Fotos

Acabou o nude: Playboy decide que não irá publicar mais fotos de mulheres nuas, e HT relembra 10 capas históricas

Fundada em 1953 por Hugh Hefner, a revista passa por uma reestruturação na era online, em busca de aumentar sua circulação, a qual sofreu queda de 5,6 milhões para 800.000

Publicado em 13/10/2015 | Por João Ker

São inúmeras as mudanças provocadas nos meios de comunicação desde a chegada da era online e, nesta semana, uma das publicações mais importantes do último século anunciou que está passando por uma reestruturação e se adaptando aos novos tempos: a Playboy, uma das mais icônicas revistas masculinas do mundo, não irá mais publicar fotos de mulheres nuas, como anunciou seu editor de conteúdo, Cory Jones.

A mudança no padrão editorial da revista vem após a mesma estratégia ter sido aplicada no portal da publicação, o que resultou em um aumento de 12 milhões de usuários ativos no site. “Não me entenda mal… Meu eu de 12 anos está muito desapontado com o meu eu atual. Mas é o certo a se fazer”, comentou Cory, em entrevista ao New York Times. Fundada por Hugh Hefner em 1953, com sua primeira edição estrelada por ninguém menos que Marilyn Monroe, a Playboy tem visto uma queda na sua circulação desde os últimos anos, passando de 5,6 milhões de exemplares para “apenas” 800.000.

Hugh Hefner, fundados da Playboy em 1953, concordou com a decisão de cortar as imagens de nudez da publicação (Foto: Divulgação)

Hugh Hefner, fundados da Playboy em 1953, concordou com a decisão de cortar as imagens de nudez da publicação (Foto: Divulgação)

Scott Flanders, chefe-executivo da empresa, comentou que a revista ainda terá mulheres “em poses provocantes”, mas nada de nudez completa. “Agora, você está a um clique de distância de qualquer ato sexual imaginável, gratuitamente. Na atual conjuntura, tudo se torna apenas antigo”, explicou, acrescentando que pretende direcionar sua estratégia para o público masculino de 30 anos. A decisão, que será implementada a partir de março de 2016, foi completamente apoiada por Hugh Hefner, que até o ano passado enfrentava rumores na mídia sobre uma possível falência.

Invadido pela nostalgia, HT decidiu separar 10 das capas mais marcantes da história da Playboy norte-americana, de Naomi Campbell e Drew Barrymore a Lindsay Lohan e Kate Moss, que você confere na galeria abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas