Música & Badalo

Prêmio Multishow: Com dois troféus, Ludmilla chegou a ser vaiada por fãs de Anitta em função da briga entre as duas

A artista chorou no palco ao receber o prêmio de melhor cantora do ano. Ela venceu Anitta, Ivete Sangalo, Iza e Marília Mendonça e foi homenageada ainda pela música chiclete "Onda diferente". “Esse choro vem de uma luta muito longa que estava preso dentro de mim. Quero dizer a todas as meninas, mulheres, que nunca deixem ninguém dizer o que você é. Se você tem um sonho, vai atrás dele", disse

Publicado em 30/10/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Jeff Lessa

Antes mesmo de a festa começar, Gaby Amarantos e Seu Jorge fizeram uma belíssima versão de “La Vie en Rose”, de Edith Piaf, em uma ação da Natura. E a noite do 26º Prêmio Multishow não poderia ter começado em melhor astral, com o DJ Alok fazendo um pôt-pourri de seus maiores sucessos eletrônicos, criando o clima para Paulo Gustavo e Anitta abrirem os trabalhos.

Foto: Agnews

A leveza continuou com o show das divas Ivete Sangalo e Iza, cantando juntas e lindíssimas, Veveta de amarelo com brilhos e Iza de rosa, também com brilhos e umbigo de fora. Elas começaram com “Brisa” e levantaram o público. O axé veio logo em seguida com “Mainha Gosta Assim”. E a festa prosseguiu tranquila e bem-humorada. Diferentemente da edição passada, que coincidiu com a proximidade das eleições num país polarizado, dessa vez o que mais chamou a atenção foram as piadas dos anfitriões e um ou outro momento fora do roteiro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um clima de tensão aconteceu durante a entrega do prêmio de grupo do ano para a banda Atitude 67, do Mato Grosso do Sul. Os seis rapazes do grupo já haviam mandado seu recado, mas o apresentador Paulo Gustavo insistia para que permanecessem no palco. Dava para perceber que o comediante recebia ordens pelo ponto eletrônico: “Vocês falaram muito pouco, falem mais. Você aqui, você não disse nada, fala um pouco”, insistia o ator. De repente, os integrantes da banda foram liberados abruptamente: Desce, desce. Podem ir”. Ficou esquisito, mas nada que estragasse a alegria da festa.

Anitta trocou seu belo longo tomara-que-caia coberto de brilhos por um collant super decotado e cheio de aberturas com um shortinho curto e botas vermelhas de salto alto para se apresentar ao lado de Kevinho cantando o hit “Terremoto”. Logo depois, cantou “Bola Rebola”. Após os números de Anitta, Paulo Gustavo anunciou que “Onda Diferente” havia levado o prêmio de melhor música chiclete do ano. E foi aí que o clima pesou. Tudo começou quando Ivete Sangalo fez um cover de “Onda diferente”, feat entre Ludmilla, Anitta e Snoop Dogg, em seu show no Rock in Rio. Emocionada, Ludmilla tuitou: “A rainha Ivete Sangalo e o Rock in Rio inteiro cantando uma música que saiu da minha mente. Eu não tenho palavras pra descrever esse momento, obrigada, meu Deus. Te amo, Ivete. Hit!”. Bastou para que os fãs de Anitta ficassem irritados, já que “Onda Diferente foi gravada pelas cantoras com Snoop Dogg, e a canção, composição de Ludmilla, faz parte do álbum trilíngue de Anitta. A poderosa chegou a defender a colega: “Não ataquem a Ludmilla por ter se sentido feliz e emocionada com a composição dela ter chegado aos lugares que ela sempre sonhou. Eu também sou compositora. Escrevi ‘Bang’, ‘Show das Poderosas’, ‘Zen’, ‘Vai Malandra’. Algumas sozinha, outras com amigos. Mas ‘Onda Diferente’ foi uma música inteiramente feita pela Ludmilla”, esclareceu. “O motivo pelo qual eu apareço lá como parte criadora da música foi por ter feito parte da produção e estruturação. Busquei os feats (Papatinho e Snoop Dogg), ajudei o Papato a produzir”, disse.

