Cinema & TV

“Império”: com jeitão de cinema, o primeiro capítulo foi um ótimo pontapé. Agora… é torcer pela goleada!

Novela de Aguinaldo Silva tem destaque absoluto para a dupla Marjorie Estiano e Chay Suede, que roubou todas as cenas deixando pouco espaço para quem estava por perto

Publicado em 22/07/2014 | Por Heloisa Tolipan

*Por Junior de Paula

Aguinaldo Silva é um autor que costuma cumprir o que promete. E, se antes da estreia de “Império”, sua nova novela das 9, que estreou nesta segunda-feira, ele anunciara um novelão com todos aqueles elementos que a gente ama, neste primeiro capítulo ele fez exatamente o combinado.

682798-Novo-visual-de-atores-para-novela-Império-01

Chay Suede e Vanessa Giácomo em cena de amor de ‘Império” (Foto: Divulgação/TV Globo)

O herói da novela, José Alfredo, vivido nessa primeira fase por um surpreendente Chay Suede, é cheio de questões morais. Se apaixona por Eliane, interpretada por Vanessa Giácomo, mulher de seu irmão, papel de  Thiago Martins, se deixa enganar por Cora, a maravilhosa vilã defendida com muita força por Marjorie Estiano, aceita um emprego de guarda-costas de um desconhecido (interpretado por Reginaldo Faria) na Rodoviária, vacila, deixa que matem o patrão e, por fim, enriquece às custas da tal falha.

1402942565imperio01

Chay arrasando na primeira fase de José Alfredo (Foto: Divulgação/TV Globo)

Com essa trama deliciosamente rocambolesca, cheia de reviravoltas e surpresas de percurso, Aguinaldo Silva construiu seu prólogo. Além do texto quase sempre certeiro, repleto de boas tiradas, com um pé no popular e outro na mordacidade de Aguinaldo, o primeiro capítulo se valeu de uma direção inspirada de Rogério Gomes. Lindas as tomadas da região de Carrancas, em Minas Gerais, que são cenários para a mina de diamantes que serve como pontapé inicial para a construção do tal Império de José Alfredo.

Destaque absoluto para a dupla Marjorie Estiano e Chay Suede, que roubou todas as cenas deixando pouco espaço para quem estava por perto. Vanessa Giácomo é sempre correta e já provou que é uma das melhores de sua geração com a víbora Aline de “Amor à Vida” e a Malvina do remake de “Gabriela”, mas, talvez por isso, pelo pouco tempo que separa uma personagem da outra, ficou difícil embarcar no sofrimento de Eliane sem fazer uma associação direta à falsidade da antiga personagem.

14149251

Marjorie roubou a cena como a fria Cora (Foto: Divulgação/TV Globo)

Alexandre Nero, o José Alfredo definitivo, fez uma rápida aparição na primeira cena do primeiro capítulo, ao lado de sua filha, vivida por Andreia Horta, e mostrou porque é hoje o ator mais interessante de sua geração. Ele tem todos os ingredientes na mão para provar que merece este primeiro protagonista da carreira na TV e parece que não vai deixar a oportunidade passar batida. No elenco, destaque ainda para Reginaldo Faria, em rápida aparição, mas definitiva, e Regina Duarte como a compradora de diamantes da Suíça, Braga, com direito a peruca, turbante e tudo que uma diva deve ter.

A trilha sonora, apesar de ressuscitar “Aonde Quer Que eu Vá”, dos Paralamas, promete boas músicas, como “Quelqu’un M’a Dit”, da Carla Bruni, “Lucy in the Sky With Diamonds”, dos Beatles, já na abertura, e uma versão pós-moderna de “Enrosca”, de Fábio Junior.

Se a euforia vista no Twitter durante a exibição do primeiro capítulo vai se manter, só as cenas do próximos capítulos dirão, já que o começo de “Em Família”, a recém-terminada novela de Manoel Carlos, também prometia fortes emoções e a gente se lembra muito bem de como terminou. Mas a torcida, pelo menos, é para que a gente se apaixone pelos novos personagens, as novas histórias e os novos cenários que estão por vir. Foi um ótimo pontapé, agora é torcer pela goleada.

* Junior de Paula é jornalista, trabalhou com alguns dos maiores nomes do jornalismo de moda e cultura do Brasil, como Joyce Pascowitch e Erika Palomino, e foi editor da coluna de Heloisa Tolipan, no Jornal do Brasil. Apaixonado por viagens, é dono do site Viajante Aleatório, e, mais recentemente, vem se dedicando à dramaturgia teatral e à literatura

Pesquisas relacionadas