Quotes

Confusão nos bastidores: Thammy Miranda e o diretor da peça “T.R.A.N.S.”, Carlos Verahnai, trocam acusações na internet sobre o fim da temporada no Rio

Enquanto Carlos Verahnai afirmou ao site UOL que a razão seria a baixa bilheteria por seção, entre 15 e 20 pessoas, de acordo com o diretor, Thammy deu outra justificativa. Segundo o ator, o cancelamento do espetáculo foi por motivo de “falta de caráter do diretor”

Publicado em 19/06/2017 | Por Julia Pimentel

Nem tudo são flores no meio artístico. A novidade da vez é o disse me disse na peça “T.R.A.N.S.”, envolvendo o ator Thammy Miranda e o produtor e diretor Carlos Verahnai. O espetáculo, que estreou no Rio no dia 31 e ficaria até 2 de julho, não está mais em cartaz no Teatro Glauce Rocha por problemas nos bastidores. Enquanto Carlos Verahnai afirma que a razão seria a baixa bilheteria por seção, entre 15 e 20 pessoas, de acordo com o diretor, Thammy deu outra justificativa. Segundo o ator, o cancelamento do espetáculo foi por motivo de “falta de caráter do diretor”. As declarações de ambos os envolvidos foram publicadas através de vídeos em seus perfis no Facebook. O relato de Thammy Miranda foi compartilhado no sábado à noite e o de Carlos, no domingo, como “um esclarecimento e defesa a algumas mentiras e maldades”.

Leia também: Thammy Miranda estreia no teatro como surfista machista e conta sobre seus projetos, sonhos e experiências no mundo real e virtual: “Se me perturbar, eu bloqueio”

A confusão instaurada na peça “T.R.A.N.S”, que também tem Andressa Ferreira, namorada de Thammy Miranda, no elenco, vem desde a primeira apresentação em uma mostra em Tiradentes, em Minas Gerais. Na ocasião, Thammy disse que Carlos Verahnai havia afirmado que o espetáculo seria apenas para a divulgação da peça. Porém, de acordo com o ator, o diretor ganhou R$ 6 mil pela apresentação. “Fizemos uma participação na Mostra de Tiradentes, em Minas Gerais, e o diretor falou para gente que seria tudo de graça, só para divulgação, mas acabamos descobrindo que ele ganhou 6 mil reais. Depois, ele falou que a Funarte iria ganhar 40% da bilheteria, inclusive eu tenho áudios dele falando isso, mas a Funarte ganha só 10%. Percebemos mentira atrás de mentira. Não só eu e a Andressa estamos com problemas com o Carlos Verahnai, toda a equipe está com problema com ele”, disse Thammy que afirmou que a equipe da peça irá “entrar com uma ação conjunta contra o Carlos”.

Outro ponto desta confusão entre Thammy Miranda e Carlos Verahnai está, segundo o diretor, na ingratidão e falta de conhecimento do que é fazer teatro por parte dos atores. Para Carlos, Thammy, que estava estreando nos palcos na peça “T.R.A.N.S.” desconhece o que é essa arte. “Fazer teatro é muito difícil. Nem Thammy, nem Andressa fazem ideia do que é teatro. Faltavam aos ensaios, chegavam aos ensaios cansados, ensaiavam tudo meia-bomba… O espetáculo estava todo meia-bomba. E eu estava sofrendo com o artístico do espetáculo. (…) Estou muito triste com a ingratidão de pessoas que não sabem o que é fazer teatro neste país”, disse o diretor.

Nisso tudo, entre boatos e acusações, o certo é que “T.R.A.N.S.” não está mais em cartaz no Teatro Glauce Rocha. Se por um lado foi desistência e por outro falta de caráter, o fato é que a crise brasileira também influenciou no fim da peça. Com menos de 20 pessoas por seção, segundo a declaração de Carlos Verahnai, a bilheteria da peça decepcionou o trio. “É duro fazer teatro, é duro esperar uma bilheteria e a bilheteria não vir. Aí, vem uma pessoa que estreia no teatro e, sem o mínimo de humildade, acusa a mim… Eu quero que eles se retratem perante a justiça, sim. O que eles estão fazendo é muito sério. Dei a oportunidade deles fazerem teatro, que é uma arte antiga, milenar… Eles que acabaram com o espetáculo, eles que desistiram. A peça foi abortada por eles. Eles não foram profissionais”, desabafou Carlos.

 

Pesquisas relacionadas