Cinema & TV

No elenco de “Deus Salve o Rei”, Ricardo Pereira adianta personagem da próxima novela das 19h da Globo e comenta trabalhos em outros países: “Eu sou mais do mundo”

Na trama que estreia em janeiro, o ator português será Virgílio. "Ele é o grande vilão da história e isso já é claro. Porém, ele se torna esse personagem por amor"

Publicado em 19/12/2017 | Por Julia Pimentel

O sotaque ainda não deixa disfarçar, mas Ricardo Pereira já é um português com alma de brasileiro. Nas telinhas nacionais desde 2004, quando fez sua primeira novela na Globo, o ator lusitano vem acumulando experiências na arte tupiniquim e em janeiro estreia mais um folhetim. Em “Deus Salve o Rei”, a próxima trama das 19h da emissora carioca, Ricardo será Virgílio, um mau-caráter apaixonado. “Ele é o grande vilão da história e isso já é claro. Porém, ele se torna esse personagem por amor. Na trama, ele é noivo da Amália (Maria Ruy Barbosa) e, em determinado momento da história, é abandonado por ela que vai se casar om outra pessoa. E essa se torna sua grande revolta”, explicou.

E, como é tradição, o ator saiu em busca da defender seu personagem. “Ele fica muito amargurado com a perda desse amor e passa a correr atrás disso. Aí, ele vira o cara que inferniza a vida desse par romântico e tem a trajetória transformada por essa história de amor”, disse Ricardo que destacou a riqueza de possibilidades de Virgílio. “É um personagem cheio de camadas que tem um jeito até de cobra. Ele vai seduzindo e envolvendo e não parece que vai fazer algum mal”, comentou.

Mas vai. E muito. Em “Deus Salve o Rei”, o personagem de Ricardo Pereira irá unir forças com a de Bruna Marquezine, a vilã do reino vizinho. “No futuro, esses dois vilões vão se juntar e fazer muito mal”, adiantou o ator sobre a trama que estreia em janeiro recheada de temperos inéditos na grade da Globo. “É a primeira novela medieval da Globo e que vai trabalhar a computação gráfica com imagens tridimensionais. Então, está sendo um trabalho de inovação para os atores muito grande e um super desafio”, contou.

Ricardo Pereira e Fernanda Nobre em “Deus Salve o Rei” (Foto: Reprodução)

Para isso, “Deus Salve o Rei” mudou o rótulo de elenco para família. Nos bastidores, Ricardo Pereira destacou a união dos atores e a dedicação total da equipe para entregar um trabalho inovador e de qualidade. “A gente se preparou para a novela loucamente e isso fez com que ficássemos um grupo muito unido para essa longa jornada. Fora que nós somos poucos e estamos nos entregando demais. A gente conta com a dedicação do outro também e estamos juntos nessa”, disse o português que, como elemento extra desta parceria interna, acrescentou o episódio de incêndio nos bastidores da novela. Durante as gravações, um galpão de “Deus Salve o Rei” pegou fogo nos Estúdios Globo sem ferir ninguém. “Essa foi a nossa mensagem. Nós estamos trabalhando muito para construir relações na novela e, quando acontece um episódio como esse, o grupo todo se fortalece. O sentimento era de querer se entregar ainda mais e recuperar fazendo melhor”, contou.

No entanto, os dias de tristeza nos bastidores da novela já ficaram para trás, como garantiu Ricardo Pereira. “É uma página virada que já faz parte do passado. Agora temos que andar para frente porque a vida é isso. Temos que seguir com positividade”, ressaltou o ator que, nesta caminhada, ainda tem a companhia de um compatriota. No elenco da trama, além de Ricardo Pereira, José Fidalgo também traz o sotaque português para o cenário medieval da ficção. “Nós trabalhamos juntos em Portugal e, inclusive, ele já fez meu irmão em algumas novelas”, contou Ricardo que revelou que teve uma participação na vinda do amigo lusitano para a Globo. “Teve um pouquinho de tudo. Sempre que me pedem na produção de elenco, eu dou alguns nomes de colegas de profissão de Portugal e de outros países da Europa também, como França e Espanha”, disse.

E este intercâmbio artístico entre os países não para por aí. Como destacou Ricardo Pereira, o Brasil tem estado em uma rota frequenta destas dobradinhas multinacionais. “Antes, as parcerias eram com os brasileiros indo para fora. Agora não. Temos muitos exemplos de estrangeiros que procuram os artistas brasileiros na música, literatura e gastronomia”, comentou o português que, como prova disso, estreia ano que vem a primeira grande coprodução cinematográfica de Brasil e Portugal. Nas telonas, Ricardo lança “Alguém Como Eu”, gravado com Paolla Oliveira. “É uma comédia romântica que foi gravada metade aqui no Brasil e a outra metade em Portugal”, contou o ator que, além deste filme, também estreia outra produção lusitana em solo brasileiro, “Golpe de Sol”.

Ricardo Pereira como Virgílio de “Deus Salve o Rei” (Foto: Reprodução)

Depois disso tudo, Ricardo Pereira tem a resposta sobre sua mistura de sotaques na ponta da língua. “Eu sou mais do mundo”, disse o português que, embora esteja com trabalhos espalhados por diversos países, elegeu a Cidade Maravilhosa como cenário de sua vida pessoal. “Atualmente, a minha base é aqui. Eu moro no Rio de Janeiro com a minha família inteira, mas estou trabalhando no mercado mundial. Eu tenho projetos no México, Colômbia, Espanha e França. Obviamente que para mim como ator isso é incrível porque me faz circular pelos mercados de todos os lugares. E não tem nada melhor que isso”, comemorou.

Pesquisas relacionadas