Música & Badalo

Abraçando a cultura LGBTQI+, festa CandyBloco lança o primeiro single “Pra causar”

Saindo de um público de 3.500 pessoas para o espantoso número de até 6 mil, o grupo reforça a importância do papel social: “tentamos trazer pessoas que a sociedade ainda não conseguiu compreender que são seres humanos como todos os outros”

Publicado em 06/12/2018 | Por Leticia Sabbatini

Após lotar vários lugares pelo Rio, o CandyBloco estará no dia 8 desse mês no HUB RJ, para a realização de uma edição que promete ser especial. Fazendo o aquecimento para o carnaval 2019 e lançando o primeiro single desde a sua criação, o grupo continua abraçando a cultura e o público LGBTQI+. O organizador Guilherme Barros deu uma pausa na correria para conversar com o site HT e revelou tudo sobre a festa, o bloco e os planos para o carnaval 2019.

O bloco é um reduto do público LGBTQI+ do Rio de Janeiro. (FOTO: Reprodução)

Surgindo de um insight do idealizador e vocalista Bernardo Falcone, durante o desfile do grupo especial em 2017, o CandyBloco é uma resposta à intolerância. Dentro do camarote LGBT CandyBox, ele se deu conta que faltava um diferencial entre os tantos blocos espalhados pela cidade. Um dos sócios executivos, Guilherme Barros, nos falou sobre a importância de se posicionar. “Ele nasceu porque nós identificamos no mercado a ausência de blocos de carnaval voltados para o público LGBT. Na verdade, a gente entende que quem consome o mercado do carnaval é principalmente esse público, mas nunca teve nenhuma marca que levantasse a bandeira e se intitulasse como LGBT”, explicou. Hoje, o festejo, que conta com banda própria, possui versões exclusivas de canções famosas. “A gente coloca músicas de divas do universo pop em ritmo de carnaval”, contou Guilherme, citando nomes como Beyoncé, Britney Spears e Madonna.

Guilherme Barros e Mickael Noah, os organizadores do CandyBloco (Foto: Igor Mota)

No país que mais mata LGBTs, a importância de um projeto representativo como o CandyBloco torna-se ainda maior. Para o organizador e empresário, ter um olhar social aos grupos menos favorecidos da sociedade é uma obrigação: “Eu entendo que, enquanto empreendedor, eu cumpro um papel social. Então, tento trazer pessoas que a sociedade ainda não conseguiu compreender que são seres humanos como todos os outros”. E continuou, exemplificando: “No CandyBloco metade dos seguranças são mulheres, mesmo sendo em tese uma profissão que contém mais homens. A gente entende que a mulher também cumpre muito bem o seu papel como segurança”.

Na festa do dia 8, será lançado o primeiro single do CandyBloco. (FOTO: Reprodução)

Durante o carnaval 2019, o grupo fará apresentações na Sapucaí, mais precisamente no CandyBox. Além de estar em temporada com a HUB RJ até março, os paulistas podem aguardar a estreia do bloco por lá, também durante o carnaval.  Para os mais ansiosos que não aguentarão esperar tanto tempo, o grupo realizará uma festa que promete ser a mais especial até então. Com o lançamento do primeiro single “Pra causar”, o evento ocorrerá no dia 8 de dezembro no HUB RJ. O hit contém elementos de diversos gêneros musicais que fazem parte da cultura pop e LGBTQI+.  Em um momento em que se discute identidade, expressão, igualdade e liberdade de gênero, a faixa abraça todas as formas de possibilidades de sonoridade e estética. Para Guilherme, nesse contexto de festa, a preocupação com a qualidade é primordial, partindo desde os setores mais básicos até o show da noite. “Com todas as dificuldades que encontramos hoje no Rio de Janeiro, a gente sabe que fazendo bem feito conseguimos entregar uma boa experiência de entretenimento. O banheiro tem que estar limpo, a segurança tem que estar boa e o caixa não pode ter problemas”, afirmou o organizador. O evento contará ainda com as parcerias do TocoXona e os DJs Gui Serrano e Bruna Strait.

Saindo de um público de 3,5 mil pessoas para o espantoso número de até 6 mil, o grupo está empenhado em manter a qualidade do show. Ainda assim, o papel social do carnaval não é esquecido. “O bloco é algo extremamente democrático. Apesar de fazermos em um lugar fechado, distribuímos 2,5 mil ingressos gratuitos. Não é algo inacessível”, comentou Guilherme. Para ele, o sentido do carnaval e dos blocos não pode ser deixado para trás: “No meio de tanta loucura, tanta pressão, tantas coisas ruins, o carnaval é aquele momento em que as pessoas podem ser livres, podem se divertir. O bloco é a democratização!”.

Serviço:

Atrações: Candybloco,Toco-Xona,DJ Gui Serrano,DJ Bruna Strait.
Valor: 20,00
Local: HUB RJ – Av. Prof. Pereira Reis, 50 – Santo Cristo, Rio de Janeiro – RJ, 20220-800
Classificação: 18 anos.

Pesquisas relacionadas