Música & Badalo

Morre, aos 88 anos, o cantor e compositor João Gilberto, pai da bossa nova

"Meu pai morreu. Sua luta foi nobre, ele tentou manter sua dignidade ao perder sua soberania", escreveu o filho João Marcelo Gilberto no Facebook

Publicado em 06/07/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

A partir de agora, a saudade só vai aumentar. Morreu, nesse sábado, 6, o ícone da Bossa Nova, o cantor e compositor João Gilberto. Pedimos licença para pegar emprestadas suas palavras e dizer: “Vai, minha tristeza e diz a ele que sem ele não pode ser”…

Morre, aos 88 anos, o cantor e compositor João Gilberto (Foto: Reprodução)

Aos 88 anos, o compositor estava no meio de uma polêmica envolvendo dois de seus filhos. Como contamos aqui, João Marcelo Gilberto, que mora nos Estados Unidos, foi condenado pela 24ª Vara Cível por “ofender e caluniar” sua meia-irmã Bebel Gilberto. Isso porque Bebel chegou a interditar o pai, em 2017, e, desde então, cuidava da vida financeira do cantor. Em entrevista ao jornal “O Globo”, no final de abril, João Marcelo Gilberto fez acusações contra a irmã.

Bebel e João Marcelo posam com João Gilberto (Foto: Reprodução)

Bebel se defendeu dizendo que “pela primeira vez na vida” foi “obrigada a buscar proteção judicial”. “Constatei que, sim, a justiça protege aqueles que sofrem abusos morais que se tornaram tão mais frequentes depois da invenção das redes sociais”, disse.

No Facebook, João Marcelo se pronunciou hoje: “Meu pai morreu. Sua luta foi nobre, ele tentou manter a dignidade a luz da perda da soberania. Eu agradeço minha família (meu lado da família) por estar lá para ele”, disse. Sofia, netinha do compositor, também lamentou: “Meu vovô foi o vovô mais amoroso e carinhoso que eu podia ter tido. Pedia para eu ir pra lá todos os dias e quando estava tarde da noite e já estava na hora de eu ir embora, depois de já ter passado o dia todo com ele, falava – mas já vai? Dorme aqui!’, lembrou. “Comia para ficar forte para brincar comigo, me dizia sempre que eu era grande e que todo mundo ia gostar de mim. Foi carinhoso não só comigo, mas com meu pai e minhas irmãs. Amo ele demais e vai estar sempre no meu coração e na minha vida”.

Há décadas recluso, João Gilberto não dava entrevistas ou recebia pessoas – a não ser familiares – em sua casa. Quando completou 88 anos, no último mês, foi a pequena Sofia quem organizou a festa e preparou brigadeiros para o avô.

Bebel Gilberto também usou as redes sociais para uma homenagem ao pai: “Obrigada por tudo, por prestar atenção em todas as harmonias e melodias, por amar cada momento da vida como se não houvesse amanhã, por sempre me fazer mudar todas as passagens ou partidas. Por valorizar tanto cada momento da vida. Obrigada pelo último olhar, pela última risada, por ser honesto, por ser um homem totalmente família. Por ter sido o melhor pai que alguém podia desejar. Meu amor, que os anjos e mamãe te recebam, descanse em paz. Te amo”.

Pesquisas relacionadas