Música & Badalo

Gilberto Gil, o look bapho de Duda Beat e protesto de Erasmo Carlos contra Crivella na segunda noite do Meca Festival

Marcado pela forte expressividade cultural, o segundo dia do evento reuniu música de qualidade, moda e figuras ilustres em Inhotim. O festival ainda foi palco de protestos políticos e apresentação de lançamentos

Publicado em 19/05/2019 | Por Iron Ferreira

*Por Acyr Méra Júnior

Gilberto Gil foi a grande atração na segunda noite do Festival Meca, neste sábado, no incrível museu a céu aberto de Inhotim (MG). “É ótimo cantar nesse lugar, que é tão importante para a nossa cultura e que, infelizmente, precisa tanto do nosso carinho e da nossa atenção”, disse Gil, se referindo à tragédia de Brumadinho. No evento, ele apresentou as canções do seu elogiado álbum de inéditas “OK OK OK”.

Gilberto Gil (Foto: Vinícius Fragoso)

Quem também deu o que falar no Meca foi a cantora Duda Beat. Uma das grandes revelações da música brasileira em 2018, ela se destacou com o disco “Sinto Muito” e, principalmente com o hit “Bixinho“, cantado a plenos pulmões pelo público presente. Mas não foi só pelo seu som e carisma que Duda fez bonito em sua passagem por Inhotim. Seu look-instalação, uma gigantesca capa de tecido fluído, arrematada por gigantescos balões de gás, causou frisson. “Se não for para causar, nem subo ao palco”, brincou ela.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Antes, quem abriu a segunda noite do festival foi a cantora e compositora Céu. Dona dos hits “Malemolência”, “Lenda”, “Cangote”, “Varanda Suspensa” e “Perfume do Invisível“, ela também ressaltou a importância das atenções se voltarem para a região após o desastre ambiental de Brumadinho. “É bom estar nesse lugar, nesse momento, onde questões tão graves tem acontecido aqui. Vim trazer meu axé, minha música, meu amor e meu carinho para cá”, disse ela.

Céu (Foto: Vinícius Fragoso)

Por lá passaram as atrizes Mariana Ximenes, Deborah Nascimento e também o ator Johnny Massaro. “Vim assistir ao Gil, de quem sou fã”, disse Ximenes. A ala fashion foi representada por Oskar Metsavaht, André Nicolau e Eduardo Bravin. Oskar, inclusive, participou de debate sobre sustentabilidade na manhã deste domingo. O bate papo faz parte da programação oficial do evento, que nesta edição reservou o palco principal para uma programação de palestras e painéis que debatam sustentabilidade e que tragam novas soluções para a defesa de ecossistemas e comunidades.”É maravilhoso aproveitar esse festival para debater questões fundamentais para todos nós”, disse Oskar, que é fundador e presidente do Instituto-e.

Oskar Metsavaht (Foto: Vinícius Fragoso)

Além dos shows, a segunda noite do Meca também contou com a festa mineira Alta Fidelidade, dos DJs Deivid, Fael, Garrell & Kowalsky, focada em discotecagem devinis de rock, soul, funk music e outros estilos. A carioquíssima Festa Rara (RJ) também foi uma das atrações, com os DJS Bernardo Campos e Filipe Raposo. A grande surpresa da noite foi a aparição de Erasmo Carlos, que fez uma participação luxuosa ao lado de Duda Beat, cantando cinco músicas. Sempre antenado, antes de deixar o palco o eterno “Tremendāo” soltou: “Agora preciso ir. Tenho que voltar para a minha cidade, o Rio de Janeiro, para cuidar das coisas por lá porque ela está sem prefeito”, disse ele. O público veio abaixo e, infelizmente teve que concordar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas