Quotes

Governador conservador americano pede desculpas a militantes LGBTQs pela conduta homofóbica de seus colaboradores

No estado de Utah, um dos mais conservadores dos EUA, manifestantes conseguem derrubar a ‘cura gay’

Publicado em 08/03/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Jeff Lessa

Um protesto diante do gabinete do governador republicano Gary Herbert, do estado de Utah, obteve resultado positivo: por incrível que pareça, o político decidiu escrever uma carta a seus colaboradores chamando a atenção para suas práticas homofóbicas.

Marcha por direitos LGBTQ em Utah – Jonathan Hull – Flickr Creative Commons

Tudo começou com a HB399, uma lei que determinava o fim da chamada “terapia de conversão”, processo pelo qual se tentava obter a “cura gay”. Geralmente a tal “cura” se dava através de práticas religiosas e já havia sido denunciada como “tortura improdutiva” pela comunidade médica.

Apesar de todas as evidências da inutilidade da terapia reunidas tanto pelos médicos quanto por militantes LGBTQs, a representante do Comitê Judiciário Republicano, Karianne Lisonbee, ignorou a lei e permitiu a continuidade da prática abusiva no estado.

Em uma carta para a comunidade LGBTQ, o governador afirmou que sentia remorso e pediu desculpas.

“Vocês merecem a nossa ajuda”, escreveu. “E merecem um futuro em que se sintam seguros, bem-vindos e amados em nosso estado. Tivemos um enorme mal-entendido e peço que me perdoem. Estou pronto para garantir a implantação de diretrizes que protejam nossa juventude LGBTQ”, disse. “Eu os convido a trabalhar conosco na legislação bem como todos os envolvidos para protegê-los e acabar com as práticas abusivas no estado de Utah.”

A lei permitia que a “conversão” fosse aplicada a menores, inclusive àqueles com questões envolvendo identidade de gênero.

O estado de Utah é considerado um dos mais conservadores dos Estados Unidos. Também detém uma das taxas de suicídio mais elevadas do país – números geralmente atribuídos às hostilidades entre a comunidade queer, o governo e a Igreja dos Santos dos Últimos Dias, que domina a vida pública na região.

Segundo a terapeuta sexual Kristin Hodson, apesar de toda a repressão histórica, o número de homens que têm relações sexuais com outros homens vem aumentando em Utah. “As pessoas estão cansadas de ouvir instituições como a Igreja e a Lei determinando o que elas podem ou não fazer”, acredita. “Quando você é mórmon, sua sexualidade é definida para você e as regras são estabelecidas no momento em que você nasce. Você é hétero, ou vão dizer que é só uma atração e que você pode superar isso”.

A terapeuta conta que muitos homens têm procurado seu consultório para falar de seu desejo por outros homens. “Não é porque sejam gays. É porque querem ter essa experiência”, diz. “Isso desloca a sexualidade do binário. Uma vez que as pessoas deixam de ter medo ou vergonha de seus desejos, elas passam a praticar sexo de maneiras mais seguras”.

Só nos resta esperar que pessoas como o governador e a doutora sejam ouvidas por aqui, não?

O estado de Utah é considerado um dos mais conservadores dos Estados Unidos

Pesquisas relacionadas