Música & Badalo

“Hip hop, rap, funk, mas é fato que são poucas as canções que perduram”, dispara Leo Jaime

Ao lado da bailarina Larissa Parison, o cantor está de volta aos palcos com o seu mais novo espetáculo “Dance Comigo”, que desembarca amanhã, dia 15, no Teatro VillageMall

Publicado em 14/06/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Iron Ferreira

Onze anos após o lançamento do seu último disco de estúdio, intitulado “Interlúdio”, Leo Jaime está de volta aos palcos com a turnê “Dance Comigo”, que desembarca amanhã, dia 15, no Teatro VillageMall. Inspirado pelos seus sucessos dos anos 80, como “A Fórmula do Amor” e “Nada Mudou”, o espetáculo promete resgatar a originalidade das discotecas da época. Canções de Raimundos, Charlie Brown Jr., The Cure, Rolling Stones e Legião Urbana completam o set list. A ideia de construir um show que mesclasse música com dança surgiu a partir do contato com o público, que sempre sinalizou a importância das canções em suas vidas. “A frase que mais escuto quando falam comigo nas ruas é: “Dancei muito as suas músicas”. Ao dizer isto a pessoa está me situando na trilha sonora dos seus momentos felizes, dizendo que minhas músicas são dançantes e, também, que a pessoa não dança mais. Ao que eu convido: Dance comigo. Esta é a minha resposta: não pare de dançar. Um corpo que dança é um corpo feliz”.

Ao lado da dançarina Larissa Parison, o cantor irá estrear a turnê no Rio de Janeiro (Foto: Dantas Jr. Fotografia)

Para acompanhá-lo nessa aventura, o cantor, que também é ator e jornalista, convidou a bailarina Larissa Parison, companheira do quadro “Dança dos Famosos”, do qual saiu vencedor na 150 edição. Leo afirma que toda a experiência adquirida durante o programa foi essencial e que a energia necessária para colocar em prática os diferentes estilos e ritmos transformaram a maneira como ele encara a sua arte. “A parceria com ela deu super certo. Fazer o “Dança dos Famosos” foi, também, uma oportunidade de entrar em contato com um lado meu que tinha sido esquecido. No início da carreira eu dançava sempre. Larissa uma vez, em um dos ensaios do Dança, botou um clipe de um cara que ela queria que me inspirasse. Era eu mesmo, dançando no Faustão, anos atrás. Tive vontade de integrar a dança no meu trabalho e ela incorpora esta entidade no show. Ela é a Dança”. Ele ainda completou dizendo que a modalidade ajuda a mesclar os benefícios do esporte com a leveza da prática: “A gente precisa achar um exercício que dê prazer. Eu escolho a dança. Além do condicionamento físico é arte. Faz bem ao corpo e à alma”.

Foi durante os anos 70 que a sua carreira musical começou, ano em que o artista integrava a formação original do grupo brasileiro de rockabilly “João Penca e Seus Miquinhos Amestrados”. Porém, foi a partir de 1983, com o lançamento do seu primeiro disco solo, chamado “Phodas C”, que o cantor atingiu o estrelato. Embora já tenham se passado 35 anos desde que o seu maior sucesso, “A Fórmula do Amor”, invadiu as rádios, o músico faz questão de mostrar que está atualizado perante as tendências atuais.

Foi durante os anos 80 que o Leo Jaime atingiu o sucesso (Foto: Dantas Jr. Fotografia)

Segundo ele, é raro, hoje em dia, escutarmos canções que resistam tão bem ao tempo. Porém, isso não tira o valor e o prestígio de bons nomes em ascensão. “Tem tanta gente fazendo tanta coisa diferente que uma avaliação geral seria sempre imprecisa. Hip Hop, Rap, Funk, música pop intimista… mas é fato que são poucas as canções que perduram. Mas talvez isto tenha mais a ver com a quantidade imensa de músicas lançadas e o pouco espaço na mídia como um todo. Gente boa não falta”.

O artista ainda concluiu dizendo que a era digital promove um acesso muito maior do público. Com isso, é possível valorizar o conteúdo contemporâneo sem a necessidade de compará-lo ou diminuí-lo diante do que já foi feito anteriormente. “Acho que o streaming deixa tudo ao alcance de todos. Tudo é atual. E também acho que elogiar Lupicínio Rodrigues (1914-1974), por exemplo, não precisa ser uma crítica ao que veio depois dele. Mas tem tanta música boa no nosso repertório que praticamente tudo já foi dito. Mas isto é um desafio e não um obstáculo. Há que se inventar novos clássicos”. Ele revela ainda que além de lançar canções avulsas através dos serviços de streaming, sente desejo de gravar um novo álbum: “Planos eu tenho, mas, desta vez queria uma gravadora envolvida no projeto. Enquanto isso não acontece, continuo lançando singles nas plataformas digitais”.

Segundo o artista, a desconfiança perante a imprensa brasileira é preocupante (Foto: Tielle Mello)

A arte, independente da sua vertente, sempre foi um meio permeado por fortes posições políticas e ideológicas. Através dela, os artistas sempre criaram condições para que a sociedade refletisse sobre as decisões e representantes que influenciam diretamente em suas vidas. Ao ser perguntado sobre o atual cenário nacional, Leo Jaime se mostrou pouco esperançoso. Contudo, o cantor declarou que reerguer o país deve ser uma prioridade e que a descrença no jornalismo é perigosa. “Estamos de quinta marcha em ré. Torço para que o Brasil consiga dar a volta por cima. Este país é muito grande e rico. Se conseguirmos arrumar a casa podemos ser um país exemplar. Mas já fui mais otimista. Tem gente que prefere acreditar em mensagens de redes sociais, de origem desconhecida, do que se fiar na imprensa. Pior para elas”.

SERVIÇO:

Dia 15 de junho

Sábado, às 21h

Teatro VillageMall (Avenida das Américas, 3900 – loja 160 do Shopping VillageMall – Barra da Tijuca)

Pesquisas relacionadas