Música & Badalo

“As mulheres têm que ter pulso firme. As pessoas precisam nos aceitar do jeito que somos”, dispara MC Pocahontas

Depois de uma turnê na Europa, MC Pocahontas adiou suas férias para desembarcar em Fortaleza e sacudir o público nas areias da Praia de Iracema, no Palco Cores, na edição de 2019 do DFB Festival, em Fortaleza

Publicado em 18/05/2019 | Por Heloisa Tolipan

O show da MC Pocahontas no DFB Festival 2019 estava lotado (Foto: Davi Magalhães)

*Por Rafael Moura

Depois de uma turnê na Europa, MC Pocahontas adiou suas férias para desembarcar em Fortaleza e sacudir o público nas areias da Praia de Iracema, no Palco Cores, na edição de 2019 do DFB Festival. “Pocahontas já era meu apelido desde criança. E eu gosto muito do filme. Até hoje. Na hora de escolher um nome artístico, já estava decidido. Em Duque de Caxias, onde eu morava, todo mundo já me conhecia por Pocahontas. Até nas comunidades no Orkut. Então foi natural”, explica a cantora logo no início da nossa conversa.

Poca (como é chamada pelos íntimos) se declarou muito feliz de poder cantar em Fortaleza, ainda mais num evento de moda. “Eu fiquei muito feliz pelo convite da mulher do futuro, a Edgel (Joseph, uma das donas da Cores Entretenimento). Eu troquei as minhas férias para estar aqui”, disse e completou “quando contei no meu Instagram que viria para cá, uma galera comentou nas minhas redes sociais que viriam para me ver”, pontuou a MC super emocionada.”A minha expectativa é arrasar no palco arrasar e muita alegria para a galera, mostrando, claro, o melhor do funk carioca para fazer essa praia rebolar”.

A cantora se define como eclética, em tudo na sua vida. “Acho que é o meu signo, sou libra. E acredito muito na minha independência e liberdade. Sou vaidosa e sedutora”, ressalta Pocahontas, definindo as mulheres librianas. “Meu estilo varia de acordo com o meu humor. Eu não posto look do dia, eu posto humor do dia”, brinca a funkeira sobre seu gosto para a moda. Quem acompanha Pocahontas nas redes sociais vê que a jovem usa de tudo, mas seus grandes xodós são brilho e animal print. “Eu até vontade estudar moda, quem sabe futuramente”. Será que podemos esperar uma verve estilista da cantora? Poca apenas riu.

A MC que surgiu em 2010, com 15 anos, se considera feminista, mas nos confessou que nem sempre foi assim. “Eu me descobri mulher empoderada há uns três anos. Mas estou em constante construção. Vamos nos conscientizando das nossas ações. Já tive atitudes e cantava algumas músicas que hoje eu reprovo. Quando bato no peito e digo que sou independente, sou forte e não preciso de homens e tal, algumas pessoas comparam com o discurso que eu usei no passado”, ressalta e completa “As pessoas esquecem que nós mudamos diariamente. Uma pessoa que me conheceu há um ano, não me conhece mais hoje. Estamos em constante evolução, e aceito toda mudança em mim que seja em prol do respeito e crescimento”.

MC Pocahontas cantou e dançou durante todo o show no DFB Festival 2019 (Foto: Davi Magalhães)

Essa mudança pode ser percebida em sua carreira, afinal ela tem misturado todos os ritmos no palco, já mirando na projeção internacional. “Quero inovar, quero uma nova versão minha, mais ousada. Eu me privava muito de me expor e acho que a galera gosta de mim, do jeito que eu sou. Eu me inspiro muito na Nicki Minaj, mas a diva máxima, para mim, é Beyoncé“, declara. No Brasil, ela disse ser muito fã da Iza, saber a letra de todas as músicas e que adoraria gravar com a musa. “Eu amo a Iza, gosto da voz e da força que ela dá para as mulheres. Acho linda essa nossa força representando no cenário musical”, enfatiza. (Alô Iza, fica a dica).

Faz um mês que MC Pocahontas lançou seu single “Não Sou Obrigada”, hino sobre empoderamento e liberdade feminina, e o resultado da produção tem sido esmagador! A música fez a cantora entrar em sua primeira playlist global do Spotify, a “Global X”. “Cara eu surtei, foi a minha primeira vez no Spotify internacional. Estou pro mundo. Todo artista que trabalha com garra e determinação buscar reconhecimento, e quanto mais melhor”, conta eufórica e completa “meu fã clube pirou. Recebi muitas mensagens de parabéns”.

O show da MC Pocahontas no DFB Festival misturou todos os ritmos para sacudir a platéia (Foto: Davi Magalhães)

A música que fala sobre ser mulher hoje em dia e suas experiências. “Pregamos a liberdade feminina, o empoderamento e as coisas que a gente enfrenta no nosso dia a dia. Uma vez um cara disse para mim que não queria sair comigo pelo short curto que estava usando. Aquilo mexeu muito comigo. Mas disse: ‘está bem, vou sair com outro’. Acham que vão mandar em mim? Sou dona de mim”, conta a MC revoltada com as manifestações contantes de machismo que vivencia e observa diariamente. “Acredito que as mulheres têm que ter pulso firme e acreditar que as pessoas que estão com elas não têm que mudá-las, e sim aceitá-las do jeito que são. “Não sou Obrigada” é uma música feliz, que além de ter uma mensagem, é muito divertida e tem até coreografia”.

A repercussão está tão meteórica que no YouTube, o clipe da música já ultrapassou 18.000.000 visualizações. Além disso, o single de MC Pocahontas entrou para diversos top 50 da plataforma de streaming, como “50 Mais Tocadas no Brasil”, “50 Virais no Mundo”, “50 Virais do Brasil”, “50 Virais de Portugal”, e “50 Virais do Paraguai”. Um verdadeiro fenômeno. A cantora ainda está com dois clipes no topo na internet, mais de 100 milhões de acessos. Quer mais, com MC Mirella e Oh! Quem Voltou em parceria com Dani Russo e Naiara Azevedo.”Eu quero mais e mais. Quero isso para todos os singles. Eu fiquei muito feliz, são números muito expressivos. Devo isso a Mirella, Naiara e a Dani. A união faz a força”, esse é o verdadeiro girl power.

Em junho Pocahontas lançará um música nova. “Ainda não temos um mome, mas a música é muito bacana, é um funk também 150 bpm, porque a galera curte muito, e eu também. Se o artista lança algo que ele gosta, é mais verdadeiro. O público abraça melhor. É a minha essência, eu sou muito pé no chão”, finaliza.

A funkeira carioca declarou que ficou muito emocionada com a presença de tantas pessoas (Foto: Davi Magalhães)

Pesquisas relacionadas