ToliBlog

Klara Castanho revela já ter sentido vergonha de seu corpo e lamenta: “Ser mulher, na sociedade, é muito difícil”

Aos 19 anos e tendo crescido diante dos olhos do público, a atriz conta que teve momentos de crise com seu biotipo: "Eu via as modelos de 1,80, com a barriga chapada, com corpos perfeitos, medidas perfeitas e não gostava do que via no espelho"

Publicado em 15/10/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

Crescer diante dos olhos do público não é facil. Klara Castanho estreou na televisão em 2009, quando tinha apenas nove anos, em “Viver a vida”, de Manoel Carlos. De lá para cá, emendou trabalhos mas, mesmo assim, quem a vê ainda se surpreende. Aos 19 anos, a atriz revelou que passou a adolescência desejando um corpo impossível de se conquistar por causa do seu biotipo. “Essa coisa de não olhar no espelho é muito real. Para mim, foi. Foi a partir de 2013 que comecei a me entender mais mulher. Vi que meu corpo começou a mudar. Então era uma coisa de querer parecer com alguém, de querer estar daquele jeito, do meu peito ser daquele tamanho, da minha cintura ser fina desse jeito, aí entrei numa pilha muito grande de querer me ajustar no que eu via nas modelos. E via que as meninas da minha idade também sentiam a mesma coisa”, conta. “Só entendi que eu podia ser bonita quando aceitei o que eu via no espelho e não quis parecer ninguém. É muito difícil você não querer mudar nada. Tem dias que acordo e me acho lindíssima, mas, tem dias, que acordo e falo: ‘Putz grila, que horror’. É um trabalho constante”, confessa.

Klara Castanho (Foto: Reprodução/Instagram)

A atriz conta que a conversa franca com os pais é fundamental nesse processo. “Eu sentei com a minha mãe e falei: ‘Não consigo gostar do que eu vejo. Não dá. Não é isso que eu quero’. Porque eu via as modelos de 1,80, com a barriga chapada, com corpos perfeitos, medidas perfeitas. Tenho o estômago alto, não vai adiantar querer parecer com uma pessoa que tem a barriga chapada. Não vai adiantar querer ter a perna gigantesca”, diz ela, que ressalta a cobrança ainda maior entre as meninas. “Existe uma pressão muito maior para as mulheres. Nos homens é difícil que exista uma pressão visual. Ser mulher na sociedade é muito difícil. Vi meninas de 12 anos vindo me falar que queriam parecer com o que eu estava mostrando, que queriam que o corpo delas fossem daquele jeito. Com 12 anos, você não tem nem proximidade do que seu corpo vai ser. A gente quer, tão cedo, parecer mais velha, quer tanto se encaixar no que é uma mulher bonita, que a gente entra num looping infinito de cobranças”, lamenta.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Algum tempo atrás, Klara compartilhou uma foto de biquíni em suas redes sociais e falou sobre o assunto: “Entendi que não sou igual a ninguém e ninguém é igual a mim. Eu vou entender que eu sou bonita de algum jeito, que eu gosto de mim de algum jeito, de um jeito menos. Não tem como me comparar, porque eu não vou ter o que o outro tem porque eu simplesmente quero ter. A gente tem que se amar como a gente é. E é difícil falar isso e é muito clichê, mas é necessário”, comentou, na época.

Pesquisas relacionadas