Moda & Beleza

Quem não ama um sapato novo? O poder de compra dos brasileiros e os negócios milionários na feira de calçados Zero Grau

Segundo Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotora da Zero Grau, feira tem chancela de grande plataforma de vendas e preview de tendências para o Inverno do setor calçadista brasileiro

Publicado em 24/11/2013 | Por Heloisa Tolipan

Em total consonância, ou simbiose se preferirem, com a cadeia produtiva das indústrias calçadistas de Norte a Sul do país (claro que com ênfase no Sul), a Zero Grau, feira de calçados e acessórios, se consolida a cada nova edição como forte plataforma geradora de negócios entre indústrias/marcas e lojistas, possibilitando a todos tempo hábil para que o Inverno 2014 possa chegar com largo espaço de tempo às prateleiras, já que a feira tem a qualidade de ser uma vitrine-preview para a temporada fria. Conclusão? Os expositores saem ganhando com o bom planejamento para a produção do primeiro trimestre do ano.

Sabemos que o nosso Inverno é muito curto e quanto antes são iniciadas as negociações de vendas, mais tempo para as indústrias acertarem suas planilhas e fazerem ajustes, se necessários, a pedido dos clientes. Sai ano e entra ano, a Zero Grau, realizada no Centro de Eventos do Serra Park, em Gramado/RS, cresce. A edição que terminou na semana passada contou com 280 expositores e cerca de 900 marcas. “Nos tornamos referência no Preview Inverno”, comentou Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotora da Zero Grau. A empresa, que comemorou em grande estilo, semana passada, na serra gaúcha, os seus 10 anos de fundação é ainda responsável pela organização do Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), voltado para os negócios da temporada Primavera-Verão, e pela 40 Graus, em Natal, no Rio Grande do Norte, uma feira criada para a indústria calçadista do Sul estreitar relacionamento com o varejo das regiões Norte e Nordeste do país, facilitando assim o abastecimento destes mercados.

Como Frederico tem na veia um sangue que corre forte para fomentar negócios, durante jantar comemorativo pelos 10 anos da Merkator, ele e a filha, Roberta Pletsch, diretora de relacionamento da empresa, anunciaram a realização de mais dois novos projetos para o portfólio: a Radar, uma feira direcionada à questão da segurança (seja ela privada ou pessoal) e outra que unirá hotelaria, gastronomia e turismo.

Voltando à Zero Grau, que foi realizada durante quatro dias, Frederico diz que observou um crescimento de 80% em apenas três anos de feira. “Esse crescimento é um reflexo tanto do lugar que a Zero Grau ocupa no mercado de antecipação das tendências, como também da própria economia fortalecida do setor”. Os empresários do setor calçadista do Sul do país estimam um crescimento real projetado de 6 a 8% em 2014 em termos de vendas.

Só para vocês terem uma idéia de como os termômetros andam em alta para essas feiras calçadistas em Gramado, na próxima edição da SICC, em maio, um novo setor no pavilhão de exposição será aberto para a instalação de mega estandes de marcas. O local será de alto luxo e já há fila de grifes querendo um espaço ao sol.

Ponto para todos. Do comprador internacional ao microempresário nacional, disseminando os calçados e acessórios tanto no mercado externo quando no mosaico social do novo perfil do consumidor brasileiro.

“O início do próximo ano já está garantido para o para o setor calçadista por causa da Zero Grau”, garante Frederico. E não é que constarei isso in loco? Conversei com compradores do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, que estavam ao meu lado na fila do táxi. Ouvi que as facilidades e os benefícios concedidos pela organização da feira estão fazendo muitos migrarem de feiras conceituadas realizadas em São Paulo para a de Gramado.

Lembramos aqui que o que foi negociado nesses dias, nos estandes do Centro de Eventos do Serra Park, chegará às lojas no final de fevereiro. A questão da data da realização da feira para o Inverno, novembro, está totalmente alinhada também com as semanas de moda de vestuário, como Minas Trend, São Paulo Fashion Week e Fashion Rio. O presidente da Rafarillo Calçados, de Franca/SP, Walter Cintra, diz que o mês de novembro é ideal para esta plataforma de negociações com os compradores. “Apostei na minha coleção de Inverno aqui na feira e fui muito bem recebido. As novidades do nosso mostruário foram um sucesso”, afirmou. E isso a gente verá reflexo no comércio das ruas, pois com a democratização da informação, as pessoas das classes A a Z, não importa em qual estejam incluídas, estão tendo acesso muito mais rápido ao que será tendência e prontas para consumir.

Fotos: Henrique Fonseca

PARCEIROS – A Zero Grau conta com o apoio do Sindicato da Indústria de Calçados de Estância Velha, Sindicato da Indústria de Calçados de Ivoti, Sindicato da Indústria de Calçados de Igrejinha, Sindicato da Indústria de Calçados de Novo Hamburgo, Sindicato da Indústria de Calçados de Parobé, Sindicato da Indústria de Calçados de Sapiranga e Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas.

Pesquisas relacionadas