ToliBlog

Isabella Fiorentino marca presença no SPFW e conta: “Fui convidada a desfilar e confesso que fiquei tentada, mas já passou minha fase”

A top e apresentadora ainda concilia a rotina agitada com a maternidade. “Um homem nunca conseguiria fazer o que nós fazemos. Mulher tem que ter muito ânimo”

Publicado em 29/04/2016 | Por Karina Kuperman

Mãe de trigêmeos, corpo impecável, referência na moda e apresentadora do programa “Esquadrão da moda”, no SBT. A rotina de Isabella Fiorentino é cheia, mas ela ainda arranjou tempo para prestigiar seus estilistas preferidos durante a 41ª edição do São Paulo Fashion Week. Depois de assistir ao desfile da GIG Couture, a top mal conseguia sair da sala de desfiles, tamanho o assédio. Mas ela garantiu: ama o carinho do público. “Até me convidaram para desfilar, mas eu não aceitei. Fiquei meio tentada, confesso, mas já passou minha fase. Não tenho mais o corpo de modelo, eu ia olhar e rir para todo mundo, porque já conheço o pessoal”, explicou ela, que revelou que voltaria às passarelas em uma situação especial: “Se tivesse um desfile com as meninas da minha geração, eu faria, sem sombra de dúvidas”.

Isabella Fiorentino no SPFW (Foto: Raphael Castello/AgNews)

Isabella Fiorentino no SPFW (Foto: Raphael Castello/AgNews)

Enquanto isso não acontece, Isabella fica admirando as novatas da fila A: “Sou péssima para decorar os nomes das modelos, sei as que eu sou fã. A Ari Westphal, por exemplo, que é linda”, citou. E que conselho a top daria para uma menina que está começando? “Olha, eu realmente não sei dizer, porque não tenho ideia de como tudo funciona hoje. Não sei, elas tem redes sociais? Na minha época era composite”, lembrou. E quem melhor do que ela, expert em moda, para comentar a aproximação da semana fashion com o varejo? “É para driblar a crise. A moda é imediatista, uma compra de impulso. Com as redes sociais a gente olha e já quer. Pensa que hoje as pessoas vendem pela internet! Eu mesma já comprei assim mil vezes. Isso é bom para pegar o furor do lançamento. As pessoas querem aquilo, se deixar passar muito, esse sentimento vai acabando. Eu, como consumidora e como alguém que está no meio há muitos anos, achei incrível”, analisou.

 A top contou que chegou a receber convite para desfilar, mas recusou (Foto: Raphael Castello/AgNews)

A top contou que chegou a receber convite para desfilar, mas recusou (Foto: Raphael Castello/AgNews)

Boa compradora, mas nada apegada… “Faço muitas limpas no meu guarda-roupa. Adoro fazer ele circular e se movimentar”, contou ela, que mudou o estilo após a maternidade. “Amo cor e vestidos e, depois que tive os meninos, tenho usado muitas calças, sapatos baixos, tênis e rasteiras. É raríssimo eu usar salto, só em eventos ou no programa”, disse. O programa, aliás, é motivo de muita alegria para Isabella: “Eu amo demais apresentar. É incrível falar com as pessoas, gosto que elas se inspirem em mim, seja no modo como me visto ou algo que eu diga. O ‘Esquadrão da moda’ também resgata a autoestima de quem está para baixo, seja por problemas financeiros, com filhos, em casa. A moda tem essa importância – não o fato de consumir e gastar, mas de conhecer seu corpo e usar peças a seu favor”, explicou.

Com uma rotina agitada, ela disse que se distanciou totalmente de baladas e festas. “Tem muita gente que fala que eu estou caída porque não gosto de sair de noite, mas eu acordo às 6h, aonde isso é ser caída? Odeio a fumaceira de cigarro, gente louca e tenho certeza que nem por isso eu deixo de ser moderna”, garantiu. E não mesmo: “Um homem nunca conseguiria fazer o que nós fazemos. Agora, por exemplo, eu saio daqui, vou direto buscar os meus filhos que estão com a minha mãe, eles tem uma festinha, o marido está em casa… a gente se vira. Mulher tem que ter muito ânimo”, disse. Ela tem de sobra.

Pesquisas relacionadas