Música & Badalo

Com a chancela de Lucinha Araújo, bloco em homenagem a Cazuza grava ‘Exagerado’

A canção, em abril de 2020, completa 35 anos de sucesso, além de ser o start para as comemorações de 30 anos em homenagem à memória do poeta da música brasileira

Publicado em 08/10/2019 | Por Heloisa Tolipan

O vocalista do Bloco Exagerado, Helton Alves, que leva a energia de Cazuza para o Carnaval Carioca (Foto: Bárbara Dias)

*Por Rafael Moura

‘O poeta está vivo

Com seus moinhos de vento

A impulsionar

A grande roda da história’

A letra do Barão Vermelho, de 1990, ‘O poeta está vivo’ sintetiza a nossa eterna reverência a Cazuza (1958-1990). E a gente vem aqui para contar que o Bloco Exagerado que, há quatro anos, desfila versões carnavalescas de músicas do poeta na folia carioca, disponibilizou nas plataformas digitais o single de “Exagerado”, um releitura do hit de 1985. A canção foi escolhida para ser uma prévia do EP que será lançado em abril de 2020, ano em que o sucesso completará 35 anos, além de 30 anos do falecimento de um dos maiores gênios da música brasileira. “Será um ano de muitas saudades e perguntei à Lucinha Araújo se poderíamos gravar o EP para divulgarmos ainda mais o bloco e a obra de Cazuza. Ela topou de imediato! É a realização de um sonho”, comemora, o produtor e idealizador do bloco, Rafael Braga. A gravação foi supervisionada por Guto Goffi, baterista e fundador do Barão Vermelho, que além grande amigo e parceiro em composições com Cazuza, emprestou seu estúdio para a eternizar essa versão do clássico.

“Exagerado é uma das letras mais incríveis do Cazuza e poder ser nomeado padrinho desse bloco foi uma enorme emoção. Esses meninos valorizam e amam a obra do nosso poeta. Parece um tipo de devoção, algo que transcende. Fora que a Lucinha ficou muito feliz com essa homenagem”, revela Guto, ao site Heloisa Tolipan.

A capa do single, Exagerado, do Bloco Exagerado em homenagem ao poeta Cazuza

Rafael nos conta ainda que é um grande fã do astro: “Eu tenho todos os CDs e para mim é um honra poder fazer essa homenagem, ainda mais com a chancela da Lucinha e do Goffi, o que mais é gratificante. É impressionante a quantidade de pessoas que amam o Cazuza. No carnaval, nós passamos de 3 mil foliões para 40 mil pessoas na Praça Tiradentes. É uma forte onde de amor que mantém suas memórias vivas, ainda mais porque suas letras são pura realidade atual”.

No carnaval 2019, Guto foi coroado padrinho do bloco e recebeu a faixa no palco montado na Praça Tiradentes, Centro do Rio, onde uma média de 40 mil pessoas se reuniram. O desfile deste ano, aliás, foi marcado ainda pelo lançamento da T-shirt oficial do bloco e pela inserção de mais duas músicas do repertório de Cazuza, extraídas da trilha do filme Bete Balanço. ‘Amor Amor’ foi a música tema deste ano, que contou ainda com uma versão momesca de ‘Mais Feliz’, hit conhecido na voz de Adriana Calcanhotto.

O Bloco Exagerado em 2019 levou 40 mil pessoas para a Praça Tiradentes, no Centro do Rio (Foto: Bárbara Dias)

Lembrado como um legítimo carioca devido ao perfil brincalhão e amante da música brasileira, Cazuza é homenageado pelo bloco e pelos amantes do rock nacional desde 2016, fundação do Exagerado, num clima de festa, com direita aos toques dos agogôs, chocalhos, surdos, triângulos e tamborins embalados por dez músicos na banda e quase 40 integrantes na bateria. O resultado é a vibração dos foliões com versões de ‘Vida louca vida‘ em ritmo de samba, ‘Por que a gente assim?’ com uma pegada do baião e ‘Malandragem’ em ritmo de frevo.

Pesquisas relacionadas