Música & Badalo

Jéssica Ellen lança novo clipe “Madá” e frisa: “A história da minha avó é algo que quero ressignificar”

“Madá” é uma produção que revisita as raízes da cantora e mistura técnicas de clipe e mini-doc retratando a ancestralidade

Publicado em 04/11/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Domênica Soares

No mundo da arte ser multifacetada não é um desafio fácil. Jéssica Ellen é cantora, atriz e bailarina, ainda assim quebra barreiras e traz inúmeros sucessos frequentemente. Após se apresentar no Rock in Rio 2019 no palco Sunset com a diva Elza Soares, Jéssica lança um novo clipe que tem como essência levar para o público um pouco das raízes de sua arte. “Madá” é uma produção audiovisual que mistura dois estilos diferentes: clipe e mini-documentário, mostrando a relação da artista com suas origens, família e comunidade, especialmente com sua avó, Madalena, que inspirou o nome de um dos singles presentes em seu disco de estreia. “Minha participação no Rock in Rio foi sem dúvidas uma das experiências mais especiais da minha recente carreira como cantora. Foi muito emocionante cantar para um “mar de cabecinhas”, muitas pessoas. E ao lado de Elza”, comenta.

Cantora, atriz e bailarina, Jéssica Ellen faz da arte uma busca por sua própria ancestralidade (Foto: Carolina Merat)

Ela conta que o disco foi uma grande homenagem à sua família e que lançar o clipe Madá uma escolha de continuar essa homenagem, só que agora, mais diretamente à sua avó, Madalena. “As histórias das mulheres da minha família são de muita fibra, resiliência e muita dor. Através da arte, espero poder reverenciar, e ressignificá-las também”. A artista diz que quando compõe uma música e grava uma canção não pensa na reação do público visto que seu processo criativo na música é muito ligado ao que quer expressar naquele momento e dessa forma o público se identifica ou não de uma forma natural. “Acho que a empatia e o respeito precisam ser praticados de verdade. Quando isso acontece, todos os preconceitos perdem a força. A gente não precisa concordar com o outro em tudo. A gente precisa é aprender a conviver com o diferente. Com o oposto de nós”, afirma.

Em entrevista exclusiva ao site Heloisa Tolipan, a artista relata que todo o processo foi corrido, já que queria lançar o clipe logo após o Rock in Rio. Com a agenda bem cheia, terminando de gravar “Filhos da Pátria” e no processo da novela “Amor de Mãe”, ela conta que conversou com sua produtora e em dois dias já haviam conseguido montar toda a equipe para a produção do videoclipe. Além disso, frisa que seu time é formado em sua maioria, por mulheres negras: “Todas contribuíram da melhor forma para que a realização fosse possível. Eu fiquei muito feliz com o resultado”, conta empolgada com o toque sensível que construiu ao longo de sua carreira.

Jéssica e sua avó, Madalena, durante a gravação do seu clipe “Madá” (Foto: Carolina Merat)

Atualmente Jéssia está no ar na série “Filhos da Pátria”, na Rede Globo, criada por Alexandre Machado e Bruno Mazzeo. O enredo na segunda parte da série se passa nos anos 30, com muitas histórias do Brasil sob a ótica de uma típica família de classe média: pessoas comuns e anônimas, situações que muitos livros didáticos não contam. “Acho que a série relata que, mesmo passados alguns anos, o Brasil, infelizmente, mudou muito pouco. Acho que a série deixa evidente o quanto que ainda precisamos crescer e melhorar como sociedade”, diz. 

A cantora participou do Rock in Rio ao lado da Elza Soares no Palco Sunset (Foto: Carolina Merat)

Ainda na TV, ela conta sobre sua nova personagem em “Amor de Mãe”, próxima novela das 21h será Camila, “que se juntou à família de Lurdes (Regina Casé) ainda bebê, há 26 anos, quando a mulher a encontrou abandonada em uma estrada ao sair de Malaquitas, no Rio Grande do Norte, com os filhos rumo ao Rio de Janeiro. Assim como os irmãos Magno (Juliano Cazarré), Ryan (Thiago Martins) e Érica (Nanda Costa), ela admira muito sua mãe. É a única formada de a família e transformar o mundo através da educação”, adianta sobre a sua personagem. 

A artista explica que desde muito nova já tinha se apaixonado pela arte e que por volta dos 12 anos já dançava, com 13 começou no teatro e, aos 15 anos, na música. Para ela, a arte é seu oxigênio e ferramentas para expressão de sua alma. Metamorfose, alegria e espiritualidade são as três palavra escolhidas por Jéssica para se definir, e que reflete a forte presença da artista nos espaços do mundo artístico. Sua maior inspiração é a cantora Beyoncé: “Me identifico com a forma que ela questiona o mundo e expressa suas questões através da arte. Além de se uma cantora, atriz e excelente bailarina”, conclui. 

 

Pesquisas relacionadas