Música & Badalo

“Quero positividade e a atitude é essencial para que cada pessoa mude vidas”, dispara Filipe Ret

O cantor, confirmado no Lollapalooza, lança novo single “Ilusão”, pela Som Livre, comenta sobre parceria com o funkeiro Kevin O Chris no álbum que chega ao mercado em 2020 e ainda analisa: “Todo mundo sabe que viver não é fácil. Hoje vemos no Instagram só as coisas boas, mas sabemos que a vida pessoal de cada um faz parte de um drama particular. Toda vida é dramática então, se eu puder ajudar, influenciar e fortalecer as pessoas que me escutam, vou ser eternamente grato” 

Publicado em 04/12/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Domênica Soares

Com atitude e positividade, Filipe Ret lança novo single “Ilusão” que faz parte do novo disco do artista com previsão de lançamento em 2020. A faixa segue a linha do cantor e traz mensagens positivas e de superação. Além disso, uma novidade acompanha a produção: o clipe, que é dirigido por Cauã Csik, conta pela primeira vez, com a participação da mulher do rapper, Anna Estrela, que o inspirou para muitos versos da faixa: “Hoje eu me sinto inspirado/Sou um homem de sorte/Voando mais alto/Ficando mais forte” e “Com ela a vida tem momentos incríveis/Com ela todos os meus sonhos são mais possíveis/Lucros invisíveis são melhores/Separados somos fortes, juntos imbatíveis”. Ele conta que sua mulher e o filho. Theo, foram seus trunfos nesses últimos anos.

Ret lança álbum em 2020 (Foto: Patrick Gomes)

Em entrevista exclusiva ao site Heloisa Tolipan, o rapper, 34 anos, comenta sobre a pluralidade de seu novo álbum. “O disco vem versátil e, de certa forma, politizado. Trabalho com versos e palavras e, inevitavelmente, isso acontece direta ou indiretamente. Venho criando esse álbum emendando em outro e  não parei de dar sequência. Essa é a primeira vez que faço esse processo sem pausas, estou bastante presente no estúdio e com grande frequência. Nesses últimos dois anos, eu foquei bastante, mas, em paralelo, sigo com meus shows pela estrada. Isso também é importante para manter um bom ritmo de trabalho”. Para essa nova produção, ele ainda anuncia que muitas parcerias de peso estarão com ele, como por exemplo o funkeiro Kevin O Chris. “Serão muitas participações incríveis. O Kevin é uma delas. Um cara que admiro, sua batalha e originalidade. Descobri que ele também era meu fã e dividir o estúdio com ele foi uma ótima experiência porque tudo aconteceu de forma amigável, a admiração e troca foram mútuas”, conta. 

No cenário do rap desde 2009, no disco “Numa Margem Distante”, Ret dedicou metade de sua vida à carreira e, hoje, é um dos principais nomes do cenário nacional. Nascido no Catete, no Rio de Janeiro, iniciou sua jornada nas rodas de rima da região e trazia consigo um olhar observador e diferenciado, fazendo com que ganhasse destaque a cada momento. Ret, se juntou ao produtor e beatmaker Mãolee e a Daniel Shadow e desenvolveram a “Tudubom”, banca independente de rap que conta com canal no YouTube, peças de roupas street wear e um selo fonográfico. Filipe Ret explica que o rap nunca esteve em um momento tão interessante com tantas figuras importantes e representativas como está tendo agora. “A tendência é de que esses nomes aumentem cada vez mais. Sou fã de muitos e, atualmente, os que mais tenho ouvido são: Djonga, Oroshi, BK, Xamã e muitos outros, figuras bacanas que vieram com uma positividade e energia interessantes para o rap”, comenta. 

Filipe Ret e sua mulher, Anna Estrella contracenam em gravação (Foto: Patrick Gomes)

O cantor explica que se sente parte de todo movimento relacionado ao cenário do rap, movimento cultural urbano que acontece não só no Brasil, mas no mundo todo. “O rap é a música urbana da juventude, das cidades e me sinto parte disso com o trabalho que venho fazendo nesses anos. As pessoas acompanham minha luta e se inspiram. Busco levar esse tom positivo para quem escuta meu som e muita atitude para que ambos possam mudar de vida, acho que essa é a visão do ritmo. Me sinto nessa função de elevar a energia de mudança para as pessoas fazendo com que nunca se acomodem”.

O  rapper divide que em suas músicas busca sempre dar seu melhor e que se isso for capaz de transformar a vida de alguém para o bem, excelente. “Todo mundo sabe que viver não é fácil. Hoje vemos no Instagram só as coisas boas mas sabemos que a vida pessoal de cada um faz parte de um drama particular. Toda vida é dramática então se eu puder ajudar, influenciar e fortalecer as pessoas que me escutam, vou ser eternamente grato com isso”. 

Filipe conta que sempre sonhou em ser cantor e que, desde criança, queria estar nos palcos. “Gostaria até de estar no mundo do rock, mas optei pelo rap por conta da estrutura necessária ser mais simples de ser executada. No rock, não teria acesso a gente de banda, guitarristas, bateristas entre outros. No rap, bastava um computador e alguém que fizesse a batida, além da disposição de colocar na internet. Na minha época, a primeira plataforma que inseri minhas músicas foi no MySpace e, a partir disso, comecei a produzir mais, criando novos sons, letras e divulgando na internet”. 

Bem seguro de seus objetivos, Filipe Ret conta que, após ter virado pai, a vida mudou. “Sinto que meu coração evoluiu” e, por isso, vem seguindo na pegada da positividade para fazer diferença na vida das pessoas, que, em geral, estão vivendo um cenário de instabilidade. E toda positividade e atitude das composições do cantor são capazes de agregar e fazer a diferença na vida de quem o ouve. E esse é um dos seus grandes objetivos de vida: “transformar histórias”. 

Pesquisas relacionadas