Música & Badalo

Direto de Miami: os Estados Unidos se renderam ao nosso futebol e a Copa do Mundo ganha grande repercussão

Tem Adriana Lima ensinando a falar futebol em um anúncio da Kia, música de Gustavo Lima em uma propaganda da Pepsi estrelada por Neymar e Pelé falando em inglês para divulgar ainda mais a cadeia de sanduíches Subway

Publicado em 24/06/2014 | Por Heloisa Tolipan

*Junior de Paula, de Miami

Muito se repetiu por um tempo que os Estados Unidos não se importavam com o futebol, ou soccer, como eles gostam de chamar. Pode ser que à época que rolou a Copa do Mundo por aqui, em 1992, essa máxima fazia algum sentido, mas, agora, em 2014, parece que o país – ou pelo menos parte dele – foi contagiado pela febre do futebol.

Os programas esportivos dedicam longas e profundas reportagens sobre o esporte, as cidades-sede e a trajetória da seleção norte-americana, comandada por Klinsman, craque alemão de outras Copas. Antes do jogo decisivo contra Portugal, por exemplo, do último domingo, a ESPN exibiu um documentário de uma hora chamado March to Brazil, no qual retratava o cotidiano de treinamentos e preparativos para a ida da seleção do Tio Sam para o Brasil.

As ruas de Miami, Los Angeles, São Francisco, Nova York e Chicago, só para citar algumas, ficam cheias de americanos – e simpatizantes – vestindo as cores da bandeira em dias de jogo decisivos, e pequenas multidões se aglomeram nos parques das cidades – como é o caso de Chicago e Nova York – ou em bares com telões para acompanhar com muita festa os jogos.

Como os EUA são famosos por seu grande e diverso mix de nacionalidades, acaba que todo dia é dia de festa por aqui, já que vira e mexe ouve-se um grito de gol ecoar pelas esquinas das grandes cidades, com gente de todas as nacionalidades dando força às suas seleções, mesmo de longe. É bonito de ver a festa de cores em todo lugar que se vai em meio a esse tempo de febre do futebol.

Os jornais impressos dedicam capas dos cadernos de esporte ao tema e os comerciais de TV giram em torno do tema. Tem Adriana Lima ensinando a falar futebol em um anúncio da Kia, música de Gustavo Lima em uma propaganda da Pepsi estrelada por Neymar e Pelé falando em inglês para divulgar ainda mais a cadeia de sanduíches Subway.

São poucas as críticas em relação à Copa do Mundo no Brasil e quando surgem vêm em forma de piadas e bom humor. Como o repórter da ESPN dizendo que se assustou mais com o tamanho dos insetos da Amazônia do que com o calor que se esperava para Manaus naquele dia. O calor, aliás, é o maior alvo dos comentários da imprensa internacional, principalmente quando se tratam dos jogos no Norte e Nordeste. Isso porque estamos em julho, imagina se coloca essa turma para jogar no nosso alto verão?

Tá bonito de se acompanhar de fora essa Copa que vem sendo destacada por conta do seu número de surpresas – com zebras surgindo a cada momento – e, também, pelo número de gols, que vem aumentando exponencialmente a cada rodada. Afinal, tudo o que os torcedores querem ver é isso: partidas bonitas e muitos, muitos gols. Sigamos em frente!

Boatos-dizem-que-Copa-do-Mundo-foi-comprada-e-Brasil-será-campeão

 

* Junior de Paula é jornalista, trabalhou com alguns dos maiores nomes do jornalismo de moda e cultura do Brasil, como Joyce Pascowitch e Erika Palomino, e foi editor da coluna de Heloisa Tolipan, no Jornal do Brasil. Apaixonado por viagens, é dono do site Viajante Aleatório, e, mais recentemente, vem se dedicando à dramaturgia teatral e à literatura

Pesquisas relacionadas