Moda & Beleza

Plataforma da Moda: novo projeto digital fomenta pequenas e médias empresas do setor têxtil e disponibiliza até R$ 120 milhões em crédito mensal. Entenda!

O projeto idealizado por Roberto Carvalho Dias já está no ar e hoje conta com 25 empresas cadastradas na cadeia. Na plataforma, é possível comprar e vender insumos, como tecidos e aviamentos, e serviços, que vão desde assessoria contábil à tinturaria e lavanderia. "É focado no setor têxtil e de confecções e oferece produtos e serviços em um e-marketplace integrado com logística e crédito para toda a cadeia produtiva", explicou

Publicado em 02/05/2017 | Por Heloisa Tolipan

No mundo dos negócios, não é fácil para uma pequena ou média empresa se destacar e sobreviver ao competitivo mercado sem a ajuda de grandes especialistas no assunto. Para preencher essa lacuna e ocupar o lugar de cama-elástica do setor têxtil e de confecção, Roberto Carvalho Dias, presidente do projeto e um dos diretores da Landinvest, lançou a Plataforma da Moda, com a parceria do Fundo de Investimento de Direitos Creditórios (FIDC) – Dunas Plus. Totalmente online e dedicado a impulsionar os pequenos e médios empresários, o site oferece R$ 120 milhões por mês para crédito em compra e venda, além de insumos e serviços do segmento para que os negócios ganhem força e respaldo no mercado. “A Plataforma da Moda é um marketplace que permite a intermediação de fornecedores com compradores da cadeia têxtil e de confecção”, resumiu Roberto.

Roberto Carvalho Dias fala sobre um novo horizonte para a indústria da moda (São Paulo - Foto: Henrique Fonseca)

Roberto Carvalho Dias fala sobre um novo horizonte para a indústria da moda (São Paulo – Foto: Henrique Fonseca)

Destinada aos pequenos e médios empresários do setor de atacado da indústria têxtil e de confecção, a Plataforma da Moda é uma combinação de simplicidade para os usuários e complexidade logística para os responsáveis. Segundo Roberto Dias, a ideia do site que é um super incentivador e impulsionador para esse mercado extremamente competitivo surgiu de uma constatação básica: hoje, muitos desses pequenos comerciantes atuavam de forma extremamente informal. Assim, eles não tinham direito a crédito, nota fiscal e também não vendiam produtos padronizados tecnicamente e qualitativamente, como apontou Roberto. “A gente enxergou uma carência do mercado, principalmente no segmento das pequenas e médias empresas, que não conseguiriam ter elementos para concorrer com as maiores e mais tradicionais. Faltavam fatores para isso. Foi então que percebemos que esses elementos que faltavam eram disponibilizados por empresas especialistas”, explicou o presidente da Plataforma da Moda sobre um mercado que tem, em média, 80% dos empresários nesta situação irregular.

Para solucionar esta equação, eis que surge a Plataforma da Moda. Na internet, o site funciona como uma verdadeira cadeia de interesses, em que empresas vendem serviços e insumos para os pequenos e médios empresários possam crescer no mercado. “É um site totalmente focado no setor têxtil e de confecções, no qual as empresas conseguem comprar e vender mercadorias e insumos. Então, um empresário se cadastra no nosso site, disponibiliza os seus produtos ou serviços e outra empresa compra essas mercadorias”, disse Roberto que foi além: “Nós criamos uma plataforma que analisa o crédito de uma empresa e, com uma solução de logística, transporta a mercadoria. Assim, a gente faz com que, para a fábrica, seja seguro vender para esse pequeno ou médio empresário o produto ou serviço”.

