Música & Badalo

Existe amor nos cinemas! Criolo toma gosto pela sétima e arte e agora, ao lado de Lázaro Ramos, vai surgir em “Tudo que Aprendemos Juntos”

No filme, dirigido por Sérgio Machado, o cantor interpreta um perigoso e distinto traficante paulistano, além de dar pinta na trilha sonora com “Mariô”

Publicado em 29/10/2015 | Por Lucas Rezende

Criolo tomou gosto pela sétima arte. Depois de disputar Laura Neiva com Chay Suede e Jesuíta Barbosa no longa “Jonas”, primeiro da diretora Lô Politi, que participou da mostra competitiva Première Brasil, do Festival do Rio; o intérprete de “Convoque seu Buda” vai surgir novamente nas telonas, dessa vez em “Tudo que Aprendemos Juntos“, que estreia no circuito comercial em 3 de dezembro, apesar de já ter rodado no Festival de Locarno, na Suíça, e no próprio Festival do Rio. Sob direção de Sérgio Machado (de “Aqui Deste Lugar”, “Quincas Berro D’Água” e “Alice”), Criolo contracena com Lázaro Ramos (com o qual nutriu amizade após uma gravação para o Canal Brasil), o protagonista, na obra baseada em fatos reais. “Tudo o que aprendemos juntos” narra os primeiros passos da Orquestra Sinfônica Heliópolis, do Instituto Baccarelli.

Criolo em cena, interpretando um periogoso e distinto traficante paulistano (Foto: Bia Lefevre)

Criolo em cena, interpretando um periogoso e distinto traficante paulistano (Foto: Bia Lefevre)

Na trama, Lázaro vive o violinista Laerte que falha em sua tentativa de entrar para a orquestra após ter uma crise em sua audição para integrar o grupo. Ele se vê então obrigado a dar aulas de música para adolescentes em vulnerabilidade social na comunidade de Heliópolis e vai se envolvendo cada vez mais com eles. Em dado momento do longa, o personagem de Ramos passa a lidar com um perigosíssimo, porém distinto traficante interpretado por Criolo, que, por sua vez, chantageia o professor. Com Fernanda de Freitas,Kaike Jesus, Elzio Vieira, Thogun Teixeira, Hermes Baroli, Sandra Corveloni e Graça de Andrade também no elenco, o filme tem o rapper Happin’ Hood, Z’África Brasil, Mano Brown, Emicida e Sabotage na trilha sonora (além de Criolo, of course, com “Mariô”) e se inspira, além do Instituto Baccarelli, na peça “Acorda Brasil”, de Antônio Ermírio de Moraes. Do tipo tem que ver.

Em tempo: Criolo continua rodando o país com a turnê baseada em seu mais recente álbum, o “Convoque seu buda”. Até dezembro ele passará por cidades como Cascavel (PR), Piracicaba (SP) e Praia do Rosa (SC).

Pesquisas relacionadas