Cinema & TV

Anderson Di Rizzi, no ar em “A dona do pedaço”, fala sobre arte: “É luta diária colocar de pé os projetos”

O ator com quase 20 anos de estrada, vive seu melhor momento profissional com trabalhos de grande destaque na TV, no teatro e no cinema

Publicado em 23/08/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Domênica Soares

Na novela “A Dona do Pedaço”, Anderson Di Rizzi interpreta Márcio, diretor da fábrica de bolos da Maria da Paz, protagonista da trama vivida pela atriz Juliana Paes. Márcio é um homem que tem seu amor disputado por Kim (Monica Iozzi) e Silvia (Lucy Ramos). Sua atuação é excelente. No primeiro semestre do ano, o ator esteve em cartaz com a peça premiada “Um beijo em Franz Kafka” e, em 2020, irá estrear o longa-metragem “O segundo homem”, que teve algumas de suas primeiras cenas rodadas em Paris. Para completar o bom momento que o artista vive, ele ainda ganhou um presente: Matteo, o segundo filho, irmão de Helena de dois anos, ambos frutos da união com Tais Galante.

Pai da Helena e do Matteo, Anderson fala sobre paternidade e carreira (Foto: Sergio Baia| Make: Dennya Carvalho | Styling: Lili Garcia e Gerson Passos Jr)

Em entrevista exclusiva ao site Heloisa Tolipan, o ator comenta que esse momento está sendo incrível e que participar do projeto da novela tem gerado muito aprendizado na sua vida, ainda mais com o público, que oferece frequentemente um feddback positivo. Para ele, ter esse reconhecimento é um fator muito valioso. “Todo personagem novo é um desafio que se apresenta e eu gosto de me preparar com antecedência, pesquiso, faço laboratório e com Márcio não foi diferente. Na novela estou tendo, mais uma vez, a oportunidade de contracenar com grandes artistas, a Juliana, a Mônica, Lucy, Marcos Palmeira, Reinaldo, o Ary, tem sido incrível. Eu diria que hoje, na minha sexta novela, eu me vejo menos ansioso e menos chato comigo. Aprendi a lidar com a minha cobrança, apresento atitudes novas que, às vezes, não funcionam para aquela cena específica, mas está tudo certo, vamos para a próxima. Não fico me cobrando tanto como antes. E com esse personagem está sendo muito bacana. Viver essas duas vertentes dele, ora divertido e outra cena mais séria. Tem dado certo e a novela é um sucesso”.

A disputa de amor vivida pelo personagem Márcio gerou um burburinho enorme nas redes sociais e essa interação e receptividade faz toda diferença na sua carreira. O ator diz que seu personagem tem tido um papel muito importante neste momento da trama no qual Maria da Paz começa a entender quem de fato é sua filha, Josiane (Agatha Moreira), e além disso, antecipa que os momentos mais divertidos com a Kim vão continuar acontecendo e dando o que falar por aí. Sobre as últimas cenas que sugeriram que uma relação a três ele comenta: “A novela também faz o papel de entreter e divertir com cenas inusitadas e que são meramente ficção, então, neste cenário, o que posso dizer é tudo pode acontecer. Tem sido divertido acompanhar as reações do público quando se trata de Márcio, Kim e Silvia. Vamos aguardar para ver o que o Walcyr Carrasco está preparando. Agora, sobre o que eu acho de três pessoas se gostarem? Eu acredito que quando há consentimento, amor e respeito, não vejo como problema. Cada um sabe de si”. Para ele, viver tudo isso compõe cada vez mais sua caminhada como ator visto que todo trabalho novo traz consigo uma bagagem e ensinamento. “O Márcio, por exemplo, me trouxe um desafio importante: as nuances do personagem que, ora é divertido e tem uma pegada mais cômica e, em outros momentos, é extremamente sério e concentrado e ajuda a protagonista nas decisões mais importantes. Isso para um ator é incrível e muito motivador. Só tenho a agradecer ao Walcyr Carrasco e todo time que tem feito um trabalho incrível”.

Em paralelo o ator estava em cartaz com peça premiada e já gravava um longa metragem para 2020 (Foto: Sergio Baia Make: Dennya Carvalho | Styling: Lili Garcia e Gerson Passos Jr)

Anderson fala um pouco sobre sua trajetória de quase 20 anos e afirma que tem muitos papéis e trabalhos que ainda deseja realizar em sua vida. O ator sempre está interessado em personagens que o façam crescer e viver de sua paixão de atuar, seja na TV, teatro ou no cinema. Ele divide que gostaria de interpretar mais papéis dramáticos na televisão, visto que nos outros holofotes isso já vem acontecendo, e então seu desejo de expansão nessa área torna-se maior, contando que com o Márcio em “A dona do pedaço” ele tem tido oportunidade de mostrar mais esse lado.

Sobre os próximos passos de sua carreira ele comenta que no teatro estará de volta em cartaz, até o início de outubro, com a peça premiada  “Um beijo em Franz Kafka”, no teatro Petra Gold, que reestreia no dia 6 de setembro, no qual interpretou “Max Brod”, um personagem mais denso e dramático. Ele lembra também que tem um longa metragem para finalizar, “O segundo homem”, de Thiago Luciano, no qual faz o protagonista totalmente diferente de todos os seus trabalhos na arte. A produção conta também com a maravilhosa atriz Lucy Ramos e Pedro Carvalho também está no elenco. O filme fala sobre a legião estrangeira francesa, e será lançado em Portugal também. “No longa, interpreto um soldado, que vive um momento delicado com a família por conta do seu desejo de fazer parte de uma legião estrangeira e acaba indo para fora do país. Ele vai se transformando ao longo da trama, e isso tem sido muito enriquecedor como ator. Até por conta desse personagem, preparei meu corpo para um físico mais definido e, como ainda vou finalizar o longa, preciso manter este físico”, diz.

Anderson Di Rizzi está no ar em “A dona do pedaço” (Foto: Sergio Baia | Make: Dennya Carvalho | Styling: Lili Garcia e Gerson Passos Jr)

O ator conta que seus aprendizados são frequentes em todos os trabalhos que realiza, tanto com diretores, colegas e até mesmo em relação aos feedbacks do público, sejam eles construtivos ou destrutivos. Anderson reflete também sobre o mercado da arte no Brasil e diz que o cenário está cada vez mais difícil em sua opinião. “Estou em cartaz com uma peça, com produção grande, e sem patrocínio. Tivemos que esperar para dar continuidade à filmagem do longa por conta de falta de verba. É uma luta diária para colocarmos de pé os projetos, mas vamos em frente, a arte precisa continuar a existir e fico feliz de estar atuando em projetos tão bacanas”, afirma.

O pai de Helena e Matteo também fala que o sentimento de ter filhos o fez adquirir um olhar diferente para a vida. “Hoje, tudo eu acabo pensando primeiro nos meus filhos. Tem dois pequenos em casa que precisam de mim. Então, preciso estar bem por eles. É um amor diferente, eu sempre digo que a única pessoa que você daria a vida seria por um filho. E esse amor reflete em toda a minha vida”, conclui.

Pesquisas relacionadas