Depois de um ano sendo desenvolvido na rede, a Plataforma da Moda foi lançada oficialmente durante a Febratêxtil, Tecnotêxtil Brasil, FINNT e Boné Show, super feiras do setor têxtil realizada semana passada no Anhembi, em São Paulo. Totalmente inovador e pioneiro no Brasil, o projeto de Roberto Dias, em seu lançamento, já conta com 25 empresas cadastradas no sistema. Para o sucesso e a consolidação  do site, o presidente e idealizador contou que está priorizando um atendimento setorizado. “Não adianta a gente querer abraçar todo o setor, porque ele é muito amplo e segmentado. Então, inicialmente, vamos focar em reduzir os custos da compra para as confecções”, explicou.

O estande da Plataforma da Moda na Febratêxtil, Tecnotêxtil Brasil, FINNT e Boné Show recebeu uma série de interessados (São Paulo - Foto: Henrique Fonseca)

O estande da Plataforma da Moda na Febratêxtil, Tecnotêxtil Brasil, FINNT e Boné Show recebeu uma série de interessados (São Paulo – Foto: Henrique Fonseca)

Assim, através da Plataforma da Moda, é possível que um pequeno ou médio empresário consiga comprar seus insumos, como tecidos e aviamentos, direto da fábrica com até 40% de desconto. Consequentemente, ele passa a vender suas mercadorias no mercado com um preço mais competitivo. No entanto, para a solução positiva desta equação, é preciso que esses pequenos e médios empresários tenham crédito para que as grandes empresas aceitem negociar com eles.

E aí, mais uma vez, entra a mão direita – e esquerda – da Plataforma da Moda. “Nós estamos integrando esses processos de uma forma elegante para que o conhecimento das partes seja estável. Ou seja, quando você entra na plataforma, nós queremos que seja conhecido neste universo. Para isso, cadastramos a empresa, oferecemos serviço de contador para quem não dominar essa área e realizamos contratos que, de fato, conseguimos fazer e cumprir”, detalhou Roberto que garantiu que hoje em dia, não é mais viável que uma empresa atue na ilegalidade brasileira. “O imposto que uma pequena empresa deixa de pagar sai muito mais caro do que o custo para você gerenciar o caixa e não cobrar do cliente do jeito certo, porque a loja não tem nota fiscal, por exemplo. Então, o imposto no Simples ficou barato para esses pequenos empresários. O que falta hoje em dia nos negócios é um pouco mais de conhecimento sobre isso”, analisou.

Roberto conversa com o público durante a feira sobre as vantagens das consultorias e investimentos logísticos na Plataforma da Moda (São Paulo - Foto: Henrique Fonseca)

Roberto conversa com o público durante a feira sobre as vantagens das consultorias e investimentos logísticos na Plataforma da Moda (São Paulo – Foto: Henrique Fonseca)

Legalizada, as pequenas e médias empresas garantem o direito à nota fiscal, crédito legal, ressarcimento no caso de carga roubada e até troca de produtos defeituosos. “Nós estamos juntando especialistas de diversos setores para ajudar e dar um suporte maior às necessidades dessas pequenas e médias empresas”, sintetizou Roberto.

Aliado ao site da Plataforma da Moda, o projeto também tem um canal de TV próprio. Extensão da ideologia desta cadeia têxtil, o Plataforma da Moda TV é um resumo dos benefícios e um estímulo a mais para os empresários-alvo entenderem a importância das ações do projeto para o seu negócio. “Nós desenvolvemos a Plataforma da Moda TV, que é um programa que vai dentro do nosso site e do Facebook que traz entrevistas com empresários do setor que entendem profundamente da área que operam e que vão dar dicas de como os pequenos e médios negócios podem melhorar suas atividades comerciais”, explicou.

Na Plataforma da Moda, as empresas terão amplo suporte técnico e especializado para realizar vendas (São Paulo - Foto: Henrique Fonseca)

Na Plataforma da Moda, as empresas terão amplo suporte técnico e especializado para realizar vendas (São Paulo – Foto: Henrique Fonseca)

Até porque, hoje, desenvolver um projeto desta grandiosidade totalmente online não é uma tarefa muito simples. Embora os tempos modernos aconteçam em grandes proporções na palma de nossas mãos, a Plataforma da Moda é uma combinação de fatores plurais e até complexos do setor têxtil e de confecção. “Não é simples a gente pegar um modelo de negócios super tradicional e levar para um campo novo, que é a internet. Por isso, estamos fazendo isso de forma segmentada. Estamos mostrando para o mercado que vale a pena comprar direto da fábrica, com um preço menor, e não com um intermediário”, avaliou. “Nessa estrutura, nós estamos entendendo que o caminho inicial é propor uma redução de custos na compra e uma concessão maior de crédito. Em um segundo passo, essa pequena empresa, que conseguiu comprar seus insumos direto da fábrica, por exemplo, passa a comercializar seus produtos também, desde que siga algumas regras, como a padronização de tamanho e qualidade”, reforçou Roberto Dias.

No entanto, apesar da modernidade e do engajamento do projeto, engana-se quem pensa que a especialidade do idealizador Roberto Dias seja apenas logística e tecnologia da informação. Mineiro, o executivo é formado em engenharia e administração. Como nos contou, nos bastidores de todo esse projeto que hoje é a Plataforma da Moda está a construção de dois shoppings focados no público da classe C, que representam 66% dos consumidores deste segmento. “Trabalho também com incorporadores e construtores. Inclusive, hoje a gente está construindo dois shoppings outlets para o consumo da classe C em Natal e em Porto Alegre. E, nesse público, a gente identificou um enorme potencial de consumo. Afinal, eles compram roupas em lugares que podemos chamar, em um termo simpático, hostis, já que não há estacionamento, garantia e nem nota fiscal, por exemplo”, explicou.

Porém, para o sucesso de um shopping que prioriza o baixo custo das mercadorias, era preciso, justamente, que as empresas tivessem garantia de qualidade e crédito. Para tornar esses negócios compatíveis com o mercado e legais para a imersão completa no setor, as empresas precisavam que os custos para essa adaptação não aumentassem e que, assim, legalizada e padronizada, uma mercadoria continuasse a ser vendida com valores bem abaixo de um shopping “tradicional”. “Quando fomos pesquisar empresas que poderiam fazer parte desse shopping da classe C, notamos que, entre muitas delas, faltava assessoria contábil, padronização de qualidade, modelos fotográficos, crédito e outros fatores que garantem a qualidade de um negócio. Assim que surgiu a Plataforma da Moda, para que de fato essas empresas conseguissem ofertar os seus produtos. Ou seja, para o sucesso da construção de um shopping, precisamos atuar na organização dos bastidores das empresas”, contou.

No estande da Plataforma da Moda, o público soube mais sobre os insumos oferecidos, produtos e serviços em um e-marketplace integrado com logística e crédito (São Paulo - Foto: Henrique Fonseca)

No estande da Plataforma da Moda, o público soube mais sobre os insumos oferecidos, produtos e serviços em um e-marketplace integrado com logística e crédito (São Paulo – Foto: Henrique Fonseca)

No fim disso tudo, hoje, Roberto Dias assina dois projetos diferentes, mas complementadores, que são extremamente promissores no mercado competitivo e de baixo custo. De um lado, uma plataforma digital que fomenta as bases legais, de crédito, qualidade e técnicas de uma empresa têxtil e de confecção. Depois desse processo, aparece o outro projeto de Roberto Dias: um shopping pensado para o público da classe C que tem os baixos preços como principais chamarizes. Nisso tudo, a equação final de Roberto Dias é simples. Com talento, comprometimento e muitas pesquisas, ambos os projetos estimulam o setor das indústrias têxteis e de confecção e fazem com que a roda da economia nacional gire de forma animada. Afinal, estamos falando do setor que é segundo que mais emprega no país. “Se uma empresa quer crescer, lucrar, ter crédito e conhecimento para fazer tudo isso, é só vir para a Plataforma da Moda que a gente ajuda”, concluiu Roberto Dias.

