Música & Badalo

Finalista do The Voice, Thalita Pertuzatti sobe aos palcos em São Paulo para reverenciar e homenagear a carreira da musa do pop Whitney Houston

O show Whitney Houston Forever acontecerá nesta quarta-feira na Burlesque Paris 6 e incluirá grandes sucessos da cantora norte-americana que morreu em 2012

Publicado em 06/06/2017 | Por Ana Clara Xavier

Nesta quarta-feira, a cidade de São Paulo vai ter o prazer de escutar através das caixas de som uma voz muito parecida com a de Whitney Houston. Para muitos, parece até mesmo uma incorporação. E, aliás, foi por isso que a dona do timbre ganhou o apelido de ‘Whitney brasileira’ durante uma apresentação no programa ‘Hora do Faro’, do Rodrigo Faro. Com tantos predicados, portanto, foi mais que natural a ideia da cantora Thalita Pertuzatti de idealizar uma homenagem batizada Show Whitney Houston Forever ao seu grande ídolo.  “A Whitney foi a primeira cantora internacional que conheci quando tinha apenas 12 anos. Minha amiga me emprestou o CD dela e nunca mais devolvi. Fiquei encantada pela voz e o jeito de cantar. Quando assisti a primeira apresentação dela, vi que era aquilo que queria para mim, fiquei arrepiada. É uma realização de um sonho”, afirma a cantora. Com previsão de uma turnê pelo Brasil, a carioca não consegue esconder a animação com a estreia em terras paulistanas. Fazer esse show é como se eu estivesse, enfim, respirando. Ela sempre foi a minha inspiração, tenho muitas coisas em comum com ela. Sabe quando uma criança tem um sonho e este se torna realidade? A ficha ainda não caiu, mas vou dar tudo de mim na quarta-feira”, contou. Vem ler nosso papo com ela!

Site Heloisa Tolipan: O show vai acontecer no ano em que a trilha sonora do filme “O guarda-costas” completa 25 anos. A produção ganhou o grammy, em 1994, de melhores músicas cinematográficas que foram produzidas pela própria Whitney. A ideia de criar lançar essa produção agora saiu deste fato?

Thalita Pertuzatti: Não. Na verdade, a minha mãe sempre quis que eu fizesse um show em homenagem a Whitney Houston, mas não é fácil fazer um espetáculo como esse. Conversei com o Rafael Melo, com quem me apresentei em um projeto menor, sobre a ideia, mas nunca imaginei que tomaria esta dimensão. Depois do projeto inicial, fui convidada para ir ao programa do Rodrigo Faro e seguimos caminhos diferentes. No entanto, as pessoas ficaram com esse título ‘Whitney brasileira’ na cabeça, que ganhei no show.

HT: Você acha que é merecedora desse título?

TP: Várias pessoas já me falaram que reencarnei a artista. Uma moça me disse que vai dar o show de presente de aniversário para o irmão, que não vê há anos, porque mora fora. Ele era apaixonado por Whitney e a mulher disse que eu era a própria diva americana. Na verdade, eu contesto quando dizem isso porque sou muito fã dela e não acredito que exista alguém com o talento que Houston tinha. Ninguém tem a qualidade, a presença e a classe dela.

HT: Apesar das suas contestações, o timbre de vocês é muito parecido. Quando era pequena chegou a treinar na frente do espelho para alcançar as mesmas notas que ela chegava?

TP: A única coisa que treinei para ficar parecida com ela foi cantar sem fazer cara feia. Achei incrível isto nela quando assisti pela primeira vez, pois ela nem sequer movia a testa. Nunca forcei a semelhança do nosso timbre, o que acho bom, porque com o tempo poderia ficar desgastado. No programa do Rodrigo Faro, eu percebi como a gente se parecia, apesar das diferenças. Alguns momentos se encaixam, é um verdadeiro orgulho.

Thalita Pertuzatti não gosta de se comparar a cantora americana e só percebeu a semelhança entre as vozes quando já era mais velha (Foto: André Schiliró)

HT: Whitney conquistou multidões, ganhou vários prêmios e suas músicas estão entre as mais conhecidas do mundo. No cenário atual, existe alguma pessoa que poderia ser a próxima Whitney Houston?

TP: É muito difícil alguém ter a capacidade da Whitney de alcançar as pessoas. Parecia que ela cativava a pessoa logo de dentro. Além disso, cada artista tem a sua particularidade. Não dá para comparar ela com Beyoncé porque o estilo de ambas é outro. Mas acho que, mesmo assim, não vai haver ninguém como ela.

HT: No show, haverá uma banda composta por teclado, baixo, guitarra, bateria, sax e vocais, para fazer jus à homenageada. Como foi feita a seleção para os músicos que te acompanhariam nos palcos?

TP: Ficou a critério dos produtoes Sandro Chaim e Danilo Faro, o que deu muito certo. A seleção foi feita pensando muito nos músicos que se encaixavam comigo, porque sou uma pessoa muito animada e é bacana ter pessoas que combinassem. Na verdade, o show não seria possível sem cada uma das pessoas que contribuíram.

HT: A apresentação irá reunir vários sucessos como “I will always love you”, que é a música mais vendida por uma artista feminina na história da música mundial. Dentre todas as canções da artista, qual tem um significado mais especial para você?

TP: Amo todas, mas com certeza gosto mais de “Run to you”, porque marca a volta da carreira dela o que foi muito importante para quem é fã como eu. Além disso, a música fala de Deus, o que é legal porque sou evangélica e busco sempre trazê-lo para as minhas apresentações.

HT: Existe algum ponto que, na sua opinião, deveria ser melhorado para que a música brasileira fosse mais consumida no exterior assim como as americanas são aqui?

TP: O mercado brasileiro de música está expandindo, acho que estamos no caminho certo. Você vê vários artistas indo para fora, como a Anitta. Acredito que estamos em um momento em que as pessoas estão investindo muito nos cantores, sem importar o núcleo musical do qual eles vem.

Thalita Pertuzatti não conseguia conter a animação durante a conversa com a HT (Foto: André Schiliró)

HT: Muitas pessoas podem te conhecer da televisão, porque você já apareceu em vários programas musicais no Brasil. Foi uma das finalistas da primeira edição do programa The Voice Brasil, em 2012, e campeã do concurso de calouros do programa Raul Gil, em 2009. Acha que estes programas abriram novas portas na sua vida?

TP: Não sei se abriu, mas foi o público que torcia por mim que me fez estar aqui. É maravilhoso poder compartilhar o sentimento de amor pela música com outros muitos talentos que nem aparece na televisão. O amor do público faz a gente seguir em frente e, mesmo com muitas dificuldades, lutar pelos sonhos, porque eles são reais e valem a pena. O musico só quer compartilhar com as pessoas o que tem dentro do coração deles. Além disso, é bacana poder ver jovens e adultos reunidos. A música sai ganhando.

 

SERVIÇO:

Data – Quartas-feiras (07, 14, 21 e 28/06)
Local – Burlesque Paris 6
Endereço – Rua Augusta, 2809, Jardins – São Paulo, SP
Horário – 21h
Ingressos – R$70,00 (setenta reais)
Site Ingresso Rápido, bilheteria do teatro Procópio Ferreira (de terça a domingo, das 14h às 19h e bilheteria do Burlesque Paris 6 (de terça a domingo, das 19h às 21h).

 

Pesquisas relacionadas