Música & Badalo

Madonna vai ganhar cinebiografia não-autorizada e ela não gostou nada dessa notícia: “Somente eu posso contar a minha história”

A história do filme começará no início dos anos 1980 em Nova York, quando, após passar anos no underground, a então iniciante Madonna conseguiu o primeiro contrato com uma gravadora e começou a trabalhar em seu álbum de estreia.

Publicado em 26/04/2017 | Por Junior de Paula

O assunto do dia no universo da poplândia é que Madonna vai ganhar uma cinebiografia não-autorizada. De acordo com o site Hollywood Reporter, a produção vai ser lançada pela Universal Studios, ainda sem previsão de data, diretor ou elenco. A única certeza é que o longa será baseada no roteiro “Blond Ambition”, de Elyse Hollander, que entrou em 2016 na “Black List” de Hollywood -lista das melhores histórias não produzidas do ano. De acordo com o site Madonna Online, “a história do filme começará no início dos anos 1980 em Nova York, quando, após passar anos no underground, a então iniciante Madonna conseguiu o primeiro contrato com uma gravadora e começou a trabalhar em seu álbum de estreia. A trama retratará os bastidores da carreira da estrela, que no início teve de sofrer com o machismo da indústria, uma vida amorosa confusa e os desafios da perspectiva de sucesso, antes de se tornar uma das artistas mais influentes da música pop.”

Madonna nos anos 80: época que vai ser retratada no longa

Trata-se, aliás, do primeiro roteiro escrito por Elyse, que já é conhecido nos bastidores de Hollywood, por ter sido assistente do cineasta Alejandro Gonzalez Iñarritu em “Birdman”. A produção do filme ficará a cargo de Michael De Luca (de Cinquenta Tons de Cinza) e Brett Ratner, da RatPac Entertainment, e John Zaozirny, da Bellvue Productions. Brett Ratner, para quem não está ligando o nome à pessoa, é o diretor do clipe “Beautiful Stranger“, que Madonna gravou para o filme do Austin Powers. Bom, mas quem acha que Madonna ia ficar calada frente a essa notícia, muito se enganou. A loura usou as redes sociais para xingar bastante quem teve essa ideia: “Ninguém sabe o que eu sei e o que eu vi. Somente eu posso contar a minha história. Qualquer um que tente fazer isso é um charlatão e idiota procurando uma gratificação instantânea sem fazer o trabalho. Isso é uma doença em nossa sociedade.” Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Pesquisas relacionadas