Música & Badalo

Nilze Carvalho comemora 40 anos de carreira dedicados aos samba: “É como se fosse uma religião”

A instrumentista lança CD e DVD em show nesta sexta-feira no Teatro Rival, que reúne cavaquinho, bandolim e violão em arranjos próprios, com participação especial do cantor e compositor Nei Lopes

Publicado em 13/09/2018 | Por Anna Castro

“Uma grande diferença minha do início da carreira até agora são os cabelos brancos!”, conta rindo Nilze Carvalho, sobre a passagem do tempo. A cantora, compositora e instrumentista tem 40 anos de carreira e 49 anos de idade. À primeira vista, a conta não bate, mas Nilze começou muito cedo e sempre foi apaixonada por música, especialmente samba. Para celebrar e lançar o CD e DVD “40 anos”, a artista preparou um show regado de samba e arranjos especiais para esta sexta-feira (14), no Teatro Rival Petrobrás, às 20h00.

No repertório da apresentação, canções como, “Banho de Manjericão” (Paulo Cesar Pinheiro/João Nogueira), “Barracão” (Luiz Antônio/Oldemar Magalhães), “Brasileirinho” (Waldir Azevedo), “Verde Amarelo Negro Anil” (Nilze Carvalho/Marceu Vieira) e “Roda Baiana” (Vitor Martins e Ivan Lins) fazem parte da lista para o show que guarda memórias fortes.

Entre os anos de muita parceria e arranjos, fez shows ao lado de estrelas, como:  Zeca Pagodinho, Mart’nália, Monarco, Hamilton de Holanda, Roberta Sá, Cristóvão Bastos, entre muitos outros. Inclusive, Dona Ivone Lara, cantora muito admirada por Nilze. “Dona Ivone deveria ser admirada por todos, principalmente por cantoras brasileiras. Ela é um nome muito importante da música brasileira. Eu a conheci quando nova, mas só fui ter uma relação mais próxima quando gravamos juntas e logo depois fizemos shows, então ficamos bem próximas.”

Nilze Carvalho toca cavaquinho e outros instrumentos em seus shows. Foto: Divulgação

Além de talentosa, é espirituosa: Nilze toma suas próprias iniciativas no que diz respeito a suas vontades. Além disso, não dá muita atenção às pessoas que não acreditam no poder das mulheres. “Minha vida foi muito dura e meus pais eram pobres. E meu pai sempre dizia para não esperar nada de ninguém, no sentindo de você ir atrás e fazer sem esperar pelas pessoas te darem aquilo. Então eu sempre fui assim, nunca esperei produtora me sugerir ou oferecer algo, eu mesma corria atrás para produzir. Então, de verdade, eu não estou nem aí pra esse povo! Se eles acham que mulher não pode algo, eu mostro que pode, sim!”, defende a artista.

A cantora tem uma trajetória internacional antiga: já cantou em solos distantes, pela Ásia, Europa e América Latina, inclusive países em que ela nem sabia que se gostava tanto de samba. “Um país muito significativo e que sempre nos recebe muito bem é o Japão. Eles adoram samba e amam a nossa cultura. Além disso, um lugar que eu visitei esse ano foi Israel e também foi surpreendente e muito prazeroso cantar lá”, afirma Nilze.

A cantora também é enfática sobre os problemas de artistas mais independentes e menos conhecidos. “A gente vê que tem uma dificuldade em encontrar certos artistas na TV aberta, por exemplo, e que inclusive eu acompanho. O espaço é pequeno e acho que tem muitos que poderiam ter mais destaque. Mas com a internet, a gente uma facilidade maior de disponibilizar conteúdos e acesso a nossa música. Ainda falta uma legislação que controle melhor até a questão de direitos e retorno financeiro no YouTube. Mas acredito que com o tempo isso aconteça, porque é a evolução e é um espaço importante para a música”, defende.

Foto: Valéria Martins

A artista fez licenciatura em música na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a Unirio, mas na época ela já trabalhava na área, então muito dos seus professores e colegas de sala eram do trabalho e que ela já havia conhecido pelos caminhos musicais. Desde pequena, era muito estudiosa. Ela e seus irmãos já entraram no colégio sabendo ler, escrever e fazer as 4 operações. Como sempre foi algo prioritário em sua vida, mesmo depois de já ter carreira na música, se dedicou aos estudos mais do que nunca. Quanto às diferenças da Nilze do início e da Nilze de 40 anos de carreira, ela relembra seus primeiros momentos. “Eu quando era mais nova, tocava melhor e tinha mais habilidade com os instrumentos. Agora eu tenho mais sentimento para tocar e cantar e estou mais preparada no que diz respeito a viver de música. E, atualmente, eu amo ser intérprete, fazer meus arranjos, que amo”, diz Nilze.

Animada para o grande dia, Nilze conta a importância do samba em sua vida. “É como se fosse uma religião. Não me vejo sem, faz parte de mim e sempre esteve comigo. Ouvia Paulinho da Viola, por exemplo, quando ainda era criança. E é muito forte, tem ritmo, melodia e letra extremamente ricos. E no final, é o samba que levanta a galera!”, expõe a artista.

Para comprar ingressos para o show de lançamento do CD e DVD “40 anos”, acesse https://goo.gl/wLrdBr

 

Lançamento CD e DVD

Nilze Carvalho – 40 anos

Participação especial: Nei Lopes

Teatro Rival Petrobras – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia

Telefone: 2240 4469

Sexta-feira, 14 de setembro de 2018, 20h00

Abertura da casa: 19h30

Classificação etária: 12 anos (acompanhado de responsável)

Pesquisas relacionadas