Música & Badalo

“Fui influenciado pelo momento político no Brasil e no mundo”, diz Bruno Capinan sobre clipe ‘Tropa’

Artista lançou o vídeo de “Tropa”, faixa do disco “Real” que ficou entre os 50 melhores na lista da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA)

Publicado em 13/01/2020 | Por Heloisa Tolipan

*Por Domênica Soares

Com mais um sucesso na cena musical, Bruno Capinan lançou o videoclipe da música “Tropa” em formato de animação. A música tem o objetivo de construir uma reflexão sobre os processos de colonização e os impactos que causaram no Brasil contemporâneo. Com cunho político, essa narrativa traz os recentes vazamentos de petróleo no Nordeste, o assassinato de Marielle Franco, os escândalos da utilização de robôs para disparo de mensagens que propagam ódio, o assassinato pela polícia de Rodrigo Alexandre da Silva Serrano, a utilização da fé como máquina para formação de quadrilha e o assassinato de Vladimir Herzog. “Real é um disco que reflete sobre o momento atual e as relações em tempos de aplicativos e a era de presidentes eleitos com o uso de fake news. Quando eu canto “eu sou um equívoco, que mal me faz reconhecer” estou cantando sobre nós, a real grandeza de admitir que como seres humanos estamos muito equivocados”, comenta Bruno.

Em entrevista exclusiva ao site Heloisa Tolipan, Bruno Capinan menciona que o processo de criação e idealização deste produto teve grande influência pelo momento político do Brasil e do mundo quando escreveu as canções. Para ele, “Real” é o pós golpe de 2016. Além disso, ele explica que muitos fatos o fizeram refletir, como o crime ambiental de Brumadinho, o assassinato de Marielle Franco e a constante sensação de vulnerabilidade das minorias que estão no centro da inspiração. “Entrei em estúdio antes das eleições de 2018, e coloquei as vozes para todas as músicas exatamente no dia das eleições. Eu idealizei um disco como um documentário da minha época, introspectivo e profundo como a foto da capa”. Bruno diz que “Tropa” é a história de alguém que chegou ao precipício e decidiu dançar. Foi isso que quis dizer com essa música e agora com esse clipe de um funk cheio de referências à política. É a construção de algo maior derivado de um momento destrutivo da nossa história como povo. “Durante o processo de produção desse disco eu tive inúmeros insights do que diz respeito ao papel do artista e conheci muitas pessoas que encontraram conforto nas minhas canções para seguir buscando o melhor para o coletivo”. 

Artista lançou o vídeo de “Tropa”, faixa do disco “Real” que ficou entre os 50 melhores na lista da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) (Foto: Marcela Boechat)

O artista menciona que devido ao atual cenário, seu clipe não poderia tomar outro caminho que não fosse o mundo político. Bruno explica que Gabriel Pontes e Arthur Casotti, da Toca Estúdio, responsáveis pela animação tiveram total liberdade para a construção do clipe. “Espero continuar a discussão sobre a importância do cunho político na música. Eu mesmo fui influenciado pelos artistas que viveram a época da ditadura de 1964, e sei da importância da mensagem, do que a arte pode despertar. É a minha contribuição. É o meu papel como artista não ficar calado”.

Bruno Capinan fala sobre sociedade e carreira (Foto: divulgação)

Bruno Capinan conta que seu trabalho social é ocupar espaços com sua música: “O legado que quero deixar é minha arte. Quero deixar discos e canções sinceras”.   

Pesquisas relacionadas