Música & Badalo

Coluna da Véia: “Ninguém vai impedir esse turbilhão de jovens dispostos a serem felizes com seus corpos e desejos”

DJ Zé Pedro faz manifesto pelos direitos individuais, fala sobre cinema, música, Rio Moda Rio e relembra um clássico de 30 anos atrás em sua coluna semanal aqui no site HT. Vem que tá imperdível!

Publicado em 17/06/2016 | Por Junior de Paula

*Por Zé Pedro

O meu prazer agora é risco de vida. Essa frase proferida por Cazuza em 1988, infelizmente voltou a ser lembrada nessa semana em que o ataque a um clube gay em Orlando devastou as cabeças pensantes e os liberais viventes desse mundo louco. Outra triste lembrança que veio junto com esse triste ocorrido, foi a rebelião Stonewall acontecida em Nova York no ano de 1969. Ou seja, vivemos um retrocesso de lutas pelos direitos humanos, uma tentativa de avanço de pensamentos homofóbicos e reacionários. Meu aviso a esses lixos em forma de gente: assim como a internet desmascarou e devastou o acomodado mercado de comercialização de músicas e filmes permitindo a todos o acesso livre à arte, o mesmo está acontecendo com a forma de viver o amor e o sexo. Ninguém vai impedir esse turbilhão de jovens dispostos a serem felizes com seus corpos e desejos. É só andar na rua e ver um arrastão de mãos dadas, beijos públicos, festas onde a nudez é permitida e tantas outras conquistas desse povo que, não à toa, se denomina gay. Eu acredito é na rapaziada, como diria Gonzaguinha.

bandeira-gay-620x4261

A Véia vive de música mas adora a sétima arte. Sendo assim, dá uma passada na @cinematecazp o Instagram onde indico aqueles filmes maravilhosos que são difíceis de encontrar, mas valem a pena procurar. E, ao contrário da Glória Pires, arrisco uns comentários nos posts, porque gosto mesmo é de opinar!

13446137_10157059982990164_939362664_o

Afinal você gosta de sunga e chinelão ou edredom e fondue? Entre esses opostos vive o brasileiro. Ou não. Estamos bem longe de termos estações definidas. Mesmo assim, adoramos nos iludir que estamos no outono ou primavera, por exemplo. Somos um país de clima temperado onde as temperaturas oscilam mas não radicalizam. Por isso, parem de falar em aquecedores e luvas térmicas porque já já voltamos pro bafão eterno!

E nessa semana no playlist da Véia:

E o Rio volta a reivindicar seus direitos de capital da moda depois de um tempo de hibernação fashion. Essa semana foi dada a partida no “Rio Moda Rio” que, mesmo mirando o futuro das marcas cariocas, apostou na emoção retrô, abrindo o evento com uma homenagem-lágrimas à marcas como Company e Yes Brazil passando pelos mitos da elegância cool George Henri e Maria Cândida. O momento “quebra internet” foi a entrada de Xuxa na passarela no melhor estilo bota branca e cabelo do Ovelha ( quem lembraria desse mito do brega? Só mesmo eu, a Véia enciclopédia!)

Onde eu estava há 30 anos? Trabalhando de caixa na boate Crepúsculo de Cubatão de saia e cabelo azul ouvindo… “The Queen is Dead“, o álbum emblemático-coração da banda inglesa The Smiths que essa semana virou trintão. O que eu me lembro dele? Acima de tudo do enigmático vídeo-filme de 13 minutos criado pelo diretor Derek Jarman com algumas canções do disco e a carinha linda de Alain Delon na capa do disco. E você segue daí com as recordações, porque a Véia tá saindo pra pista. Até semana que vem!

Leia mais: A estreia da Coluna da Veia aqui no site HT

Zé Pedro é um artista dedicado à Música Popular Brasileira. Apesar de ser conhecido com um DJ que toca vários estilos musicais, é considerado uma enciclopédia da MPB. Nessa área, ele atua em qualquer esfera de produção de remixes, a publicação de um livro e a inauguração do selo Jóia Moderna, em 2011, que já conta com mais de 20 discos lançados até agora, resgatando o trabalho de cantoras de outras gerações, criando tributos a grandes compositores e lançando novos talentos do pop brasileiro. Mais recentemente criou o Canal da Véia (como ele se refere a todo mundo e a si mesmo) no YouTube, que já é um sucesso.

Pesquisas relacionadas