Música & Badalo

Frank Sinatra vira aplicativo, exposição, uísque e ganha novo álbum: vem ver e ouvir com HT tudo que está rolando no ano do centenário!

Além de “Shadows In The Night”, álbum de covers gravado por Bob Dylan, Frank Sinatra ganha homenagem com exposição multimídia comandada por sua família na Big Apple – onde se mostrou ao mundo

Publicado em 03/04/2015 | Por Junior de Paula

*Com Lucas Rezende

Se Frank Sinatra ainda estivesse entre nós, ele estaria completando 100 anos em 2015. Mas, uma das maiores vozes da música norte-americana do século XX continua mais presente do que nunca. E mais: as comemorações pelo centenário do ícone musical com toque de homenagem ganham, mais que merecidamente, verve multimídia. A começar por uma exposição organizada por sua família no Lincoln Center, em Nova York, batizada “Grammy Museum’s Sinatra: An American Icon Exhibit”. Além dela, um álbum de covers dos maiores sucessos de Sinatra intitulado “Shadows In The Night”, na voz de Bob Dylan, faz parte dos festejos. Enquanto o 12 de dezembro – dia em que o músico nasceu – não chega, HT dá uma prévia. Pega na nossa mão e vem!

Este slideshow necessita de JavaScript.

A grandiosidade do “Ano de Sinatra” fica por conta de uma parceria entre a família Sinatra e a Frank Sinatra Enterprises. Juntos, eles produziram o “Sinatra 100”, um projeto multimídia que começou neste mês no Lincoln Center, em Nova York, com a abertura da exposição “Grammy Museum’s Sinatra: An American Icon Exhibit”. O local é o mais propício possível, já que foi na Big Apple que ele mostrou sua voz ao mundo, nos intervalos do trabalho de garçom. Com destaque para os álbuns e filmes – aliás, Sinatra ganhou um Oscar com papel coadjuvante -, a exposição vai rodar os Estados Unidos, enquanto famosas universidades vão promover mesas redondas para analisar o legado do músico.

A “Grammy Museum’s Sinatra: An American Icon Exhibit” conta com peças de roupas, acessórios e o famoso chapéu do amor. Tudo doado pela família, a exemplo de correspondências jamais vistas antes, obras de arte, e claro, muita música. A idéia, logicamente, é reviver a alma daquele homem de voz marcante, que passeava do antigo pop agitadinho a um blues mais clean, cheio de bossa. Não foi à toa que Frank Sinatra ficou conhecido como “The Voice”, o que, vocês já podem imaginar, justifica toda essa movimentação artística multimídia como homenagem.

Frank Sinatra em foto do arquivo da Capitol Records (Foto: Reprodução)

Frank Sinatra em foto do arquivo da Capitol Records (Foto: Reprodução)

E se Sinatra era essa Coca-Cola toda, meio difícil alguém ousar tentar repetir seus feitos musicais. Aí que mora o perigo: não. Bob Dylan resolveu fazer um álbum de covers de Sinatra, intitulado “Shadows In The Night”. Tudo nesse balaio do centenário. Todos nós agradecemos. O álbum agradou a crítica, tem 10 faixas e está nas gôndolas a R$ 25.

Ah, e para fazer realmente valer todo o legado do homenageado, a família aproveita que um século se passou e o mundo é hi-tech para lançar um aplicativo comemorativo chamado “Sinatra 100”. É só fazer o download e ouvir um catálogo completo de músicas. Um uísque com a Jack Daniel’s também já foi lançado, com um apelo mais comercial, porém fiel a Sinatra. O cantor subia ao palco sempre com um copo da bebida nas mãos e chegou a afirmar que “uísque é um néctar dos deuses”. E se não fosse bastante, as gravadoras Sony, Universal e Capitol ainda planejam lançamentos, enquanto a HBO produz o documentário “Sinatra: All or Nothing At All”.

Pesquisas relacionadas