Música & Badalo

“Precisamos de educação e cultura e que abordem o quanto a humanidade é plural”, diz Assucena Assucena

Em conversa com o Site HT a cantora da banda As Bahias e a Cozinha Mineira fala sobre o programa de estreia da 3a Temporada da webserie Lá Dó Si Lar, sua experiência como apresentadora, o single Das Estrelas e sobre transfobia

Publicado em 20/03/2019 | Por Heloisa Tolipan

Assucena Assucena d'As Bahias e a Cozinha Mineira mostrando toda sua verve artística. Foto Pedro Dimitrow

Assucena Assucena d’As Bahias e a Cozinha Mineira mostrando toda sua verve artística. Foto Pedro Dimitrow

*Por Rafael Moura

A cantora e compositora Assucena Assucena, da banda As Bahias e a Cozinha Mineira (Assucena Assucena, Raquel Virgínia e Rafael Acerbi) foi a escolhida para cortar a fita do primeiro episódio da 3a  temporada da webserie Lá Dó Si Lar, que acaba de estrear. “O convite para fazer o programa veio de maneira muito especial pela Maíra Freitas. Eu a conheci após uma apresentação magistral no show do Refavela 40, com Gilberto Gil. O Mario Rocha, seu companheiro (diretor da série) me apresentou a ela de forma muito carinhosa, depois de dizer que era meu fã. Amei os dois!”, conta Assucena encantada. E completa: “Na gravação do Lá Dó Si Lar, me senti em casa, como tocar numa roda de uma festa caseira com músicos que você admira. Na época, Maíra e Mario esperavam por Zambi (hoje a menina tem 11 meses), que ouviu do ventre o som que partiu de nosso encontro”.

Já a cantora e apresentadora da série, Maíra Freitas, declara ser fã da Assucena. “Foi incrível, ela é uma excelente cantora e me surpreendi com suas composições. Muito linda a forma como ela escreve, suas canções tem uma profundidade ímpar. O Mario é fã d’As Bahias, quando assisti em um show fiquei de cara com a qualidade da performance da Assucena. Ela é um furacão no palco. Ficamos muito felizes de ela ter aceitado e ter vindo na nossa casinha fazer esse som”, enfatiza Maíra.

A cantora Assucena Assucena mostrando sua versatilidade - Foto Bernie Walbenny

A cantora Assucena Assucena mostrando sua versatilidade – Foto Bernie Walbenny

“Maíra e Mario são pessoas iluminadas com uma equipe profissional. Então, me senti em casa, que é a proposta do programa. Amei os músicos, que ela convidou, inclusive a Taís Feijão que é uma grande musicista e cantora de quem sou muito fã”, elogia Assucena lembrando que a proposta do programa é dar uma nova roupagem para as composições dos convidados. “O arranjo é como um figurino que adorna a canção. Estou ansiosa para assistir ao programa e relembrar esse novo look. Diante de músicos tão bons foi impossível não gostar”. Essa temporada ainda conta com a participação de Ana Costa, Chico Chico, João Donato, Rubel, Yug Werneck, Lucy Alves, Tais Feijão e Nelson Faria.

A turma d’As Bahias e a Cozinha Mineira vem com um 2019 repleto de novidades e uma delas é o lançamento do single Das Estrelas – música e clipe, uma composição de Assucena. “A ideia do clipe era de denunciar até onde o amor pode ir quando se é trans. Renata Carvalho arrebentou na atuação. É uma canção acerca de algo essencial que humanidade perdeu”, diz orgulhosa a cantora que se inspirou no primeiro capítulo de Teoria do Romance, de Georg Lukács, “que me prendeu a ponto de ler e reler muitas vezes por provocar em mim um desconforto filosófico gigante. A filosofia para ele nasceu da cisão entre o ser humano e o universo. Essa hipótese me fez escrever Das Estrelas. Eu a considero uma lembrança antiga. Um recado de rememoração para alguém que por algum motivo perdeu uma essência primeira”.

