ToliBlog

Lucas Salles, repórter do “CQC”, é agredido com soco no rosto enquanto entrevistava hater: “Bandido bom é bandido morto”, falou o agressor

O jornalista questionava um arquiteto que defendeu em rede social a ação que resultou na morte de 19 pessoas em Osasco, em agosto deste ano

Publicado em 05/09/2015 | Por Lucas Rezende

Mais um episódio triste manchou a liberdade da imprensa nesta sexta-feira (04) e reforçou a intolerância na nossa sociedade. O jornalista Lucas Salles, repórter do “Custe o que custar” , da  Band, foi agredido com um soco no rosto enquanto entrevistava um homem na Grande São Paulo. Lucas tinha a tarefa de conversar com o autor de mensagens defendendo a Chacina de Osasco, ocorrida no dia 13 de agosto de 2015. Nesta data, 18 pessoas foram mortas e sete ficaram feridas em ataques realizados por indivíduos armados em 10 lugares nas cidades de Barueri e Osasco. Por meio de seu Twitter, o tal homem – sem nome identificado – generalizou todos os mortos como criminosos e elogiou os supostos policiais envolvidos na ação: “Bandido bom é bandido morto”, escreveu. Esse tipo de comportamento, cada vez mais crescente na web, é conhecido como ação de “hater”, termo usado para definir pessoas que postam comentários de ódio ou crítica.

Em uma calçada e ao lado do tal homem, Lucas Salles perguntou se ele achava que bandido tinha de morrer. Diante da resposta positiva, o repórter questionou se ele acreditava em recuperação. Após ouvir um “não”, Lucas ironizou: “Também não acredito, porque estou conversando com você e achei que você melhoraria depois dessa conversa”. O repórter não conseguiu completar a frase, sendo atingindo em cheio por um soco no rosto. As imagens foram gravadas e serão exibidas na próxima segunda-feira (07) durante o “Custe o que custar”. Lucas Salles foi levado ao Hospital Santa Paula, na Vila Olímpia, em São Paulo, mas passa bem. Nem o jornalista, nem a emissora se posicionaram publicamente.

 

O momento exato em que o repórter é agredido (Foto: Reprodução do Youtube)

O momento exato em que o repórter é agredido (Foto: Reprodução do Youtube)

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que um repórter do “CQC” é agredido enquanto apura uma notícia. Guga Noblat já foi agredido enquanto denunciava uma prefeitura municipal, Felipe Andreolli enquanto questionava um parlamentar no Congresso Nacional e Ronald Rios durante a cobertura de um clássico entre São Paulo e Corinthians. Play já!

Pesquisas relacionadas