Música & Badalo

Comandado por Tatá Werneck e Fábio Porchat, Prêmio Multishow celebra o poder da música em noite que teve Anitta como protagonista: “Não tenho como mensurar”, disse cantora

Além da poderosa, Luan Santana e Simone e Simaria se destacaram na cerimônia com dois troféus cada. "Em um país com tantas coisas erradas, a música ainda é um caminho que dá certo", disse o sertanejo que já tem mais de dez conquistas do Prêmio Multishow

Publicado em 25/10/2017 | Por Julia Pimentel

A música é o poder. Este foi o lema que guiou o Prêmio Multishow 2017 ontem à noite, no Rio. Em um super show transmitido pela emissora, Tatá Werneck e Fábio Porchat apresentaram a cerimônia que teve Anitta como super vencedora com três troféus e Luan Santana e Simone e Simaria em destaque com duas categorias cada um. Entre comentários inteligentes e humor bem pontuado, a dupla conduziu a premiação sem deixar de abordar temáticas importantes da contemporaneidade. Na apresentação, Tatá e Fábio temperaram com temas  – em tom bem humorado, claro – como a ausência dos poderes públicos no Brasil e a separação da Catalunha. No entanto, a parte mais política da noite, foi quando Letícia Novaes, vencedora da categoria Melhor Disco do Super Júri, com Letrux em Noite de Climão, gritou no microfone: “Michel Temer é inaceitável”.

Após um tímido, porém ouvido, coro de “Fora Temer”, a noite seguiu dedicada a valorizar as múltiplas opções da cultura brasileira. Além de vencer as categorias Melhor Cantora, Música Chiclete com “Loka”, em parceria com Simone e Simaria, e Melhor Música, com “Sim ou Não”, gravada com Maluma, Anitta ainda fez uma super performance no Prêmio Multishow. No palco, a cantora mostrou o resultado de seu projeto Check Mate e reuniu seus quatro últimos lançamentos. Delicada, a poderosa começou a performance com “Will I See You”, ganhou força com “Is That For Me”, trouxe seu balé da diversidade com homens e mulheres plus size, gays e portador de Síndrome de Down ao som de “Paradinha” e terminou ao lado de Diplo e Pabllo Vittar em “Sua Cara”. “Um dia eu quero poder detalhar para vocês o quanto é difícil você nascer onde eu nasci, ser mulher e jovem e começar a carreira cantando o que eu cantei. Eu não tenho como explicar como é crescer e chegar a um prêmio desse. Não tenho como mensurar isso agora, mas espero poder contar isso para todos um dia”, disse Anitta emocionada após ganhar o terceiro troféu da noite.

Anitta foi o grande nome da noite com três troféus e uma poderosa apresentação com direito a balé da diversidade (Foto: AgNews)

E por falar na drag queen que vem sendo destaque em grandes eventos desde o Rock in Rio, Pabllo Vittar também brilhou na cerimônia do Prêmio Multishow. Vencedora da categoria Fiat Argo Experimente, ela cantou, dançou e levantou a bandeira da diversidade na música e na sociedade brasileira. Literalmente. Para pegar seu troféu, em êxtase, Pabllo se agarrou às cores LGBTQ e agradeceu aos fãs, equipe e à mãe.

Maiara e Maraísa e Marilia Mendonça no Prêmio Multishow 2017 (Foto: AgNews)

Seguindo a noite, outro nome de peso na premiação foi Luan Santana. Tradicional campeão do Prêmio Multishow com mais de dez troféus em sua década de carreira, o cantor levou duas categorias para casa em 2017. Desta vez, Luan ganhou como Melhor Clipe, por “Acordando o Prédio”, e Melhor Cantor. “É complicado explicar a felicidade depois de dez anos de carreira. Mas este é um prêmio que, além do troféu, dá um gás novo às nossas carreiras. Em um país com tantas coisas erradas, a música ainda é um caminho que dá certo. Ao longo da história, nós tivemos vários exemplos de momentos em que a música mudou o rumo. Música é o poder e não existia um título melhor para esta edição do que esse”, disse Luan Santana que ainda comentou a repercussão de Pabllo Vittar na música e no comportamento nacional. “A bandeira que ela levanta é uma inspiração para a gente ver que nada é grande demais diante do que sonhamos. Basta querer e correr atrás. Tudo pode mudar. A música pode mudar o mundo”, disse.

