Música & Badalo

Conheça Ana Vilela: a cantora e compositora de “Trem Bala”, música que já foi cantada por Gisele Bündchen e Luan Santana

Em entrevista ao HT, a jovem de 18 anos contou que a modelo brasileira entrou em contato com ela, através de uma assessora, para pedir autorização para gravar o vídeo cantando. "Eu não sabia como seria isso e nem como ficaria o resultado"

Publicado em 12/01/2017 | Por Julia Pimentel

Ela é autora de uma letra que conquistou de Gisele Bündchen a Luan Santana. Ela é dona de uma voz doce e apaixonante. Ela é Ana Vilela, cantora e compositora de “Trem Bala”. Depois de toda a repercussão do vídeo em que a top Gisele Bündchen aparece tocando violão e cantando a música em um cenário paradisíaco, o HT foi descobrir quem é Ana Vilela, a artista que criou uma canção tão verdadeira, como escreveu a modelo brasileira. “Eu tenho 18 anos e sempre fui apaixonada pela música. Eu costumo dizer que nasci cantando. Enquanto minhas amigas brincavam com bonecas, quando éramos criança, eu sempre estava com o violão”, se apresentou.

Para gravar o vídeo que está com quase dois milhões de visualizações no Instagram, Ana contou que Gisele a procurou através de uma assessora. Segundo a cantora, a uber pediu permissão para fazer uma versão de “Trem Bala”. “A assessora dela entrou em contato comigo falando que a Gisele adorou a música e que gostaria de gravar um vídeo dela cantando. Mas eu não sabia como seria isso e nem como ficaria o resultado”, contou Ana que, obviamente, adorou o vídeo. “Eu vi no meu feed porque já seguia ela. Em pouco tempo, já tinha milhares de comentários, curtidas e gente me seguindo. Foi muito louco, é uma dimensão muito grande”, disse sem esconder o espanto.

Obrigada @AnaVilelaoficial por ter criado uma música tão verdadeira. A letra é tão inspiradora que até me arrisquei a cantar #trembala #mandandoamor☀🙏🏼❤Thank you @AnaVilelaoficial for such a truthful song.The lyrics are so inspiring that I decided to take a risk and play it. #sendinglove Lyrics: It’s not about having all of the people in the world for you It’s about knowing that somewhere someone is looking after you It’s singing and being able to hear more than your own voice It’s about dancing in the rain of life that’s falling on us. It is knowing to feel the infinity in a universe so big and so beautiful It’s knowing to dream And so make it worth every verse, of that beautiful poem about believing It’s not about getting on top of the world, knowing that you won It’s about the climb and feeling that the way just made you strong It’s being shelter and also home for other hearts And this way have friends with you in all of the situations We can’t have everything What would be the fun in this world if it was like that That’s why I rather have the smiles, and the gifts that life brought closer to me It’s not about everything that your money is able to buy But all of the moments and smile that we get to share all around Not about running against the time to always have more Because when you least expect, your life ran out of time Just hold your son in your arms smile and hold tight your parents while they are here Cause life is a Bullet train , and we are only passengers waiting to leave

Um vídeo publicado por Gisele Bündchen (@gisele) em

Cerca de uma semana depois da postagem, a vida de Ana Vilela mudou e continua mudando bastante. A cantora confessou que a repercussão nas redes sociais e na imprensa a impressionou. “Depois do vídeo da Gisele, meus seguidores se multiplicaram e as visualizações no meu canal do YouTube também aumentaram. Fora os jornalistas, que passaram a me procurar ainda mais depois que minha música foi notícia em sites do mundo todo”, contou Ana, que tem a preocupação deste sucesso não ser passageiro. “Eu estou me cercando de profissionais competentes para conseguir aproveitar esse momento para a minha carreira. Desde banda à assessoria, minha preocupação é ter os melhores comigo para que não seja só uma visibilidade efêmera”, apontou.

