Música & Badalo

#AgendaDoSiteHT: Um ano do climão da Letrux, Marcius Melhem no teatro e mais!

Tem festa descolada com DJ sul-africano hype, Martinho da Vila no Circo Voador, celebração do Japão, monólogo com uma releitura de Jesus e documentário sobre o Morro do Castelo, no Rio. Vem ler!

Publicado em 12/07/2018 | Por Junior de Paula

Climão para as massas

Um ano depois do lançamento de “Letrux em Noite de Climão”, a cantora Letícia Novaes – ou Letrux, como queiram – volta ao Circo Voador, nesta sexta, para um show que promete ser histórico:  “365 dias depois e o que posso dizer? Que sou diariamente emocionada pela trajetória que esse álbum tem. Agradeço todxs seres lindxs que espalham a palavra do CLIMÃO lindamente. Amo lembrar que esse disco só existe por conta de financiamento coletivo, famoso crowdfunding” contou. A noite ainda vai ter a participação de Linn da Quebrada e Bloco Toco-Xona, com abertura de Jeza da Pedra e DJ Tata Ogan comandando a pista.

Quando: Sexta, 13 de julho de 2018. Abertura dos Portões: 22:00
Onde:  Circo Voador
Quanto: A partir de R$40

Japonismo

Para celebrar os 110 anos de imigração japonesa no Brasil, o Centro Cultural Correios está com uma programação bem especial durante este mês: oficinas de origami, bonsai, cosplay e culinária e duas exposições. A primeira, Em Caminhos da Luz e Esperança, da fotógrafa Miro Ito, que apresenta raros registros em pergaminho. A segunda, Variação e Autonomia: as Gravuras de Artistas Japoneses Contemporâneos, com obras de dez criadores japoneses que se dedicam às gravuras

Quando: Terça a domingo, 12h às 19h
Onde: Centro Cultural Correios Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro
Quanto: Grátis

Devagar e sempre

Neste sábado, 14 de julho, Martinho da Vila comemora 80 anos com um show especial no Circo Voador no qual revisita não apenas seus dois últimos álbuns – ‘De bem com a vida’, que ganhou o grammy de melhor disco de samba em 2016, e ‘Alô Vila Isabel’, homenagem a sua escola do coração – como os grandes clássicos da sua carreira, como ‘Devagar Devagarinho’, ‘Madalena do Jucu’, ‘Disritmia’, ‘Ex-Amor’.

Quando: Sábado, 14/07
Onde:  Circo Voador
Quanto: a partir R$ 50

Bate forte o tambor

A festa dos descolados CROMA traz os tambores africanos misturados com as batidas eletrônicas do sul-africano baseado em Londres, Esa.  O DJ transborda conhecimento musical nas pick ups, como produtor e líder da banda Ata Kak. A noite ainda conta com MOO Disco Set (Badenov & Diogo Reis) e CROMA DJs (Martha Pinel & André Duvivier) e artes com laser e Marc Kraus.

Quando: 13 de julho
Onde: Circo Crescer e Viver
Rua Carmo Neto, 143 – Cidade Nova
Quanto: A partir de R$20

Jesus na Lapa

E se Jesus vivesse nos tempos de hoje e fosse uma mulher transgênero? Essa é a pergunta que o espetáculo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, de Jo Clifford, faz. Com Renata Carvalho estrelando o monólogo, que tem tradução e direção de Natalia Mallo,  o espetáculo é uma mistura de monólogo e contação de histórias em um ritual que mostra Jesus no tempo presente, na pele de uma mulher transgênero. Histórias bíblicas são recontadas em uma perspectiva contemporânea, propondo uma reflexão sobre a opressão e a intolerância sofridas por pessoas trans* e minorias em geral na sociedade.

Quando: Sexta e sabado às 22h
Onde: Sede das Cias – Rua Manoel Carneiro 12, Lapa
Quanto: Pague quanto der

Lendas urbanas

Depois de elogiadas exibições pelo país, o documentário ‘O desmonte do Monte’ faz sua estreia no Rio de Janeiro. Primeira direção da produtora Sinai Sganzerla, que também assina a pesquisa e o roteiro, o longa-metragem aborda a história do Morro do Castelo, marco da fundação do Rio de Janeiro pelos portugueses, e seu desmonte devido a interesses imobiliários. A narração do filme é feita por Helena Ignez (mãe da diretora), Negro Leo e Marcus Alvisi. No Rio de Janeiro, nesta primeira semana, o filme estará em cartaz no Estação NET Botafogo 2 e no Cine Santa. O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e arquitetônica, o morro foi destruído por reformas urbanísticas com o intuito de “higienizar” a cidade e promover a especulação imobiliária.”O filme cobre 465 anos de história do Rio de Janeiro, desde a guerra entre franceses e portugueses e o extermínio de índios que antecederam a fundação até os dias de hoje”, conta Sinai.

 

Teatro que faz rir e pensar

Sucesso de crítica e público, a peça “O Abacaxi” reestreia no Rio, em julho, com novo elenco. Em sua versão 2018, Marcius Melhem entra em cena no lugar do ator Felipe Rocha ao lado de Veronica Debom, num mergulho sobre as relações amorosas em todas as suas possibilidades.  Dirigidos por Debora Lamm, os parceiros do programa de TV, “Tá no ar”, dão vida a diversos casais _  um casal com relacionamento aberto, um trisal, um casal de amigos, pessoas em busca de amor próprio _, que, em comum, estão em busca de um amor liberto. “A obra fala das angústias de uma geração que tem o ideal romântico padrão Disney como referência intelectual, mas, ao mesmo tempo, tenta se libertar, pois já está diante de outra que dilui a identidade de gênero e encara com naturalidade o amor livre”, explica Veronica.

Quando:  a partir de 16 de julho a 14 de agosto, segundas e terças, às 19h
Onde: Teatro SESI (Av. Graça Aranha nº1, Centro)
Quanto: a partir de R$ 20

Pesquisas relacionadas