Luan Santana ganhou dois troféus este ano na cerimônia (Foto: AgNews)

Com um discurso menos político, porém tão verdadeiro e emocionado quanto, Simone e Simaria não fugiram de sua espontaneidade depois de ganhar o segundo troféu da edição. Após a conquista de Música Chiclete, com “Loka”, e Melhor Grupo, Simaria subiu ao palco nas costas de Simone, jogou a sandália na plateia para ficar mais confortável e correu animada com a conquista. Já Simone, como irmã mais velha, preferiu uma comemoração mais emocionada. No microfone, a sertaneja lembrou um episódio recente. “Antes de vir para a premiação, eu recebi uma mensagem no meu celular de uma moça de 18 anos que queria se matar. Ela disse que a mãe estava passando por uma doença muito grave e não tinha força para continuar vivendo. Na mensagem, ela contou que o que fez ela lutar foram as nossas músicas. Então, eu quero agradecer a Deus pelo dom de cantar e ao Brasil por tanto amor”, disse Simone emocionada.

Anitta ganhou como Melhor Cantora, Melhor Música e Música Chiclete ao lado de Simone e Simaria (Foto: AgNews)

Antes do Prêmio Multishow começar, a cantora conversou com o HT e não escondeu a ansiedade. De acordo com Simone, a noite que antecedeu a cerimônia foi de pouco sono e muita expectativa. “Eu fiquei sem dormir. Quando eu deitava por 30 minutos, já acordava de novo. O tempo todo eu pedia a Deus para acalmar meu nervosismo e conseguir descansar. O pouco que eu dormi foi com o barulhinho de chuva no celular”, contou Simone que evoluiu da categoria Experimente em 2016 para três das duas que ganhou este ano.

Thiaguinho no Prêmio Multishow 2017 (Foto: AgNews)

Para completar os destaques da edição, o Prêmio Multishow ainda abriu espaço para a música independente. No Super Júri, que teve três categorias decididas por especialistas do mercado musical e não pelo público, como nas demais, artistas autorais ganharam visibilidade e espaço entre os grandes nomes do mainstream. Os vencedores foram Rincon Sapiência, como Revelação, Letícia Novaes com “Letrux em Noite de Climão” na categoria Melhor Disco e “As Caravanas” de Chico Buarque como Canção do Ano. Indicado com a música “Flutua” para a categoria vencida por Chico Buarque, Johnny Hooker comentou a importância de a música independente estar ganhando espaço na mídia nacional. “Olha como está colorida essa noite. Eu acho que isso é um reflexo da mudança que a sociedade tem passado como um todo. É claro que ainda existe uma barreira no mainstream, mas isso está sendo quebrado com artistas como Pabllo Vittar. Então, a meu ver, a tendência é que a música pop e a independente se misturem cada vez mais”, comentou.

Veja a lista completa de vencedores:

SUPERJÚRI

Canção do ano: “As caravanas” – Chico Buarque
Melhor disco: Letrux – “Letrux em noite de climão”
Revelação: Rincon Sapiência

VOTO POPULAR

Melhor cantor: Luan Santana
Melhor cantora: Anitta
Melhor show: Joelma
Música chiclete: “Loka” – Simone & Simaria part. Anitta
Fiat Argo Experimente: Pabllo Vittar
Melhor grupo: Simone & Simaria
Melhor música: “Sim ou não” – Anitta part. Maluma
Melhor cover da web: Luísa Sonza – “Fica” (cover Anavitória ft. Matheus & Kauan)
Melhor clipe TVZ: Luan Santana – “Acordando o prédio”

Pesquisas relacionadas