Moda & Beleza

Com grandes descontos, Pop Fashion Bazar estimula consumo consciente em momento de crise: “Ninguém está gastando com o que realmente não é necessário”, analisou CEO da produtora

Neste sentido, o Pop Fashion Bazar chega ao Rio de Janeiro para mais uma edição entre os dias 23 de agosto e 10 de setembro. Com descontos médios que chegam a 70%, a proposta do evento é estimular um consumo inteligente, que vai além das tendências da estação

Publicado em 14/08/2017 | Por Julia Pimentel

“A moda está no céu, na rua, a moda tem a ver com ideias, a forma como vivemos e o que está acontecendo”. A frase dita por Coco Chanel é um frescor para o atual momento. Em tempos em que o cenário fashion está cada vez mais democrático e o consumo ficando mais inteligente, resgatar a ideia de que a realidade contemporânea acompanha as tendências é fundamental. Neste sentido, o Pop Fashion Bazar chega ao Rio de Janeiro para mais uma edição entre os dias 23 de agosto e 10 de setembro. Por lá, o público terá a oportunidade de consumir a qualidade de grandes grifes com o preço convidativo da liquidação. Com descontos médios que chegam a 70%, a proposta do evento é estimular um consumo inteligente, que vai além das tendências da estação.

Leia também: Pop Fashion Bazar: evento outlet de marcas brasileiras estimula a moda consciente 

No Pop Fashion Bazar, grifes como Ellus, Richards, Cavalera e Maria Filó aproveitam o sucesso do evento, que tem expectativa de 100 mil pessoas durante os 19 dias de bazar, para liquidar peças de coleções anteriores. Desta forma, quem for ao encontro da moda promovido pela Escala Eventos poderá comprar produtos-chaves de grandes etiquetas a preços inacreditáveis. “Tem muita gente que adora comprar em algumas empresas por causa da qualidade, da identidade e da proposta daquela marca. Porém, mesmo amando moda, não são ligadas às tendências. É um público que se identifica com um estilo, e não com um destaque da estação”, disse o CEO da empresa promotora, Jerônimo Vargas.

O Pop Fashion Bazar ocorre entre os dias 23 de agosto e 10 de setembro no shopping Conviva, na Barra (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de destacar o produto, e não a tendência, as marcas chegam ao Pop Fashion Bazar com a expectativa lá no alto. De acordo com o CEO da Escala Eventos, cada grife deverá vender entre cinco e oito mil peças no evento. E, com a imensa procura, Jerônimo Vargas aconselha: é melhor não deixar para depois. “No Bazar, a gente tem uma ideia de que no momento em que você encontrar uma peça desejo, tem que comprar logo. Como é um evento com um fluxo muito grande de pessoas, se o cliente não garantir no primeiro momento, a chance de ele não encontrar mais depois é muito grande. Afinal, são produtos excelentes com preços extremamente convidativos”, destacou o empresário que disse que a primeira semana é sempre a mais disputada.

Leia também: Para um público estimado em 100 mil pessoas, cerca de 50 grifes têm a oportunidade de esgotar seus estoques no Pop Fashion Bazar, no Rio

Porém, como Jerônimo citou, a ideia do Pop Fashion Bazar é que o público tenha a oportunidade de comprar produtos-chave com ótimos descontos. Em um momento de crise, como o atual que estamos vivendo, o empresário acredita que o consumo será mais inteligente e manos exagerado. Para ele, o público do Pop Fashion está muito mais e busca de oportunidades do que sacolas cheias. “O momento em que o país vive, no qual estamos todos preocupados em valorizar o nosso dinheiro e como gastamos ele, impacta diretamente na consciência das pessoas. Hoje em dia, nós queremos roupas que serão usadas muitas vezes, que tenham qualidade para isso e um preço bom, para que caiba no orçamento. E é justamente isso o que o evento propõe. A gente se encaixa nessa aspiração das pessoas que desejam mais do que ‘só mais uma peça no armário’. Até porque, ninguém está gastando com o que realmente não é necessário”, analisou o CEO que acredita que o panorama atual tenha impactado neste consumo fashion. “A crise mudou a forma de consumir moda e o bazar complementa isso. Para quem já tem peças que traduzem as tendências da estação, o importante é garantir outras que sejam básicas e caibam em qualquer temporada. E para quem não faz questão de seguir o que é só daquela estação, são pelas para a vida toda”, completou.

No total, serão cerca de 50 marcas com descontos médios de 70% (Foto: Divulgação)

Atento a isso, o Pop Fashion Bazar busca oferecer mais que descontos. Se um abatimento de 70% em média já estava muito bom, Jerônimo Vargas destaca que a forma de pagamento ainda será um convite especial aos consumidores. Entre uma das condições para as marcas integrarem este encontro da moda nacional, está a preocupação da Escala Eventos com a negociação entre grife e consumidor. “Mesmo sendo mercadorias com preços super reduzidos, a gente ainda se preocupa em colocar ferramentas que otimizem o pagamento. Então, nas lojas, pode-se parcelar em cheque e pagar no cartão de crédito, por exemplo. Assim, a gente garante todas as facilidades que encontramos nos shoppings, só que em produtos bem mais baratos”, explicou.

Com isso tudo, fica quase impossível não aproveitar os 19 dias de moda consciente e oportuna no Rio de Janeiro. Até porque, no line-up, o Pop Fashion Bazar reúne 50 das principais etiquetas da moda nacional. Entre algumas das marcas confirmadas estão CCM, Maria Filó, Via Mia, Ellus, Salinas, Richard’s, Bobstore, Mandi, Herchcovitch, Farm, Foxton, Reserva, Eva, Armadillo, Afghan, Wollner, Limits e AD. “No Pop Fashion, nós temos as melhores marcas com os melhores preços. Como é um evento off, a gente procura as lojas mais significativas do mercado, mas que tenham preços convidativos para o nosso público”, disse Adolfo Jorge, responsável pela curadoria do evento. Nos vemos lá!

Pesquisas relacionadas