Mas, se você, caro leitor, não é uma dessas quase duas milhões de pessoas que já viram o vídeo de Gisele e não está por dentro da música “Trem Bala”, nós te explicamos o porquê deste sucesso. Na canção, Ana Vilela resgata a essência básica da música. Acompanhada apenas de seu violão, a cantora apresenta uma letra simples, verdadeira e unânime, que agrada e causa identificação em todos que a escutam. “Eu escrevi essa música há uns quatro meses, quando acabaram as Olimpíadas. A minha intenção era expor algumas questões que estavam me incomodando naquele momento. Eu não tinha a intenção de divulgar e nem imaginava esse sucesso todo. Era só uma expressão verdadeira e íntima minha”, revelou Ana, que confessou não entender o fenômeno “Trem Bala”. “De verdade, eu não sei explicar. Já me falaram que é por causa da letra da música. Se for por isso, eu arriscaria dizer que é uma composição que engloba diferentes sentimentos. Não tem restrição, pode ser para todos”, explicou.

Ana Vilela compôs "Trem Bala" depois das Olimpíadas (Foto: Divulgação)

Ana Vilela compôs “Trem Bala” depois das Olimpíadas (Foto: Divulgação)

E, de fato, a intenção inicial não era viralizar a música. Antes de Gisele gravar o tão comentado vídeo, “Trem Bala” já havia sido compartilhada em alguns grupos de Whastapp. Na época, ninguém sabia quem era a autora e de onde vinha essa música. E foi por isso que Ana Vilela decidiu gravar o vídeo e compartilhá-lo no YouTube. “Quando eu percebi que tinham muitas pessoas repassando a minha música, eu decidi gravar um vídeo só para registrar quem era a autora. O meu objetivo era só que ninguém copiasse. Então, eu fiz um vídeo caseiro com o meu violão e coloquei na internet”, relembrou Ana que destacou o poder do universo digital na nossa sociedade. “Eu acho que a internet e as redes sociais são plataformas maravilhosas. Porém, ao mesmo tempo em que ela pode proporcionar uma experiência tão sensacional como a que eu estou vivendo agora, ela também pode acabar com relações, por exemplo. Hoje em dia, nós achamos que estamos super próximos dos nossos amigos porque conversamos o tempo todo pelos aplicativos, mas, na verdade, estamos ainda mais distantes”, ressaltou.

Em um momento em que o cenário musical brasileiro está recheado de super produções, vídeos mega elaborados e bandas e divulgação super trabalhadas, o básico se destaca. Na contramão desse exagero musical, Ana Vilela é a tradução daquela máxima: “quanto menos, melhor”. “Eu acho que o mercado da música está vivendo um momento em que o essencial não é muito valorizado. O amor, o carinho e a amizade precisam ser abordados com mais romantismo. E eu sou muito assim, eu gosto de demonstrar quando gosto de uma pessoa”, disse.

Ana acredita que, hoje em dia, o essencial da música não é valorizado no mercado (Foto: Divulgação)

Ana acredita que, hoje em dia, o essencial da música não é valorizado no mercado (Foto: Divulgação)

Para o futuro, Ana Vilela disse que quer aproveitar o momento de visibilidade. Com a intenção de que a fama não seja passageira, como já ressaltou, a cantora tem shows agendados e novas músicas para lançar. “Esse é o sonho da minha vida e eu não posso deixar passar. Então eu já tenho um projeto de carreira e pretendo segui-lo para que tudo dê certo”, disse Ana que, depois de ter cantado com Luan Santana no Cadeirão do Huck, sonha em dividir o microfone com Tiago Iorc e Maria Gadú.

Mas, se por ironia do destino, a carreira musical de Ana Vilela não seguir o roteiro idealizado pela jovem de 18 anos, ela contou que tem planos mais “tradicionais”. “Esse ano eu prestei vestibular para Letras e passei da primeira fase. Inclusive, a prova foi no dia que estourou ‘Trem Bala’ na internet. Mas, no dia da segunda fase, eu tive show e não pude fazer a prova. Então agora, só terei uma nova chance em 2018”, revelou.

Pesquisas relacionadas