Quotes

José Mayer é oficialmente dispensado da Rede Globo, depois de Aguinaldo Silva pedir a volta do ator às novelas

O autor defende José Mayer desde o início do caso, em 2017: "Todos cometem erros… e não será um bando de oportunistas que vai apagar a sua estrela!"

Publicado em 16/01/2019 | Por Leticia Sabbatini

O ator José Mayer segue afastado da emissora Rede Globo desde 2017, quando foi acusado de assédio, e de acordo com a emissora, esse afastamento agora é definitivo. Depois de mais de 35 anos na empresa, o seu contrato de trabalho venceu ao final de 2018 e não foi renovado. Segundo a Globo, a decisão foi tomada em comum acordo com o ator. Há quase dois anos, o seu afastamento foi provocado pela denúncia da figurinista Susllem Tonani, que escreveu em um longo texto, publicado na Folha de São Paulo, os diversos episódios em que se sentiu constrangida pelo ator. Hoje, o caso segue sem resoluções, devido à ausência da jovem no processo de depoimento oficial. Na manhã de ontem (14/01), antes da emissora anunciar o desligamento de Mayer, o autor de “O Sétimo Guardião”, Aguinaldo Silva, pediu o retorno do ator à Globo, por sua conta pessoal no Twitter. O site HT te conta tudo agora!

O ator, afastado da Rede Globo desde a denúncia de assédio em 2017,  foi oficialmente dispensado da emissora, após o término do seu contrato(Foto: Reprodução)

Depois do longo período em que o ator ficou longe das telinhas, a Rede Globo finalmente atualizou os telespectadores sobre o caso. O contrato de Mayer, vencido em dezembro de 2018, não foi renovado, depois de ambas as partes entenderem que essa é a melhor decisão, de acordo com a emissora. Em comunicado feito ontem, a Globo anunciou o fim desse laço: “Depois de mais de 35 anos de uma trajetória iniciada na novela ‘Guerra dos Sexos’, em 1983, com participação em mais de 40 obras, entre novelas, séries, minisséries e especiais, a Globo e o ator José Mayer informam o fim da parceria, de comum acordo, no final de 2018″.

Na época interpretando o machista Sebastião Bezerra, em “A Lei do Amor”, José Mayer já estava escalado para o elenco de “O Sétimo Guardião”, atual novela das 9, quando o caso veio à tona. Sem dar o braço a torcer, o autor e amigo Aguinaldo Silva criticou o afastamento do ator pelas redes sociais, antes mesmo de qualquer investigação. Em uma imagem no Facebook, Aguinaldo escreveu: “Força, Zé! Todos cometem erros… e não será um bando de oportunistas que vai apagar a sua estrela!”. Na última segunda-feira (14/01), antes do desligamento oficial,  o autor voltou a se pronunciar sobre a ausência de Mayer, que já trabalhou com ele em novelas como “Tieta”, “Senhora do Destino” e “Império”. No Twitter, publicou a seguinte mensagem: “Não há crime se não há queixa à polícia nem denúncia na Justiça, por isso… VOLTA, JOSÉ MAYER!”. Pelos comentários, os seguidores de Aguinaldo concordaram com o autor, disparando elogios por sua “clareza” e “decência”.

Há quem não lembre, mas depois do relato de Su Tonani à imprensa, muitos artistas se posicionaram, sobretudo as mulheres. Por meio da campanha “Mexeu com uma, mexeu com todas”, figurinistas, atrizes, diretoras, cantoras e funcionárias da Rede Globo demonstraram apoio à vitima pelas redes sociais, divulgando a insatisfação para com os recorrentes casos de assédio. Nomes como Sophie Charlotte, Nathalia Dill e Drica Moraes vestiram camisetas com a frase que deu nome à campanha, aumentando ainda mais a repercussão do caso e fazendo com que o ator fosse à época suspenso por tempo indeterminado da emissora.

Pelo Twitter, Aguinaldo Silva manifestou apoio ao amigo José Mayer

Por motivos pessoais, porém, a figurinista não conseguiu seguir adiante com a denúncia. Depois de faltar a uma série de depoimentos, que dariam continuidade ao caso, ela se pronunciou afirmando que não desejava formalizar o primeiro relato. Algum tempo depois, em agosto de 2018, a jovem revelou, em uma palestra organizada pela OAB-RJ, o que a levou a desistir da denúncia: “Se em algum momento pensei em entrar com um processo e ir para vias jurídicas fui extremamente inibida por um delegado logo após a minha denúncia. Então, imagina, mesmo sendo tão bem recebida e tendo toda essa rede de apoio ainda teve um delegado que me perseguiu, imagina tendo que passar mais seis anos da minha vida tendo que falar para um judiciário machista o que havia acontecido”.

Pesquisas relacionadas