Música & Badalo

Alcione fala sobre título de Cidadã Honorária do Rio e projeto para 2020: ‘Tem musical, documentário e biografia’

"Me dediquei a cantar para o meu povo e sou reconhecida por isso. E tenho orgulho de carregar o nome e a música do meu país comigo aonde quer que eu vá", pontua a cantora

Publicado em 08/11/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

Todas as cidades querem Alcione. Depois de receber, no Recife, o título de Cidadã Pernambucana e uma homenagem em Salvador (BA), a Câmara Municipal do Rio entregou a Marrom o título de Cidadã Honorária e Benemérita do Rio de Janeiro em reconhecimento à militância nas lutas contra discriminação racial na sociedade e suas contribuições à inclusão dos artistas negros na cultura brasileira. “Felizmente, tenho recebido muitas condecorações e homenagens pelo país afora. No Maranhão, meu estado natal, principalmente. Lá fui agraciada com todas as condecorações possíveis, o que me faz muito feliz e realizada. Acho que sou uma artista popular. Me dediquei a cantar para o meu povo e sou reconhecida por isso. Tenho orgulho de carregar o nome e a música do meu país comigo aonde quer que eu vá”, comemora, em entrevista exclusiva.

Alcione recebeu o título de Cidadã Honorária do Rio em reconhecimento à militância na luta contra a discriminação racial (Foto: Divulgação)

Como uma boa cidadã, ninguém melhor que ela, ao lado de Diogo Nogueira, para comemorar os 107 anos do bondinho do Pão de Açúcar e o aniversário do programa Estação do Samba. No dia 14 de novembro, uma quinta-feira, véspera de feriado, o Morro da Urca recebe os dois cantores e Alcione promete emocionar com um repertório que inclui clássicos como “Meu Ébano”, “Estranha Loucura!” , “Não Deixe O Samba Morrer”, “Rio Antigo” e “Qualquer dia desses”, entre outras. Além disso, ela apresentará uma canção inédita, que está sendo registrada em novo álbum, com lançamento programado para o início do ano que vem: “Fascínio”, de Toninho Geraes e Paulinho Rezende. “Vai ser uma festa, com um cenário de tirar o fôlego! Gosto de inserir muitos hits para interagir com os fãs. Eles adoram cantar junto conosco, e nós adoramos a participação do público. E vai ser meu primeiro show pós título… agora sou mesmo ‘marioca’ (maranhense e carioca)”, diz.

Projeto ‘Eu sou a Marrom’ inclui biografia, musical e documentário (Foto: Divulgação)

E Alcione está com um multifacetado projeto, ‘Eu sou a Marrom’, com biografia, musical, documentário e muito mais. Tudo para 2020. “Não sou eu quem vou escrever. Cada setor tem seus produtores e responsáveis. Eles nos dão ciência de tudo, mas deixo para os profissionais a realização de cada trabalho. Quanto à biografia, será redigida pela a jornalista Diana Aragão, que acompanha o meu trabalho há muitas décadas”, adianta.

Pesquisas relacionadas