Música & Badalo

MC Rebecca lança novo clipe sobre o poder das mulheres, fala sobre carreira e preconceito no funk

Com 21 anos, cantora já ultrapassa 30 milhões de visualizações nas plataformas de streaming e reforça ainda mais seu nome no mundo da música

Publicado em 26/07/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Domênica Soares

Hoje, sexta-feira, Mc Rebecca lançou seu mais novo single “Deslizo e Jogo”, que já chega com um clipe produzido por Pep Starling. Ambos atuam do clipe no qual Rebecca usou e abusou das coreografias, com muitas dançarinas e figurinos diferentes, trazendo o estilo audacioso e único da funkeira carioca que nasceu no Morro de São João, no bairro do Engenho Novo, no Rio de Janeiro. “No meu novo clipe, optei por uma temática relacionada ao poder de sedução que nós mulheres temos em nossa essência, além disso, busquei expressar também o quanto posso me dedicar ao amor de um homem ou uma mulher, quando estou apaixonada pela pessoa”.

A funkeira conta que as letras das composições são feitas para mostrar o poder e empoderamento das mulheres, reforçando que elas têm liberdade de falar o que quiser sem serem julgadas ou advertidas por alguém (…) “Minha música é para divertir. Defendo a diversão e a liberdade da mulher falar o que quiser, sem mimimi!”, pontuou. 

Em entrevista exclusiva ao site Heloisa Tolipan, Rebecca conta que sua jornada não foi fácil até aqui, e que por mais que hoje já tenha uma carreira consolidada, ainda sofre preconceito e enfrenta grandes barreiras por ser mulher. Ela discorre uma situação que a marcou: ”Uma vez, depois de um show, o contratante falou assim: ‘Nossa! achava que ia ser um showzinho, mas você deu conta como um MC de verdade’. Eu respondi: ‘eu sou um, uma e vários MC’s numa só!”. Atualmente, Rebecca faz parceria com inúmeras marcas e suas músicas tem um espaço garantido nas plataformas digitais fazendo barulho na internet. Seu primeiro clipe, “Cai de Boca“, ultrapassou seis milhões de visualizações e o seu grande hit, “Ao Som do 150″, chegou a marca de 20 milhões de visualizações. 

Destaque do funk carioca, mc já rendeu mais de 30 milhões de acessos nas plataformas de streaming (Foto: Felipe Braga)

Rebecca mostra a todo tempo, que seu som tem muita base nos pensamentos e ideais que estão conectados diretamente ao empoderamento feminino. “É muito bom, e me sinto muito realizada em poder usar minha própria música para divulgar a força da mulher em todos os sentidos”. Ela ainda fala sobre o espaço que a mulher ocupa na sociedade e divide que hoje em dia, apesar de toda luta feminista, é sempre necessário impor respeito e exigir o mesmo, mostrando que a mulher empoderada é capaz de atingir patamares elevados corroborando para a construção de um pensamento social mais crítico e saudável. “Não é fácil ser mulher na sociedade em que vivemos, e acredito que nunca foi. Tenho e busco sempre o respeito, mas sou ‘dura na queda’. Penso que ser mulher é assumir as responsabilidades, sem deixar de lado a essência interna que faz parte de todas nós”, afirma.

Mc Rebecca em seu novo clipe “Deslizo e Jogo” (Foto: Felipe Braga)

Outra luta que está presente no dia a dia da cantora, é a causa LGBTQI+. Rebecca, que já apareceu na mídia com rumores de supostos affairs com Ludmilla e Anitta, é assumidamente bissexual e não esconde sobre sua vida pessoal quando o tema é citado: “Eu já fui casada com mulher durante 4 anos, mas hoje tenho uma filha, Morena, de dois aninhos”. Ela comenta que sua gravidez na adolescência também a fez amadurecer mais rápido e diz que passa todos os dias por uma aprendizado diário sendo mãe. “No início da carreira, os comentários me deixaram chateada, mas passa rápido. Não perco tempo com isso. Procuro sempre ter pensamentos positivos e sem ficar arrastando correntes”, admite.

Mc Rebecca fala sobre feminismo e luta LGBTQI+ (Foto: Felipe Braga)

Ela conta que sua carreira começou no samba, como passista da escola de samba Acadêmicos do Salgueiro, e logo teve uma surpresa. Rebecca era amiga da cantora Ludmilla, que deu para a Rebecca a música “Cai de Boca” seu primeiro sucesso. A funkeira admite que esse empurrãozinho foi essencial graças a sua fada madrinha, Lud. Depois disso, a Mc acelerou seu ritmo e aproveitou a oportunidade de crescimento para a sua carreira na música. Mas diz que ainda tem um longo caminho pela frente e valida todo o esforço que teve para chegar até o patamar atual alcançado pela cantora. “Minha história e trajetória são de muito trabalho e força de vontade. Eu enfrentei barreiras e preconceitos, mas com o passar do tempo, percebo ainda mais que o reconhecimento do público é o coroamento de todo esse esforço”, finaliza. 

 

Pesquisas relacionadas