Quotes

40 Graus em Natal: indústria calçadista mostra em feira o que os brasileiros usarão como acessórios durante a Copa do Mundo!

O site do Sebrae anunciou há tempos que o PIB do setor de Couro e Calçados, no Brasil, deverá crescer 2,61% em virtude da realização da Copa do Mundo de 2014

Publicado em 16/03/2014 | Por Heloisa Tolipan

O site do Sebrae anunciou há tempos que o PIB do setor de Couro e Calçados, no Brasil, deverá crescer 2,61% em virtude da realização da Copa do Mundo de 2014. Lá dizia: “O impacto estimado é de R$ 242,70 milhões. Esse é um dos resultados das análises publicadas na série Brasil Sustentável, resultado de parceria  da Ernst & Young com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que traz como tema os Impactos Socioeconômicos da Copa do Mundo 2014”.

Quando organizou em novembro passado a Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios, em Gramado/RS, o diretor da Merkator Feiras e EventosFrederico Pletsch, já havia comentado:  “Teremos milhares de turistas nas cidades nas quais os jogos serão realizados e, certamente, estas pessoas terão chances de consumir as criações da indústria calçadista. Sejam elas voltadas diretamente para o tema em seu design ou não”. Com certeza!

Mas, é claro que a indústria calçadista que participou da 40 Graus – Feira de Calçados e Acessórios, em Natal (RN) estava atenta a este filão já que os jogos estão quase aí batendo à nossa porta. Só para dar um exemplo do que vimos nos estandes, a Semax Brasil, além de levar seu portfólio de produtos para a segunda edição da 40 Graus direcionados  exclusivamente para as regiões Norte e Nordeste, incluiu a linha oficial da Copa do Mundo feita em parceria com a Globo Marcas e dentro dos padrões exigidos pela FIFA. Tudo para atender os mais diversificados gostos perfis e ocasiões do dia a dia.

A Converse desenvolveu uma linha repleta de modelos nos quais o verde, amarelo, azul e branco (as cores da nossa bandeira) estarão presentes. São mais de 30 modelos e  os sneakers apresentam detalhes que celebram a brasilidade como o primeiro ilhós em dourado e uma pequena bandeira brasileira no calcanhar.

Confira ainda o que vimos na 40 Graus voltado para a Copa do Mundo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leia mais aqui sobre a 40 Graus, que movimentou Natal, capital do Rio Grande do Norte:

Todos os holofotes para a 40 Graus, em Natal: feira de calçados e acessórios da indústria do Sul faz a moda ser plural e ganha chancela de atender o Norte e Nordeste

Deu certo! A indústria calçadista do Sul do país subiu o Trópico de Capricórnio pela segunda vez e realizou em  Natal (RN) a 40 Graus – Feira de Calçados e Acessórios sob organização da Merkator Feiras e Eventos, responsável também pela Zero Grau – Salão de Tendências em Calçados e Acessórios, em Gramado, no Rio Grande do Sul. E a gente conferiu in loco a importância de se deslocar o holofote para novos palcos na medida em que a feira se consolidou como um grande evento para o varejo do Norte e Nordeste do país. A frase  mais contundente de Frederico Pletsch, diretor da Merkator –  “as empresas calçadistas souberam trazer coleções específicas para o varejo local” – foi corroborada com as negociações entre expositores e lojistas, que foram até a capital do Rio Grande do Norte para abastecer o comércio, que deve bombar em datas como Dia das Mães, Festas Juninas e Dia dos Namorados. Com a inciativa dessa feira, a indústria calçadista conseguiu entender o desejo do consumidor local, considerando as condições climáticas das regiões Norte e Nordeste. E, abrindo mão da ditadura das semanas de moda lançadoras de tendências, foi capaz de produzir novas coleções para lugares onde o Verão é a tônica quase o ano inteiro.

O abastecimento destes mercados e o relacionamento estreito da indústria de acessórios do Sul do país com o varejo dessas regiões – que, por sua vez, atenderá o consumidor final com perfis de classes sociais de A a Z – mostra, mais uma vez, o que venho constatando e frisando em várias matérias: existe algo além do tal mundo da moda empírico, conceitual, hermético, vanguardista para poucos. Estamos às vésperas da São Paulo Fashion Week, do Minas Trend e do Fashion Rio. Vamos conferir as tendências para o Verão 2015. E a 40 Graus está alinhada e adequada às datas do line-up dos lançamentos. A moda hoje não está mais restrita a uma determinada classe social ou lugar. Ecoa para todos os públicos e pulsa nas mais diferentes regiões.

