Música & Badalo

Sucesso em 2016, Marília Mendonça conversa com o HT e fala de preconceito, lugar da mulher, pressão por novos hits e representatividade: “Eu não me via em ninguém”

Aos 21 anos e uma agenda lotada, a sertaneja comentou sobre os comentários maldosos que costuma receber nas redes sociais. Na internet, Marília responde às ofensas e críticas com muito bom humor, mas ao HT ela revelou o que mais a incomoda nessa situação. "Às vezes, eu penso que gostaria de nascer em um mundo diferente em que cada um só se preocupe com a sua vida"

Publicado em 24/01/2017 | Por Julia Pimentel

Ela é um fenômeno. Conhecida como a musa da sofrência, Marília Mendonça foi a quinta mulher mais tocada nas rádios brasileiras em 2016. Responsável por hits como “Infiel” e “Eu Sei de Cor”, a sertaneja de apenas 21 anos tem o terceiro maior canal de cantores brasileiros do YouTube. Na lista, Marília, que ultrapassa 1 bilhão e 700 milhões de visualizações em seus vídeos, só fica atrás de Anitta e Luan Santana. Nas redes sociais, a cantora, que vem de um município com menos de três mil habitantes no interior de Goiás, acumula mais de três milhões de seguidores no Instagram e 290 mil no Twitter. De fato, os números comprovam que Marília Mendonça é um nome forte e de bastante influência no cenário nacional. Mais que isso. Em entrevista exclusiva e sincera ao HT, a cantora revelou seu lado humana, engajada e engraçada. Vem com a gente!

Para comemorar o sucesso da carreira, a cantora está viajando o Brasil com o show Festa das Patroas. Ao lado de Maiara e Maraísa, outros nomes fortes no universo das sertanejas, Marília mostra no palco a força da mulher brasileira. Na última semana, foi a vez do Rio de Janeiro conhecer de perto o talento deste trio na Jeunesse Arena, novo nome dado ao antigo HSBC Arena, na Barra da Tijuca. Para um estádio lotado e que teve os ingressos esgotados antes mesmo do dia do show, Marília Mendonça justificou o motivo dos números estrondosos que cercam sua carreira. “Eu sempre quis ter uma festa para curtir em que as mulheres fossem as estrelas e fosse tudo pensado para elas. É muito bom poder estar proporcionando esse momento às minhas companheiras, ainda mais em tempos de empoderamento feminino. Essa festa também serve para mostrar o quão longe nós mulheres estamos chegando e o quanto estamos conquistando nossos espaços”, disse.

Marília Mendonça fez show na última quinta-feira no Rio e lotou arena na Barra da Tijuca (Foto: Divulgação)

E, realmente, as sertanejas estão com tudo. Em um gênero que, tradicionalmente, sempre foi dominado pelos homens, as mulheres passaram a ser as grandes estrelas de uns meses para cá. Hoje, depois de passarem pelos desafios e preconceitos do mercado da música brasileira, as cantoras estão cada vez mais consolidadas neste ritmo. “Eu acho que o que faltava na gente era coragem para falar de assuntos com os quais as mulheres se identificassem. Hoje, nós não mostramos uma mulher que serve o homem e nem que é uma boneca. Sabe por que? A verdade é que nós mulheres somos ciumentas e somos da maneira que cantamos nas músicas mesmo. Somos humanas. É importante que o público olhe para o palco e se identifique com o que está vendo. Antes, a gente só tinha personagens e Barbies como referência e que nós sabíamos que nunca seriamos parecidas com elas. Hoje, nós somos autênticas de verdade e de carne osso. Eu brinco que se você quiser encostar em mim e me pegar, não tem problema. Eu sou de verdade, assim como todo mundo”, analisou.

Compositora desde os 12 anos, Marília Mendonça já participava do cenário musical antes mesmo de estourar como cantora. A sertaneja é autora de grandes hits como “Cuida Bem Dela”, gravado por Henrique e Juliano, e “É Com Ela Que Eu Estou”, cantado por Cristiano Araújo. No entanto, Marília nos disse que não se sentia representada neste universo por nenhuma outra mulher. “Eu não me via em ninguém. Eu precisava me identificar com um homem no cenário da música, como o Jorge, da dupla com o Mateus, e o Henrique, companheiro do Juliano. Eu via como eles são e achava o máximo saber que eles tomam a cervejinha deles, são de boa com a vida, simples e humildes. Mas hoje, as mulheres já possuem representantes em cima do palco”, comemorou Marília que é símbolo e referência para muitas mulheres hoje em dia.

Marília Mendonça contou que não se sentia representada por mulheres no cenário da música brasileira (Foto: Divulgação)

Além da questão da identificação física, Marília Mendonça também protagoniza uma relação de referência sentimental. Ela, que tem o título de musa da sofrência, faz sucesso com músicas que contam histórias comuns de muitas pessoas, como casos de traição. Sobre as letras, a cantora e compositora contou que precisa ter conhecido um caso semelhante para poder transformá-lo em canção.  “A maioria das histórias são reais e muitas vezes aconteceram ou comigo ou com alguém que eu conheço. Desde quando eu era só compositora, eu sempre achei que uma música não geraria identificação em ninguém se ela tivesse sido inventada. Por isso, tinha que ter uma história real para eu me basear. Afinal, se aconteceu com uma pessoa, pode acontecer com várias outras. E é essa identificação que faz a música hoje em dia ser sucesso”, explicou.

Por falar no sucesso… Depois dos obstáculos, agora é a hora de aproveitar o reconhecimento e os aplausos ao seu trabalho. No entanto, Marília Mendonça não escondeu que existe uma preocupação constante para o lançamento de novos hits. Segundo ela, a pressão para se manter sempre nas rádios e no mercado musical faz parte da realidade de um artista. “Depois que a gente chega, eu acho que ninguém quer sair mais. Por mais que seja uma situação louca, é viciante ouvir milhares de pessoas cantando a sua música e dói só de imaginar que um dia isso pode acabar. Então, o que precisa é estar sempre atento ao cotidiano das pessoas e não deixar a cabeça ir além. Eu comecei fazendo música comercial e nunca vou deixar de fazer isso. Embora eu seja de uma vertente mais popular, não preciso abrir mão de nenhuma das duas artes. Se foi isso que me deu sucesso e me trouxe aonde eu estou, eu não tenho porque abandonar. Depois que a pessoa entende isso e coloca na cabeça, é só seguir em frente”, argumentou.

“Depois que a gente chega, eu acho que ninguém quer sair mais” (Foto: Divulgação)

No entanto, em tempos de cólera social, fazer sucesso nem sempre é motivo de comemoração para todos. Ainda mais em época de redes sociais, em que os comentários circulam livremente pela internet, uma hora ou outra, algo acaba incomodando. Sobre os haters que cismam em confrontar Marília Mendonça, ela contou que tenta lidar com humor. “Quando eu estou querendo fazer uma gracinha ou aparecer em algum site de fofoca, eu respondo um comentário maldoso. Mas é sempre em tom de brincadeira, geralmente de forma bem burra e ignorante, como foi a pessoa que comentou”, contou aos risos Marília que revelou o pior de tudo nessas situações.

“O que mais me incomoda é a falta do que fazer. Eu trabalho tanto que, nem se eu quisesse, teria tempo de comentar como essas pessoas. Às vezes, eu penso que gostaria de nascer em um mundo diferente em que cada um só se preocupe com a sua vida. Eu costumo dizer que essa é a geração mimimi. Antes, era tudo tão mais tranquilo. A gordinha do colégio, por exemplo, era aquela que se zoassem ela, ela corria e batia nos meninos. Hoje, tudo é ofensa e muito politicamente correto. Eu confesso que não gostaria de voltar a tempos atrás porque recentemente vi o filme da Elis e fiquei assustada com o que ela viveu. Então, só me resta ficar aqui quietinha sem reclamar e rezar para que Deus coloque uma luz na cabeça dessas pessoas para que elas procurem o que fazer e ralem como eu no trabalho e na vida”, desabafou.

“Eu costumo dizer que essa é a geração mimimi” (Foto: Divulgação)

Em busca de mais sucesso e números tão representativos como os conquistados no ano passado, Marília Mendonça já iniciou 2017 a todo vapor. Na última semana, a sertaneja lançou três singles que fazem parte do novo DVD, batizado de “Marília Mendonça (Ao Vivo)”. As músicas “Traição Não Tem Perdão”, “Amante Não Tem Lar” e “De Quem É A Culpa” já possuem cheiro de sucesso. Em uma semana no YouTube, os vídeos já ultrapassaram a marca de 17 milhões de visualizações. Sobre o novo DVD, a cantora adiantou que virá novidade. “É uma nova versão da Marília Mendonça. Eu não saí da sofrência, mas agora eu falo da pessoa que trai”, apontou a cantora. Sucesso!

Marília Mendonça (Foto: Divulgação)

Pesquisas relacionadas