Música & Badalo

Lançamentos musicais: Roberta Sá lança o ótimo “Delírio”, Will Butler tira Emma Stone para dançar e Anitta é o assunto da semana

E mais: Adam Lambert cai na bad, Selena Gomez amadurece em "Revival", Ellie Goulding mantém estética eletrônica e Demi Lovato firma parceria com o diretor Robert Rodriguez

Publicado em 11/10/2015 | Por João Ker

A semana passada foi importante para lançamentos musicais. Enquanto Anitta inova no videoclipe de “Bang”, um dos assuntos mais comentados dos últimos dias, Roberta Sá se afirma como um dos nomes mais importantes da nova MPB em “Delírio”. Na gringa, Will Butler recorre a Emma Stone para um clipe dançante e divertido, Selena Gomez, finalmente, lança o maduro álbum “Revival”,  enquanto Adam Lambert cai na bad e Demi Lovato chama o diretor Robert Rodriguez para uma parceria.

Confira todos os destaques abaixo:

DestaquesdaSemaa

Anitta, “Bang!”: ignore o fato de que esta faixa foi adicionada de última hora no álbum (como Anitta nos contou em entrevista exclusiva que você lê aqui), até por que, realmente, ela não chega ao dedo mindinho de inovação sonora que a estética visual do clipe traz. A atenção aqui é toda voltada para a produção assinada por Giovanni Bianco e Bruno Ilogti, em uma epopeia gráfica que só ajuda a coroar a moça de 22 anos em um dos maiores nomes do pop brasileiro, batendo um recorde de 1 milhão de visualizações em apenas seis horas e se tornando no assunto da semana. Mais do que se mostrar mais evoluída, Anitta também dá um passo à frente de qualquer concorrência imaginável, e prova que os artistas nacionais têm capacidade de criarem produtos autorais sem devem em nada ao mercado internacional.

Selena Gomez, Revival”: “Eu sei que posso ser jovem, mas também tenho sentimentos. E preciso fazer o que eu sinto vontade. Então, me deixe ir e apenas ouça”. Com essa frase, Britney Spears abria o seu terceiro disco de estúdio, lançado há 14 anos, quando a cantora tinha apenas 20 e fez a maior reviravolta em toda a sua carreira, afirmando sua independência, seu amadurecimento e apresentando um som completamente sensual e urbano, diferente de seus trabalhos anteriores. As semelhanças dessa declaração artística com a que Selena Gomez faz em seu novo álbum são assombrosas.

A também ex-estrela Disney apresenta seu novo projeto com a leitura de um poema, cujos versos dizem: “Eu renasço a cada momento, então quem sabe o que poderá vir?”. Ao longo de 11 faixas, Selena segue a escola de Britney e, apoiada por uma estética também urbana, que traz produtores como Hit-Boy, Max Martin, Rocky Mafia, Dave Audé, Benny Blanco e StarGate, dentre muitos outros, apresenta ao público o seu desenvolvimento como mulher e artista. Ela fala sobre sexo, amor, término, fama, autoconfiança, desejo e sanidade, sem se deixar ofuscar pelas batidas e sabendo muito bem como trabalhar sua voz, que assim como a de Spears, não é seu maior atributo.

 

Roberta Sá, “Delírio”: o carro-chefe de divulgação do álbum de mesmo nome traz letra escrita por Rafael Rocha e vídeo em p&b dirigido por Gabriela Gastal e Nanda Abreu, no qual Roberta aparece como uma “Deusa do amor”, repleta de glitter em uma festa na rua formada por um público com todos os gêneros, etnias e rebolados. Mais carioca impossível. Tanto, que chega a dar nostalgia do carnaval em lugares como o Beco do Rato e a Praça Tiradentes.

O samba, que transborda energia positiva e suingue, integra o projeto que ainda traz composições de Moreno Veloso, Adriana Calcanhotto, Arnaldo Antunes, participações de Chico Buarque, Martinho da Vila e Xande de Pilares, coroando de vez a artista como um dos principais nomes da nova MPB.

The Weeknd, “The Hills” (Remixes): depois de ter estreado “Beauty behind the madness” em #1 e colocado “The Hills” no topo das paradas, Abel Tesfaye recruta Nicki Minaj e Eminem para dois remixes da faixa, por motivos ainda desconhecidos, já que seu atual single de trabalho é “In the night”. Mas isso não chega a ser um problema nem de perto, já que ambas as versões dão um plus para o sucesso. Enquanto Nicki parece ter feito seu trabalho com um pouquinho de preguiça e apenas uma estrofe com versos simples e sem muitas metáforas, Marshall mergulhou fundo na temática de vícios e um amor conturbado e, como o mestre do gênero que é, destilou rimas raivosas, amarguradas e certeiras, em um jogo de palavras que mostra como ele ainda mantém suas melhores qualidade de rapper. Abaixo, assista Nicki e The Weeknd apresentando a colaboração no Saturday Night Live”:

Demi Lovato, “Confident”: aproveitando a ponte firmada pelo namorado Wilmer Valderrama, Demi resolveu chamar Robert Rodriguez, ícone do cinema trash, para assinar a produção do videoclipe, que parece beber diretamente na fonte de “Machete”, filme lançado pelo diretor em 2010. Por sinal, parte do elenco, como Michelle Rodriguez e Jeff Fahey, também aparecem no vídeo da popstar, em um enredo sobre mulheres justiceiras e criminosas, que se peca pela falta de dança e coreografia, compensa nas cenas de ação e porradaria.

Will Butler, “Anna”: auxiliado pelo coreógrafo Ryan Heffington (o mesmo de “Chandelier”, da Sia, e “Say say say”, colaboração de Paul McCartney com Michael Jackson), o vocalista do Arcade Fire convida Emma Stone para uma performance dançante e hipnótica, gravada em um plano-sequência que traz à memória a propaganda da Dior estrelada por Marion Cotillard. Divertido, único e icônico, Will lançou um vídeo que absolutamente vale o play até o último segundo. Vale lembrar: Andrew Garfield, namorado de Emma, também já estrelou um videoclipe para a banda canadense, na pele de um personagem transgênero para a faixa “We exist”.

Adam Lambert, “Another lonely night”: com um visual meio Elvis Presley, Adam volta à mesma temática de “Ghosttown”, primeiro single de seu terceiro álbum, “The original high”, em que mescla uma letra depressiva com batidas dançantes, auxiliado pela produção de Max Martin. No vídeo, o artista apresenta um grupo de personagens que, apesar de estarem rodeados por pessoas e casais, acabam a noite sozinhos, na fossa, enquanto pensam em alguém que não está ali. Não é nem preciso dizer que o cantor, novamente, impressiona pelos vocais.

Ellie Goulding, “Something in the way you move”: depois de não ter emplacado “On my mind”, o primeiro single de seu novo álbum (e muito melhor que o atual), Ellie volta a investir na estética eletrônica, se distanciando ainda mais das identidades que firmou em “Lights” (2010) e Halcyon” (2012). Aos poucos, a cantora acaba se massificando entre as outras artistas de pop, em uma tentativa deprimente de se tornar mais mainstream.

 

Pesquisas relacionadas