Nesta segunda edição da feira, ficou patente o que Frederico Pletsch havia dito quando contabilizou o resultado da primeira investida em Natal, no ano passado. Ele já havia garantido que as lideranças sindicais da indústria de acessórios do Sul do país souberam captar a necessidade do mercado. À época, ressaltou que, para a realização desta segunda edição, as empresas teriam um período maior para planejar e executar as coleções de acordo com as preferências locais.

Agora, Frederico Pletsch destacou o crescimento da feira com relação ao ano passado. “Este ano, a feira já cresceu 20% sobre o ano passado e estamos esperando uma expansão para 2015”.  E o empresário, que recebeu a visita da governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, teve a palavra dela que de que haverá ampliação dos pavilhões do Centro de Convenções  de Natal, que poderá abrigar um número maior de expositores, oferecendo maior infraestrutura e conforto aos visitantes da terceira edição da 40 Graus, em 2015. Rosalba assegurou que já possui uma verba de R$ 30 milhões do Ministério do Turismo, para a ampliação do parque, que terá no total 11.200 metros quadrados de área. “Com esta nova realidade estamos projetando uma feira ainda mais potente para o setor no próximo ano”, sinaliza Pletsch.  A terceira edição da  40 Graus – Feira de Calçados e Acessórios será realizada entre osdias  9 e  11 de março de 2015, no Centro de Convenções de Natal/RN.

Quem já está arregaçando as mangas é Roberta Pletsch, diretora de relacionamento da Merkator, com o objetivo de ampliar ainda mais a parceria e presença das indústrias de acessórios e a consolidação, em cada edição da 40 Graus, como forte plataforma geradora de negócios entre indústrias/marcas e lojistas. Presidente do Sindicato de Indústria de Calçados de Igrejinha, no Sul do país, Renato Klein, conjuga da mesma cartilha de quem investiu em uma feira com um direcionamento totalmente focado. “O lojista veio nos prestigiar e todo aquele expositor que trouxe uma coleção com o foco nos consumidores das regiões Norte e Nordeste está comemorando a retirada de pedidos. É importante pensar e direcionar as coleções para este mercado diferenciado”.

Os expositores entenderam bem a mensagem dos organizadores da feira, Vou dar um exemplo: Com o objetivo de ampliar ainda mais a parceria com o mercado do Norte e Nordeste do Brasil, a Calçados Bebecê desenvolveu uma coleção específica para a venda para o Norte e Nordeste. “Estivemos presentes para reforçar nossa parceria com o Norte e o Nordeste, oferecendo aos lojistas a qualidade dos nossos calçados e coleções especiais para essas regiões do país”, contou o gerente de vendas da Regional Norte/Nordeste, Jarles Ellwanger.

Jarles ressalta que o consumo do Norte e Nordeste é realizado em maiores proporções, comparado às demais regiões. Isso acontece devido à ampla oferta de crédito recebida. “A concentração das famílias de baixa renda, junto com a ascensão das classes C e D, facilita as melhores ofertas de crédito, ajudando na entrada de mais produtos”, explica.

O desenvolvimento de coleções específicas para estas duas regiões é um reflexo das altas temperaturas que ocorrem o ano todo, e já é considerado um grande reconhecimento da indústria nacional ao potencial de consumo do Norte e do Nordeste do país. “Além disso, há as datas de festividades regionais, motivo de campanhas de marketing específicas e que permitem uma grande interação com o público-alvo, valorizando seus gostos, costumes e crenças”, disse. A Calçados Bebecê, de Três Coroas (RS), é uma das maiores fabricantes de calçados do Vale do Paranhana.

É claro que precisamos ressaltar aqui, nesta matéria, também, o fator turismo de negócios. E a Merkator Feiras e Eventos vem apostando nesse filão. Apenas em 2013, esse tipo de viagem movimentou R$ 36,79 bilhões no país, um crescimento de 13,8% em relação a 2012, de acordo com dados da Associação Latino-Americana de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas (Alagev). “Esse é um conceito que está no DNA da Merkator desde a sua origem. As feiras que realizamos trazem isso consigo, e acreditamos que esse fator tem feito o sucesso de eventos como a 40 Graus”, o afirma o diretor da Merkator, Frederico Pletsch.

E a capital do Rio Grande do Norte é cenário perfeito para a união business + turismo.

Pesquisas relacionadas