‘Afortunados os tempos para os quais o céu estrelado é o mapa dos caminhos transitáveis e a serem transitados e cujos rumos a luz das estrelas ilumina’, citação do autor Georg Lukács que foi o start para a estrela. “Coloquei à prova a teoria de Lukács quando resolvi olhar para o céu na cidade de São Paulo”, afirma a cantora. E completa citando o filósofo: ‘Se nós nos preocupássemos com as estrelas, não as apagaríamos assim desse jeito. Não esfumassaríamos desse modo a cidade, nem a luziríamos assim a ponto de ofuscá-la. Talvez tenhamos perdido algum elo fundamental. Talvez isso explique um crescimento avassalador pelo conhecimento astrológico. Não sei dizer, mas apesar das convenções universais, “a lua te segue no céu da cidade cinza”.

Assucena nos conta ainda que os fãs (como eu) já podem começar a vibrar porque o Grupo As Bahias e a Cozinha Mineira irá lançar um disco novo e mais alguns clipes, explorando toda a verve artística. “É o primeiro disco que lançaremos pela Universal Music, que nos recebeu com muito carinho”, diz. Este será o terceiro disco da banda – Mulher, 2015, selo Galeão e Bixa, 2017, pela YB Music com distribuição da Pommelo. A referência foi álbum Bicho, de Caetano Veloso.

Logo depois de gravar sua participação na série Lá Dó Si Lar, Assucena voltou para o estúdio, desta vez ao lado de Raquel Virgínia, para apresentar os 26 episódios do ‘ABZ da Música‘ no canal pago Music Box Brazil, criado por Cris Lobo e Anna Butler, que foi a responsável por convidar as apresentadoras. De acordo com Assucena, a paixão inicial de Butler foi a Raquel. “Ela estava com a ideia de um programa de música, com entrevistas, e se apaixonou pela Raquel. Depois ela convidou a mim. De início,ela ficou com medo de uma programa com duas apresentadoras, mas foi a melhor fórmula, virou um grande bate-papo”. A cantora confessa ter ficado com medo do desafio. “Ninguém melhor do que quem está na música para fazer um programa assim. Parecia que estávamos em casa, numa festa ou reunião com outros músicos. Como é no Lá Dó Si Lar. O que o público vê é um papo que normalmente estaria nos bastidores”, explica.

Assucena Assucena e Raquel Virginia no ensaio do álbum Bixa - Foto Gui Paganini

Assucena Assucena e Raquel Virginia no ensaio do álbum Bixa – Foto Gui Paganini

A integrante do grupo acredita que a música nacional necessita de mais espaço para ser celebrada na televisão. “Precisamos de bons programas para falar da música brasileira, que é uma das mais poderosas do mundo. Temos um preciosismo que nos diferencia das outras línguas. Falar da nossa música é uma necessidade, é algo político”… A cantora se refere, também, ao novo momento político do país. Apesar de celebrar o espaço conquistado por artistas transexuais, como elas, na mídia, Assucena se dizem preocupada em relação aos recentes relatos de violência contra pessoas LGBT em todo o Brasil. “Faltam investimentos em políticas públicas para nos dar a condição de sobrevivência. Temo por esse momento”.

Raquel Virginia, Assucena Assucena e Rafael Acerbi do grupo As Bahias e a Cozinha Mineira - Foto - Pedro Dimitrow

Raquel Virginia, Assucena Assucena e Rafael Acerbi do grupo As Bahias e a Cozinha Mineira – Foto – Pedro Dimitrow

Recentemente Raquel Virgínia foi vítima de transfobia no Bourbon Shopping, em São Paulo. “Criminalizar a LBGTfobia é um dos passos necessários que temos que dar para acabar com esse câncer que nos sufoca e até nos matar. Mas criminalizar é só um dos passos, precisamos de educação e cultura de qualidade, das quais aborde o quanto a humanidade é plural e esse é um dos traços mais belos da raça humana, se não o mais belo, ser diversa”, conclui Assucena.

As cantoras Assucena Assucena e Raquel Virgínia d'As Bahias e a Cozinha Mineira no Lyric Video Oficial do Álbum Bixa

As cantoras Assucena Assucena e Raquel Virgínia d’As Bahias e a Cozinha Mineira no Lyric Video Oficial do Álbum Bixa

Pesquisas relacionadas