Fotos

Carol Castro e a chegada do Nordeste ao horário nobre: “Precisamos voltar a atenção para aquele povo e para a natureza que está acabando”

A atriz viverá Iolanda na primeira fase da novela de Benedito Ruy Barbosa, "Velho Chico", e elogiou o processo de composição dos personagens: “Sempre quis trabalhar com o Luiz Fernando (Carvalho, diretor) porque ele tem uma maneira poética, lúdica e teatral. Trabalhar com ele é como dançar com o invisível, ele vai te guiando através das cenas, tudo depende de como o vento está batendo naquela hora”

Publicado em 08/03/2016 | Por Karina Kuperman

Meio baiana, meio espanhola. Cantora de um bar em Salvador e dona de uma intuição aguçada. Assim é Iolanda, personagem de Carol Castro em “Velho Chico”, próxima novela das 21h da Rede Globo. A intérprete, por sua vez, não deixa para menos na mistura exótica: carioquíssima, mudou-se para Natal aos cinco anos e considera o Nordeste – onde, por coincidência (ou destino) se passa a trama de Benedito Ruy Barbosa – sua terra também. “Aliás, é uma grande honra poder falar de lá. Temos que mostrar muito além do Sudeste nas telas. Eu já fiz ‘Amor eterno amor’, que se passava no Norte, fiquei duas semanas no Pará. Fora isso, minha mãe nasceu em Recife. Eu tenho um carinho especial pelo Nordeste, acho que precisamos voltar a atenção realmente para esse povo, para essa natureza que está acabando. A novela retrata tudo isso”, defendeu.

agnews_foto_elenco_comparece_a_festa_de_velho_chico_20160308_1711_g (1)

Carol Castro chegou com um vestido cheio de tendências na festa de lançamento da novela (Foto: AgNews)

A personagem que divide com Christiane Torloni (a atriz assumirá na segunda fase da trama) é uma mulher de temperamento forte e extremamente romântica. “O que mais me encantou na Iolanda foi a força romântica dela. Muita atitude, personalidade forte, mas muito romântica, delicada, sutil e até frágil. Ela representa o amor na mais pura forma, de resgatar não só o amor visceral e carnal, mas o amor pela terra, pela natureza, pelo próximo. Ela representa a efervescência cultural da época da Tropicália, ali no final dos anos 60, que é quando começa a novela. Acho linda a força da Iolanda, porque ela também é frágil demais. Ela tem força de vontade, atitude, não fraqueja, bate de frente. É incrível representar esse amor”, disse.

A personagem, aliás, vai além: apaixonada por Afrânio (Rodrigo Santoro/Antônio Fagundes), ela lida com o destino de maneira especial: “Ela e o Afrânio vivem o romance de maneira muito forte nos primeiros capítulos, é intenso. A Iolanda acredita demais no destino e tem uma intuição aguçada. Sabe ler mão, tem um sexto sentido forte e isso vai ser crucial para que a história aconteça na segunda fase, justamente por ela acreditar nesse amor que sobrevive a qualquer tempo e obstáculo, que isso vai ser possível. Ela nunca desistiu porque sempre soube que eles iriam se encontrar”, adiantou. E a Carol? Também acredita no destino? “Eu acho que a vida sempre dá muitos sinais e temos que estar atentos, me identifico com isso. Sempre tem sinais indicando o melhor caminho. A vida é feita de escolhas. Temos que escolher bem”, ponderou.

agnews_foto_elenco_comparece_a_festa_de_velho_chico_20160308_1334_g (2)

Rodrigo Santoro, Carol Castro, Dira Paes e Marcelo Serrado (Foto: AgNews)

Ah, e bom citar: viver uma personagem intensa de Benedito Ruy Barbosa e ser dirigida por Luiz Fernando Carvalho eram dois desejos antigos que Carol Castro teve a oportunidade de realizar em uma mesma trama. “Estamos praticamente fazendo teatro e cinema na televisão. A preparação foi muito interessante, tivemos meses no galpão do Luiz Fernando Carvalho no Projac. Eu sempre sonhei em fazer novela do Benedito, cresci vendo as novelas dele, e sempre tive o desejo de trabalhar com o Luiz Fernando porque ele tem uma maneira poética, lúdica e teatral. Trabalhar com ele é como dançar com o invisível, ele vai te guiando através das cenas, tudo depende de como o vento está batendo naquela hora. Se o vento bateu num lenço e ele achou bonito ele vai usar aquilo em cena. Estamos sempre trabalhando com a surpresa, o efêmero e uma poesia em forma de imagem”, elogiou ela, que promete despertar a torcida do público com o amor visceral das telas. “Esse amor proibido é muito forte, acho que por isso que toca tanto”, opinou.

agnews_foto_elenco_comparece_a_festa_de_velho_chico_20160308_1710_g

O look de Carol Castro chamou atenção na festa (Foto: AgNews)

Com o radar fashion ligado, HT não poderia deixar de perguntar sobre o vestido, o que mais se destacou na noite de lançamento da novela. A bordo de um Gucci com estampa de tigre, laço na cintura e transparência que deixou a hot pant a mostra, a atriz contou que a escolha foi parceria entre ela e os stylists Juliano Pessoa e Zuel Ferreira e que declarou que estava segura de adotar a transparência direto das passarelas. “Meus stylists me propuseram alguns e eu adorei esse. Confesso que nunca tinha usado com transparência assim, mas me identifiquei. Não foi para causar, até porque está bem em voga, nas passarelas, e se tiver dentro do contexto, com hot pants, acho comportado e chique”, disse. A gente assina embaixo.

Pesquisas relacionadas