Foto: Agnews

Parte da plateia do Multishow vaiou Ludmilla, que foi defendida por Paulo Gustavo: “Você é uma mulher negra, gay, periférica. Não é fácil chegar onde você chegou, não é para qualquer um. Você inspira milhares de pessoas”. Pouco tempo depois, quando Lud foi anunciada vencedora do troféu de cantora do ano, ela não conseguiu conter a emoção: “Esse choro vem de uma luta muito longa que estava preso dentro de mim. Quero dizer a todas as meninas, mulheres, que nunca deixem ninguém dizer o que você é. Se você tem um sonho, vai atrás dele. Lute como uma garota. Gostaria de agradecer aos meus fãs, à minha família e até às vaias. Obrigada pelas vaias, elas me fazem pensar sempre no que eu gostaria que não fizéssemos com as pessoas”.

Foto: Agnews

Dessa vez não houve vaias. Logo após uma apresentação da banda pop Melim, formada pelos três irmãos de Niterói, no Estado do Rio, Anitta anunciou a vencedora na categoria melhor show: Marília Mendonça. E a cantora, que não compareceu à cerimônia no ano passado por haver recebido ameaças em função de seu posicionamento político, protagonizou um momento hilário no palco. “Uma coisa que eu queria dizer é que estou morrendo de vontade de fazer xixi”, disse, levantando risadas da plateia, para em seguida acrescentar, mais séria: “Descobri que tenho um batalhão de gente a meu favor. Estou muito feliz. E ‘bora fazer xixi!”.

A entrega dos prêmios do Superjúri, formado por 11 especialistas que só elegem três categorias (álbum, revelação e canção), proporcionou momentos emocionantes. “Abaixo de Zero: Hello Hell”, de Black Alien foi considerado o melhor disco do ano. O prêmio foi recebido pelo produtor Papatinho, que se emocionou muito ao falar do artista: “Ele achava que não ia conseguir fazer o disco. A luta contra as drogas é muito difícil. Foram meses trancados no estúdio, mas ele fez. Ele venceu”, disse. O troféu de revelação foi para a cantora Duda Beat, que não se conteve e mandou “O Nordeste é f***!” em seu discurso de agradecimento. E a canção do ano, “Hoje Eu Vou na Gaiola”, de MC Livinho com participação do DJ Rennan da Penha, ensejou o único momento político da noite. “DJ não é bandido. Viva a liberdade de expressão. Liberdade para o Renann da Penha”, exigiu o empresário do artista, acusado de ser “olheiro” do tráfico no Complexo da Penha e preso em março.

A homenagem aos artistas que partiram no último ano lembrou André Midani, Angela Maria, Bibi Ferreira, Elton Medeiros, Marcelo Yuka, MC Sapão, Miúcha e Roberto Leal entre outros, encerrando-se com uma tocante homenagem a Beth Carvalho, morta em 30 de abril. A cantora Luana Carvalho, filha de Beth, cantou “Andança” divinamente. Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Diogo Nogueira e Tereza Cristina também cantaram sucessos da Madrinha do Samba, reverenciando sua memória.

Foto: Agnews

Em seguida, Anitta e Marília Mendonça apresentaram a inédita “Some que Ele Vem Atrás”, primeira parceria da funkeira carioca com a cantora de “feminejo”. A faixa marca, também, o lançamento do projeto “Brasileirinha”, anunciado por Anitta em rede social no fim da noite de domingo (27). O projeto prevê a gravação de músicas somente em português, com diversos colaboradores, até o fim de dezembro.

Foto: Agnews

Já quase no final da festa, Paulo Gustavo foi homenageado por seu aniversário com bolo e “Parabéns para você” em pleno palco. O mestre de cerimônias da noite aproveitou para lembrar seu tempo de Multishow (“Esse canal abriu as portas para mim”) e deu um beijo na boca do marido, o dermatologista Thales Bretas, com quem tem dois filhos.

Voto Popular

. Melhor grupo

Atitude 67

. Música chiclete

“Onda Diferente” (Anitta, Ludmilla e Snoop Dogg, com participação de Papatinho)

. Melhor cantora

Ludmilla

. Melhor show

Marília Mendonça

. Melhor dupla

Zé Neto e Cristiano

. Fiat Argo Experimente

Jão Lagum

. Melhor cantor

Dilsinho

. Melhor música

“Atrasadinha” (Felipe Araujo e Ferrugem)

. Melhor clipe TVZ

“Terremoto” (Anitta e Kevinho)

Superjúri

. Melhor disco

“Abaixo de Zero: Hello Hell” (Black Alien)

. Revelação

Duda Beat

. Canção

“Hoje Eu Vou Parar na Gaiola” (Mc Livinho com participação do DJ Rennan da Penha)

 

 

 

Pesquisas relacionadas