Cinema & TV

Power: Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada sob a custódia do Programa de Proteção à Testemunhas em novela

O elenco e equipe se reuniram nos Estúdios Globo, para lançar a próxima novela das 19h, com direito à ventania produzida e conversas profundas, sinceras e repletas de empatia. Vitória Strada, por exemplo, abriu o coração sobre as notícias do amor na vida real com a atriz e produtora Marcella Rica: "É pura naturalidade"

Publicado em 15/01/2020 | Por Heloisa Tolipan

*Por Brunna Condini

Na noite desta terça-feira foi realizada, nos Estúdios Globo, a festa de lançamento de “Salve-se Quem Puder”, novela das 19h, que estreia 27 de janeiro. A imprensa foi recebida na vibe dos primeiros capítulos da trama, com uma ventania cenográfica, que atingiu a marca de 60 quilômetros por hora. Tudo para entrar no clima da novela, já que a intenção era remeter ao furacão que atinge Cancún e que marca o início da história. E, a partir daí, a vida das protagonistas, interpretadas por Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada também sofrem reviravoltas.

Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada, as protagonistas de “Salve-se quem puder”, que estreia 27 de janeiro (AgNews)

Na novela criada e escrita por Daniel Ortiz, com direção de Fred Mayrink, o destino das protagonistas se encontra quando o tal furacão acontece. E é neste cenário, em Cancún, no México, que Alexia Máximo (Deborah Secco), Luna Furtado (Juliana Paiva) e Kyra Romantini (Vitória Strada) tornam-se testemunhas acidentais de um assassinato que vai unir seus destinos. Condenadas a viver sob a custódia do Programa de Proteção à Testemunhas e com novas identidades, elas precisam mudar o rumo de suas vidas.

Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada, falaram sobre suas personagens na trama de Daniel Ortiz (AgNews)

Vitória Strada, vivendo sua terceira protagonista, falava da personagem Kyra, a primeira em que experimenta a comédia na TV. “Ela é muito serepele. Tem uma alma alegre, de verdade, é sonhadora. Desde pequena sonha em casar, ter a família dela, ser mãe. E tem o lado maduro, de ser uma adulta responsável, decoradora de sucesso. Mas também tem um lado atrapalhado, sincero. Ela é desastrada”, comenta. “Tenho em comum com a personagem o lado romântico. A Kyra acredita no amor verdadeiro. Acho que hoje em dia, temos muitas possibilidades. Se não estamos bem no relacionamento, podemos escolher não estar com aquela pessoa. Eu acredito em ter uma pessoa que está bem e junto. A personagem também tem esse pensamento, passou por vários relacionamentos que não deram certo e encontrou Rafael, vivido pelo Bruno Ferrari, está apaixonada e acredita vai dar certo. Sou como ela, acredito no amor”.

Daniel Ortiz, Vitória Strada, Flávia Alessandra, o diretor Fred Mayrink, Juliana Paiva e Deborah Secco (AgNews)

A atriz, que recentemente teve noticiado seu namoro com a também atriz Marcella Rica respondeu com naturalidade sobre o relacionamento. “Estou muito feliz. Temos que viver cada momento nos respeitando. Posso dizer que estou num ótimo momento. Meu coração está feliz”, revela. “Não gosto de mentiras, não faz parte de mim. Sou uma pessoa relativamente reservada, com todos os meus relacionamentos, mas também acho que chega um momento que mentir não é uma opção. É natural para mim. E se é uma pergunta que está vindo recorrente e não tenho problema em responder, não me sinto invadida. Faz parte”.

As atrizes assistem ao teaser da novela (AgNews)

Vitória compartilhou também, a interação com fãs e seguidores, depois que o relacionamento se tornou público. “Ouvi muito que as pessoas admiraram a coragem. E acho uma pena que a gente tenha que ver isso como coragem. O amor não devia ser visto como um ato corajoso, no sentido de não poder compartilhar. É amor, a coisa mais linda do mundo. Acho que estão aprendendo a cada vez mais respeitar o amor do outro. Todo mundo ama diferente, independente de que relacionamento você está”, pontua.

O elenco apresenta animado, ao lado do diretor, a nova trama das 19h (AgNews)

Durante a coletiva, os convidados seguiram para o “Empório Delícia”, o complexo gastronômico administrado por Helena, personagem de Flávia Alessandra (mãe de Luna, vivida por Juliana Paiva). Com aproximadamente mil metros quadrados, o espaço impressionava por ser inspirado nos grandes centros gastronômicos do Brasil e do exterior. Neste ambiente, Deborah Secco, cercada por jornalistas, simpática como sempre, falava sobre sua personagem, Alexia, e a visível boa forma. “Acho que algumas personagens minhas, que fizeram muito sucesso, são mulheres sexies, gostosas, então o povo confunde um pouco isso. Eu mesma não tenho esse apelo todo, mas estou super aceitando”, divertia-se. “Olha, fiquei cinco anos sem malhar, desde que a minha filha (Maria Flor), nasceu. Agora estou tentando voltar. Mas a genética aqui é o que conta mais”.

Deborah divertia-se falando sobre Alexia. “Ela é uma doida. Engraçada. Tem compulsão por comida e homens. Isso pode torná-la próxima de mulheres que estragam a vida por conta de uns boys mais ou menos. Ela é atriz, ama atuar. Tem bordões maravilhosos, como “minha Nossa Senhora da Musculação”, por exemplo”. E revela uma grande referência para compor a personagem: “Me inspiro na Claudia Raia, nesta verve da atriz de musicais e desta coisa de ‘meu amor, vem cá’”.

Na noite que contou com grande parte do elenco, como Flavia Alessandra, Thiago Fragoso, Murilo Rosa, Debora Olivieri, Leopoldo Pacheco Sabrina Petraglia, Felipe Simas, Aline Dias, Guilhermina Guinle, Rafael Cardoso, Juliana Alves e Bruno Ferrari, entre outros, Juliana Paiva, a terceira protagonista, usava um look colorido Balmain, que remetia à sua trama mexicana, segundo a atriz, “a cara da novela”.

A atriz destacou ainda, o mote principal da novela, que fala que nem tudo que desejamos é o melhor para nós. “Esse fazer pensar também é o grande barato. É uma comédia, deliciosa, mas também faz refletir. Acho que esse é um dos grandes atrativos do nosso trabalho poder comunicar sempre. A Luna tinha a vida dela acomodada e tudo muda. Me identifico muito com ela, quando vejo uma situação difícil, logo vejo como sair. Ela é o fio condutor das três na trama. Talvez seja a personagem mais próxima de mim até hoje”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas