Música & Badalo

Rock in Rio: com Olodum, Kimbra bota o bloco na rua e faz show arrepiante no Palco Sunset

Ao trazer grupo baiano para sua performance, cantora reforçou vigor percussivo de sua música e, principalmente, de sua voz delicada

Publicado em 15/09/2013 | Por Heloisa Tolipan

Por Pedro Willmersdorf

A mistura que parecia inusitada se mostrou não somente oportuna, como eletrizante. Ao ser divulgado o line-up do Palco Sunset deste Rock in Rio, muitos (quem não?) se surpreenderam com a escalação da princesinha neozelandesa Kimbra ao lado do tradicional grupo baiano Olodum. Será que o pop delicado da moça se adequaria ao ritmo frenético dos tambores do Pelourinho? Bem, àqueles que acompanham a trajetória de Kimbra desde o começo, um ponto de ligação entre a cantora e o Olodum poderia ser a mola para o sucesso da performance. E assim se deu.

A voz de Kimbra, dona de uma versatilidade percussiva que se confunde com os arranjos de suas músicas, casou de forma fascinante com o batuque dos baianos, empolgadíssimos com a participação no show da artista. Mas, antes de chamar ao palco seus convidados, ela mostrou sua potência por conta própria, abrindo com ‘Warrior’, hit roqueiro que gravou ao lado de Mark Foster (do Foster the People) e o rapper A-Trak para uma campanha da Converse. Depois, emendou com hits de ‘Vows’, seu primeiro CD, lançado em 2011, como ‘Posse’, ‘Good Intent’, ”Two Way Street’ e ‘Cameo Lover’. E aos fãs ansiosos por novidade, Kimbra entregou um presentaço: a inédita ‘Mad House’, que estará em seu novo trabalho e mantém a linha pop-bonequinha de sua estreia.

Já com o Olodum no palco, Kimbra ressurgiu com uma nova saia, agora não mais vermelha, mas nas cores da diáspora africana, símbolo do grupo baiano. Muitíssimo bem acompanhada, ela disparou ‘Limbo’ e ‘Something in the way’, para logo depois surpreender a todos com um cover de ‘They don’t care about us’, clássico que Michael Jackson gravou ao lado dos ritmistas brasileiros em 1995.

Dali em diante, Kimbra já estava nos braços do público, pronta para a reta final de uma performance carismática e sincera, encerrada com ‘Settle Down’, seu primeiro single de sucesso, e a intensa ‘Come into my head’, sob os fogos de abertura do show do Jota Quest, que se iniciava ali perto. Pode deixar, mocinha, não tiraremos você da cabeça por um bom tempo.

Totalmente entregue, Kimbra ainda dialogou em português com seus fãs (quase) como uma nativa (Fotos: Vinícius Pereira)

Totalmente entregue, Kimbra ainda dialogou em português com seus fãs (quase) como uma nativa. Performática, a cantora teve total sintonia com os baianos do Olodum (Fotos: Vinícius Pereira)

 

Pesquisas relacionadas