Isso é possível graças à parceria entre a Landinvest com o Fundo de investimento de Direitos Creditórios (FIDC) – Dunas Plus, fundo nacional de capital americano. “A Plataforma da Moda disponibiliza R$ 120 milhões por mês para toda a cadeia produtiva, com uma taxa de 4,9%mês. Porém, diferente dos bancos, já inclui a taxação de risco e seu grande diferencial: a antecipação de crédito mantendo a taxa fixa”, explica Roberto Carvalho Dias, um dos diretores da Landinvest.

Roberto ainda completa que o projeto está pronto também para auxiliar na padronização de qualidade, apresentação de seus produtos de forma profissional e logística. “Você recebe o crédito e mais esses serviços. A Plataforma da Moda garante de forma integral que quem está recebendo o crédito tenha todas as ferramentas que ampliar seu negócio. Assim como maior segurança do fundo de investimento que está cedendo o crédito, diminuindo o risco e proporcionando taxas atrativas para quem busca o recurso”.

Isso é possível graças à parceria entre a Landinvest com o Fundo de investimento de Direitos Creditórios (FIDC) – Dunas Plus, fundo nacional de capital americano. “A Plataforma da Moda disponibiliza R$ 120 milhões por mês para toda a cadeia produtiva, com uma taxa de 4,9%mês. Porém, diferente dos bancos, já inclui a taxação de risco e seu grande diferencial: a antecipação de crédito mantendo a taxa fixa”, explica Roberto Carvalho Dias, um dos diretores da Landinvest.

Roberto ainda completa que o projeto está pronto também para auxiliar na padronização de qualidade, apresentação de seus produtos de forma profissional e logística. “Você recebe o crédito e mais esses serviços. A Plataforma da Moda garante de forma integral que quem está recebendo o crédito tenha todas as ferramentas que ampliar seu negócio. Assim como maior segurança do fundo de investimento que está cedendo o crédito, diminuindo o risco e proporcionando taxas atrativas para quem busca o recurso”.

Para os fornecedores de insumos, por exemplo, o mercado distribuidor utiliza um mark-up médio entre 50% e 70%. A Plataforma da Moda viabiliza o acesso direto ao estoque dos fabricantes, com redução de custo de 30% a 40% e crédito de 30 dias. Para esse fornecedor de insumos – fabricante ou importador-  a gestão e análise de crédito é auxiliada por serviços especializados de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FDICs).

Sobre a Plataforma da Moda

A Plataforma da Moda é uma detalhada plataforma de e-marketplace, investimentos imobiliários e logísticos que já teve investimento inicial de R$ 45 milhões e manterá os investimentos nos dois próximos anos.

Oferece insumos, produtos e serviços em um e-marketplace integrado com logística e crédito para toda a cadeia produtiva da moda – desde o fornecedor de máquinas e equipamentos, fios e tecido até o produto na loja.

As empresas participantes terão amplo suporte técnico e especializado para realizar vendas, fotografar as coleções, elaborar catálogos de produtos, participar de eventos de capacitação e desenvolvimento profissional, serviços de consultoria nas diversas áreas vinculadas ao negócio, pesquisas de tendências, cobertura de feiras e exposições, notícias do mundo da moda, entrevistas, além de sua divulgação por meio de campanhas consorciadas de publicidade e promoções.

Integra-se a loja virtual B2B, a construção do Natal Moda Outlet – complexo comercial e industrial de moda, consumo, serviços e lazer projetado no Rio Grande do Norte, com 400 lojas e que traz a Plataforma da Moda como um benefício às indústrias presentes no complexo que está sendo criado na cidade de Natal.  O empreendimento, já em desenvolvimento, terá sua primeira fase de 17 mil m2 entregue até o final de 2017.

 

Pesquisas relacionadas