu prédio, para falar de sua volta à literatura após um longo jejum. Um filme sobre mulheres, as dificuldades de se relacionar, de envelhecer e ainda sobre o enlouquecedor processo de criação dos escritores.

“Cauby – Começaria Tudo Outra Vez”, de Nelson Honeiff;

O documentário discorre sobre a trajetória do grande intérprete brasileiro, Cauby Peixoto. O filme se estrutura sobre três grandes pilares: a ideia do eterno recomeço, expressa na maior parte do repertório do cantor; o seu modelo de interpretação, cuja atemporalidade é singular na música popular brasileira; e a sinergia entre artista-plateia-personagem que transcende gerações, fazendo de Cauby, em vida, uma personalidade legendária.

– Mostra Retratos:

Mazzaropi, de Celso Sabadin;

A vida e a obra de Amácio Mazzaropi. Tido como o maior cômico do cinema brasileiro, ele foi o único artista que conseguiu ficar milionário fazendo cinema no Brasil, e transformou em realidade o sonho da indústria cinematográfica nacional com produções populares que foram fenômeno de público por mais de três décadas.

– Mostra Panorama do Cinema Mundial:

“Mão na Luva”, de José Joffily e Roberto Bontempo;

Lúcio e Sílvia decidem se separar depois de 13 anos de vida em comum. A última noite sob o mesmo teto é marcada por acusações, revelações e também pelas lembranças de um casal tão apaixonado que, pelo entendimento perfeito, lembrava o encaixe de uma mão na luva. Eles vivem em uma noite o dilema dos grandes apaixonados: não conseguem viver juntos e tampouco separados.

– Mostra Dox:

“Setenta”, de Emilia Silveira.

Na década de 70 no Brasil, em pleno regime militar, um grupo de 70 presos políticos de diferentes organizações é enviado ao Chile em troca da libertação do embaixador suíço. O documentário Setenta reencontra esses personagens 40 anos depois do banimento. Quem são eles? Como eles veem o passado? Que sonhos têm para o futuro? Como sobreviveram e como vivem?

Pesquisas relacionadas