Cinema & TV

“Eu tive a preocupação de não cair no estereótipo”, diz Darília Oliveira sobre personagem em Órfãos da Terra

A atriz está se preparando para viver Áida na nova novela da Rede Globo, de Duca Rachid e Thelma Guedes. Ao HT, a atriz falou sobre o seu papel, feminismo e cultura

Publicado em 29/03/2019 | Por Iron Ferreira

Nascida em Volta Redonda, Darília Oliveira está prestes a voltar para a televisão na nova novela da Globo, Órfãos da Terra, assinada pelas ganhadoras do Emmy Awards, o Oscar da televisão, Duca Rachid e Thelma Guedes. A atriz irá interpretar Áida, uma das esposas do Sheik Aziz Abdallah, papel de Herson Capri. Sobre a experiência de participar do folhetim, ela comentou: “Entrar na personagem foi um mergulho intenso. Tive aulas de dança, de economia e de cultura libanesa. É um trabalho muito representativo e fiquei muito feliz quando recebi o convite. Assisti muitos filmes e documentários e li muitos livros sobre a cultura deles para me cercar de referências importantes. Além da pesquisa de imagem, tive contato com sírios e libaneses para saber como eles se comportam. A Áida é uma das três esposas do Sheik Aziz, que é muito rico e poderoso. Por mais que ela seja dedicada e tente conseguir o seu espaço, existe uma exclusão por parte das outras mulheres. Não há relação de amor entre eles, apenas de respeito e medo”.

Darília Oliveira irá interpretar Áida na nova novela das 18h (Foto: Divulgação)

Apesar de ser uma trama complexa e que aborda importantes temas como a diferença cultural, a submissão feminina, a forte influência religiosa e o drama dos refugiados, Darília declara que não enfrentou muitas dificuldades com o projeto: “Eu tive a preocupação de não cair no estereótipo. A densa pesquisa que eu fiz me ajudou a ter segurança na hora de viver a minha personagem. O que mais me marcou foram as referências contidas nos materiais que eu utilizei para estudar. Os documentários que assisti sobre o Líbano mostraram a miséria e as dificuldades do país. Na hora, eu fiz um paralelo comparativo sobre a situação do Brasil e percebi que existe semelhança, infelizmente”.

A atriz acredita que o feminismo é muito importante para dar espaço a todas as mulheres (Foto: Divulgação)

A atriz comentou ainda sobre o papel de inferioridade que a mulher possui em algumas culturas orientais e reafirmou a importância do feminismo: “Os movimentos feministas são mais do que necessários. O feminismo, hoje, é uma onda global que está conquistando espaços nunca antes imaginados. Sou fundadora do Coletivo Manas, um projeto voltado a estimular a criatividade e o lado artístico das mulheres para inseri-las no mercado. Desenvolvemos ideias e fazemos rodas de leitura para que elas criem confiança e acreditem em seu potencial. Sobre a cultura oriental, não podemos associar o machismo a costumes e religiões. É um problema mundial! Muitas pessoas falam que a mulher no Islã é maltratada, mas o Brasil possui taxas de feminicídio mais elevadas”.

Darília acredita que Órfãos da Terra transformará o conceito das pessoas sobre os refugiados e a cultura libanesa (Foto: Divulgação)

A crise dos refugiados é outro assunto polêmico que a próxima novela das 18h irá abordar. Em relação a recente onda de imigrantes que assolou o mundo nos últimos anos, a atriz afirma: “Acho que a questão a respeito dos refugiados é a que mais me atraiu na trama. Precisamos abordar a questão dos refugiados e essa novela tem esse objetivo. Muitas pessoas acreditam que os refugiados são foragidos da lei. Isso não é verdade. Eles fogem de repressões religiosas e de conflitos armados, buscando segurança e melhores condições de vida para suas famílias. Essa história pode ajudar a transformar a visão da sociedade”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Órfãos da Terra estreia no dia 2 de abril e seu elenco possui nomes de peso como Letícia Sabatella, Herson Capri, Emanuelle Araújo, Rodrigo Simas, Julia Dalavia, Alice Wegmann, Nicette Bruno, Bia Arantes, Eliane Giardini, Marco Ricca, Paula Burlamaqui, Danton Mello, Marcelo Médici, Osmar Prado, Leona Cavalli, Flávio Migliacci, Betty Gofman, dentre outros.

Pesquisas relacionadas