Música & Badalo

Exclusivo! Fábio Jr. fala da fama de pegador, volta à atuação e da briga com a filha Cléo Pires: “quem não tem desentendimentos em família?”

Fábio, que vai subir ao palco do Citibank Hall, no Rio de Janeiro, no dia 07 de agosto, disse que agora está "mais descolado" e sempre "à disposição para escutar e ouvir os filhos"

Publicado em 31/07/2015 | Por Lucas Rezende

O novo álbum de Fábio Jr. leva seu nome e seu rosto na capa. Mas não são (só) por esses motivos que ele é traduzido tão bem um trabalho. A começar pelo single “O que Importa É a Gente Ser Feliz” e seus versos: “se quiser romance beleza, se quiser pegada te pego, se quiser ficar to pronto, se deixar rolar to dentro”. Difícil, quase impossível, não ligar a música que fala de um homem super maleável, que se precisar ficar por baixo ele fica, mas por cima também, com sua fama de pegador. Se Fábio canta sobre ele mesmo? “Hum, pode ser”, respondeu ao Site HT enigmático e aos risos em entrevista antes de subir ao palco do Citibank Hall, no Rio de Janeiro, no dia 07 de agosto.

986817

E antes que a gente precise justificar a insistência no assunto, outra faixa, “Amém amor”, entrega o próprio Fábio. Nessa, ele canta: “eu tenho filhos, muitos amigos, ex-mulheres pra caramba”, “tô ficando, tô namorando, tô beijando pra caramba”. Então, há um certo orgulho do título de pegador? “Quem ta falando de pegador é você (ri). Mas não me importo com esse título. Tudo bem se me acham assim…”, disse. Aliás, Fábio nem poderia reclamar. Desde os anos 80, quando estourou com “Pai” na trilha de “Pai Herói”, de Janete Clair, que ele é conhecido pelo ar galante e que sempre consegue o que quer.

De 1976 até hoje, já foram seis casamentos: a anônima Tereza de Paiva Coutinho, a atriz Glória Pires, Cristina Karthalian, Guilhermina Guinle, Patrícia de Sabrit e Mari Alexandre. Então, a fama não atrapalhou, certo? “Não! Acho que até ajuda”, confessou, novamente dando risadas. E mesmo, após tantos matrimônios ele não entrega o modus operandi de uma boa conquista para os leitores sem a tampa da panela. “Ah caramba! Não tem um modus operandi. Cada pessoa age e reage de um jeito. Acho que falar a verdade e com sentimento já é um bom começo”, disse. Fábio não dá receita, mas disse que sabe como jogar o jogo direito: “agora já estou mais descolado”.

Coincidências amorosas e musicais à parte, a turnê “O que Importa É a Gente Ser Feliz” tem um gosto especial. Primeiro, porque ela é uma perfeita mistura entre os sucessos antigos de Fábio e as músicas novas, as que acabaram de sair da masterização. E como ele escolheu quais mereciam voltar na turnê? Foi ouvir a voz de Deus na terra: a do povo. “Fizemos uma enquete nas redes sociais perguntando ao público o que ele gostaria de ouvir no show. Aí tinha uma lista com 52 músicas e as mais votadas foram as que marcaram minha carreira como “Alma Gêmea”, “Pai”, “Felicidade”, “Só Você” e por aí vai…”, explicou. Além dessas, as do CD novo, obviamente, vão aparecer: “o repertório dessa turnê está baseado nas canções que fazem parte da minha carreira e algumas do novo CD como ‘Amém, Amor’, ‘Será Que Fui Claro?!’ e ‘To Investindo Nessa História’“.

F.J 2 (1)

A mesma energia que Fábio, aos 63 anos, investe na música, não é a que recai sobre seu lado ator, que está em modo repouso desde 1998, quando interpretou Billy de “Corpo Dourado”. E não é por falta de vontade, acreditem. “É difícil conciliar a agenda de shows com a de gravações. Mas não digo nunca mais. Eu tenho saudades de atuar e quem sabe não pinta alguma coisa por ai…”, deixou no ar. Deixando a vida profissional de lado, Fábio Jr. não deixou de comentar sobre a tal briga que teve com Cléo Pires, sua filha.

Eles foram até ao “Fantástico”, da TV Globo, anunciar a gravação de uma música juntos e sua participação em “Qualquer gato vira-lata 2”, filme de Cléo. O motivo, eles não revelam, porque são muito íntimos, mas garantem que foram dois desentendimentos.”Basicamente ele é muito cabeça dura e acha quecsabe tudo”, disse Cléo à época. A reaproximação, segundo ela, foi porque ele ficou “correndo atrás”. Para HT, Fábio não quis discorrer muito. “Essa história virou maior do que foi né?! Quem não tem desentendimentos em família? Quem nunca brigou? Mas o importante é que agora está tudo bem”, falou. O resultado da reconciliação está no novo CD, em uma música cantada pelos dois. ‘A Cléo canta muito, tem uma voz doce, suave… A música ficou demais!”.

E já que o assunto é paternidade, como é a autoavaliação nessa “profissão”? “Sou parceiro, amigo, estou sempre à disposição para escutar e ouvir os meus filhos”, garantiu ele, que ainda é pai de Krizia, Tainá, Fiuk e Záion. Boa praça, Fábio Jr. também ganhou os holofotes recentemente por estar no arquivo do fotógrafo Antonio Guerreiro, que lançou uma exposição no Rio, mas que também tem o cantor em seus áureos arquivos. Num clique famoso, Fábio aparece sem camisa, de calça jeans, numa urbe-maravilha mais livre, leve e solta. Ele garante que não mudou nada e termina o papo como começou: dando risada. “O que mudou é que hoje eu não tiro foto sem camisa”.

Serviço 

Fábio Jr. com “O que Importa É a Gente Ser Feliz” 

Local: Citibank Hall

Apresentação: Sexta-feira, 07 de agosto de 2015

Horário: 22h30

Venda de ingressos:  www.ticketsforfun.com.br

Pesquisas relacionadas