Moda & Beleza

46ª edição do São Paulo Fashion Week será realizada em um galpão industrial

A mudança é um marco na história do evento por contribuir para uma importante ressignificação dos territórios da Zona Oeste de São Paulo, provando a vocação da região para a inovação impulsionada pela Economia Criativa

Publicado em 25/07/2018 | Por Ana Clara Xavier

O mundo da moda está prestes a ver mais uma revolução. Isto porque o maior evento da área no hemisfério sul, o São Paulo Fashion Week, vai mudar de casa. A 46ª edição, que acontece nos dias 22 e 26 de outubro, será realizada no ARCA, um antigo galpão industrial de nove mil metros quadrados, onde funcionava uma metalúrgica, na Vila Leopoldina.  A modificação representa um marco no festival e uma importante ressignificação dos territórios da Zona Oeste de São Paulo, provando a vocação da região para a inovação impulsionada pela Economia Criativa. Esta alteração soma forças ao movimento de renovação urbana da maior cidade da América Latina. “Com Alma para se reinventar constantemente em direção ao futuro que queremos, o SPFW se lança a partir desta edição ao desafio de ocupar novos territórios em São Paulo”, informou Paulo Borges, fundador e diretor criativo do SPFW.

A 46ª edição do São Paulo Fashion Week será realizada no ARCA, na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo (Foto: Divulgação)

Ao anunciar a novidade, Paulo Borges escreveu um artigo no qual intitula a equipe do evento de nômades, afinal, a criatividade levaria à facilidade de se adaptar a novas situações. O fundador e diretor criativo do SPFW afirmou também que é consciente da necessidade contínua de transformação já que a imperfeição e a inquietação instigam o movimento. “Vanguardistas na capacidade de projetar o que vem depois. Nômades capazes de viajar rumo ao desconhecido para buscar no horizonte o novo terreno fértil”, afirmou traçando um paralelo metafórico com a mudança de localização.

O evento ocorrerá em um galpão industrial onde, antigamente, funcionava uma metalúrgica (Foto: Divulgação)

De acordo com ele, este espírito de criatividade e inovação está presente no evento desde sua inauguração, em meado dos anos 80. “Incentivando a criatividade, o novo, formamos carreiras, geramos empregos, movimentamos negócios, compartilhamos conhecimentos. Sistematizamos processos e novas profissões”, comentou. Da mesma forma como aconteceu no início, ele pretende que esta sua sede por mudanças seja apenas um ponto de partida para todos os outros lugares do Brasil.

Leia na íntegra o artigo escrito por Paulo Borges:

Somos criativos, “no made”, “no mad”, nômades.  Quem carrega a criatividade como parte de sua essência, sabe muito bem assumir a impermanência das coisas. O ofício de transpor para o real e o material algo que germina no mundo das ideias requer desprendimento, coragem.  Ser criativo, não criado. Assumir-se inacabado é também estar consciente de uma contínua transformação. Criativos, não loucos. Vanguardistas na capacidade de projetar o que vem depois. Nômades capazes de viajar rumo ao desconhecido para buscar no horizonte o novo terreno fértil.

É esta Alma criativa que sempre dá vida ao SPFW. Já não somos mais Luminosidade (empresa que criou e realiza o SPFW, e outros projetos como o FFW ), mas somos muito luminosos, estamos ainda mais iluminados.

Agora somos IMM Moda, e fazemos parte de uma estrutura com vários projetos importantes e únicos, como o SPFW.

Somos inquietos, imperfeitos, por isso sempre em movimento.

Antes mesmo de criarmos o SPFW, ainda em meados dos anos 80, optei por uma trajetória sempre através da Moda. Incentivando a criatividade, o novo, formamos carreiras, geramos empregos, movimentamos negócios, compartilhamos conhecimentos. Sistematizamos processos e novas profissões.

Um fenômeno único que teve a cidade de São Paulo como ponto de partida, mas que imediatamente se irradiou para todo Brasil.

Evoluir, apontar caminhos.

Nos desafiamos, nos arriscamos, e sempre nos colocamos em terrenos desconhecidos, por isso sempre Novos.

Fazemos e vivemos a nossa transposição.

Com Alma para se reinventar constantemente em direção ao futuro que queremos, o SPFW se lança a partir desta edição ao desafio de ocupar novos territórios em São Paulo, Vila Leopoldina – espaço ARCA, novo eixo de fomento à inovação, tecnologia, transformação e economia criativa, ressignificando o espaço principal do evento.

Este é o momento de somar ainda mais com um movimento de transformação de uma cidade que, assim como o SPFW, não para de se reinventar. Juntos promoveremos novas formas de conexões, novas centralidades. Novas relações, novas economias, mais humanas, mais afetivas.

Estar aberto à mudança liberta medos, rompe bloqueios e ilumina o desejo. Uma edição para atender a um chamado da Alma. 

Pesquisas relacionadas